Daniel Goleman: conceitos e dicas

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Se você chegou até aqui, deve ser porque já ouviu falar de Daniel Goleman e quer saber um pouco mais sobre ele. Em geral, na área da Psicologia ou Psicanálise, ficamos com a impressão de que poucas são as pessoas que contribuíram para o avanço da área. No entanto, isso não é verdade.

Quantas vezes você já não ouviu falar em Psicanálise e pensou direto em Freud ou Jung? Ou então pensou em Psicologia e lembrou do Skinner? É uma associação que não tem como evitar, mas é possível deixar nossa rede de referências um pouco mais ampla.

Com isso em mente, através desse artigo nós queremos trazer até você informações sobre Daniel Goleman, e sobre suas obras e contribuições. Além disso, nós queremos trazer para você dicas e citações desse autor.

Quem é Daniel Goleman

Daniel Goleman nascem em 7 de março de 1946 na cidade de Stockton, Califórnia. Ele é jornalista científico, psicólogo renomado e consultor internacional. Com respeito à sua formação, ele se formou na Amherst College, e em seguida na Universidade da Califórnia. Depois disso, lecionou e adquiriu o seu PhD na Universidade de Harvard.

Ele ainda escreveu sobre cérebro e ciências comportamentais para o The New York Times por 12 anos. Durante esse tempo, ele foi indicado ao prêmio Pulitzer duas vezes. Só de ler até aqui fica evidente o quanto o trabalho desse autor é especial. O reconhecimento atribuído a ele nos Estados Unidos não é pouco.

Depois desse período, Daniel Goleman começou a promover palestras e escrever livros. Contudo, essa não foi uma transição rápida, mas sim bem pensada. Foi aí que o autor lançou o Best-seller Inteligência Emocional em 1995, quando tinha 49 anos.

Atualmente, o The Wall Street Journal classificou-o como um dos pensadores mais influentes no âmbito de Inteligência Emocional.

Principais conceitos

Para Daniel Goleman, o modo como usamos nosso cérebro e controlamos nossas emoções é muito importante. Esses são pilares que baseiam o uso da inteligência emocional e como o desenvolvemos.

O autor acredita que temos 3 tipos de focos:

  • O interno, que foca em nossas próprias emoções;
  • O externo, que é o que dedicamos às outras pessoas;
  • E o empático, que é a percepção do mundo à nossa volta.

Ainda segundo ele, é só exercitando o foco que conseguiremos lidar bem com nossas emoções e crescermos como pessoas.

Para o autor, a Inteligência Emocional é a

“capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos”.

Dessa forma, essa inteligência é a responsável pelo nosso sucesso ou insucesso.

Inteligência Emocional

O autor fala em cinco habilidades no que diz respeito a ter inteligência emocional. São elas:

  1. O autoconhecimento emocional: Essa habilidade nos permite reconhecer as nossas próprias emoções e sentimentos. A falta dela nos deixa a mercê das emoções, o que é prejudicial.
  2. O controle emocional: Esse controle nos ajuda a lidar com nossos próprios sentimentos. Além disso, nos ajuda a ter consciência das emoções que nos bloqueiam. Dessa forma, podemos nos libertar delas através de ações racionais. Assim, nós conseguiremos adequar nossos sentimentos as situações de nossa vida.
  3. A automotivação: Essa habilidade nos ajuda a dirigir as nossas emoções a um objetivo ou realização pessoal. Afinal, se nos deixarmos levar por tudo que sentimos, principalmente os sentimentos ruins, não sairemos do lugar. A motivação trabalha de forma contrária a isso.
  4. A habilidade com relacionamentos interpessoais: Essa é a habilidade de interagir com os outros, e depende da competência social. Devemos lembrar que em um relacionamento precisamos saber gerir o sentimento do outro.
  5. O reconhecimento das emoções em outras pessoas: Essa é a habilidade de reconhecer as emoções do outro e ter empatia pelas as emoções dele. É assim que reconhecemos os desejos e necessidades da outra pessoa e trabalhamos para que os relacionamentos sejam melhores.

É importante dizer que, para Daniel Goleman, o uso exacerbado da tecnologia é um problema. Isso acontece, pois, para ele, esse uso limita as interações humanas e a empatia. Essa empatia é necessária para que nossas emoções sejam exercidas, como já mencionamos. Consequentemente, a distância prejudica nosso desenvolvimento.

As melhores dicas de Goleman

Como dissemos, este autor diz que o controle da emoção é importantíssimo para nosso crescimento. Levando isso em consideração, separamos para você 5 dicas que ele nos dá para crescermos nesse sentido. Assim, mesmo que você não leia seus livros, poderá saber a respeito do que ele fala em linhas gerais.

1. Prestar atenção ao nosso corpo e nossos comportamentos

Preste atenção em como agimos em relação as nossas emoções. Além de reparar nesse tipo de ação e reação, não deixe de refletir também em sobre como elas afetam as nossas vidas. Caso suas observações sejam mais positivas do que negativas, é um sinal de que algo precisa mudar.

2. Reduzir nas emoções negativas

Para Daniel Goleman, é fundamental ser capaz de controlar nossas emoções negativas. Para isso, podemos escrever nossos sentimentos e emoções. Essa é uma maneira de externalizá-los e compreendê-los. Só assim veremos que há saídas para nossos problemas, e somos nós os responsáveis por encontrá-las, mesmo quando pedimos ajuda.

3. Criar um ambiente positivo

Criar um ambiente que seja positivo ajuda a melhorar a nossa qualidade de vida. Além disso, também faz bem a quem nos rodeia.

4. Lidar de frente com o estresse e a ansiedade

É preciso saber lidar com os momentos de ansiedade e estresse, pois só assim alcançaremos o equilíbrio em toda e qualquer situação. Nesse momento é preciso ter calma. Lavar o rosto e tomar um ar antes de agir sob pressão são decisões que ajudam.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ


5. Praticar a empatia

Entender e se importar com o próximo é importante para estabelecer relações saudáveis. A empatia pelo outro começa pela gente!

Obra de Daniel Golemam

Caso tenha ficado curioso com essas dicas, não se preocupe. Não te deixamos desamparados! Aí vai uma lista com as obras de maior expressão de Daniel Goleman para que você possa ler!

  • Inteligência emocional (1995);
  • Trabalhar com inteligência emocional (2000);
  • Emoções que curam: conversas com o Dalai Lama sobre mente aberta, emoções e saúde (2000);
  • Emoções destrutivas e como dominá-las: um diálogo com o Dalai Lama (2005);
  • Inteligência social: a nova ciência das relações humanas (2006);
  • Eco inteligência (2009);
  • Foco: o motor oculto da excelência (2014);
  • Uma Força para o Bem (2015);
  • A arte da meditação (2018).

O que Daniel Goleman trouxe para nós é incrível no que diz respeito a conhecimento interno. Além disso, suas contribuições para a ciência são impressionantes e dignas de menção.  Viu só como existem nomes extremamente relevantes aos quais a gente não liga diretamente com a Psicanálise ou Psicologia?

Pensando nisso, gostaríamos de convidar você a se matricular em nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online! Nele, damos espaço a outros autores, como Daniel Goleman, bem como às suas contribuições. Tudo para que você tenha a formação mais completa possível. Além disso, nosso blog traz sempre informações interessantes sobre os mais variados temas. Fique ligado e confira a programação do curso!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − cinco =