significado de disgrafia

Disgrafia: significado, diagnóstico e terapias

Posted on Posted in Comportamento

Você já ouviu falar no termo disgrafia? Nesse artigo vamos apresentar o significado, diagnóstico e terapias para a disgrafia. Confira abaixo.

O que é disgrafia

Primeiramente, a disgrafia é uma dificuldade de coordenação dos músculos da mão e do braço em crianças que são normais do ponto de vista intelectual e que não sofrem deficiências neurológicas graves.

Em outras palavras, essa dificuldade impede que você domine e direcione o lápis para escrever de forma legível e organizada.

Definição de disgrafia

A disgrafia ou disortografia é definida como a condição da habilidade ou poder de escrever. Como a dislexia, é um distúrbio de aprendizagem que envolve dificuldade em coordenar os músculos da mão e do braço dominante.

Contudo, essas dificuldades impedem a pessoa disgráfica de controlar adequadamente o objeto para escrever corretamente. Também pode haver disgrafia em crianças e adultos.

Sintomas da disgrafia

Existem dois tipos de sintomas relacionados à disgrafia. Os primeiros, chamados de sinais secundários globais, referem-se à postura inadequada, suporte incorreto do instrumento (lápis, caneta, etc.), pressão insuficiente do instrumento ou velocidade de escrita excessivamente rápida ou lenta.

Por outro lado, os sintomas específicos se concentram em elementos do próprio gráfico, como tamanho grande das letras, letras inclinadas ou deformadas, espaçamento excessivo entre letras ou muito aglomeradas, ligações impróprias entre grafemas, letras irreconhecíveis e, por fim, texto difícil de compreender.

No que diz respeito à escrita, geralmente estão presentes os seguintes sintomas:

  • alteração da ordem das letras, total ou parcial, de palavras conhecidas e desconhecidas da pessoa;
  • mudança de orientação dos traços de certos personagens;
  • confusão de letras semelhantes, como ‘p’ e ‘b’, ou ‘d’ e ‘b’.

Por outro lado, a leitura é geralmente caracterizada por:

  • dificuldade em distinguir certas letras ou lê-las em ordem;
  • ignorar erros de grafia;
  • dificuldade em ler frases ou palavras simples, especialmente as curtas.

Outros sintomas incluem, sobretudo, não ser capaz de copiar palavras facilmente, usar uma palavra no lugar de outra, mesmo quando não estão relacionadas entre si e ter dificuldade em distinguir entre direita e esquerda.

Como diagnosticar disgrafia

Para estabelecer o diagnóstico de disgrafia, é necessário levar em consideração o fator idade, uma vez que esse distúrbio só começa a se manifestar após o início do período de aprendizagem (após 6-7 anos). Por isso, não é apropriado fazer o diagnóstico antes da idade indicada.

De acordo com os indicadores, a disgrafia pode ser considerada quando as habilidades de escrita estão substancialmente abaixo do esperado, dada a idade do aluno, seu coeficiente e sua escolaridade específica para a idade.

Diagnóstico escolar da disgrafia

O diagnóstico em sala de aula consiste em especificar o grau de alterações e especificar o tipo e a frequência do erro gráfico.

Ademais, para este procedimento, será necessário corrigir as produções da criança no dia a dia, destacando as falhas em reeducar com o exercício adequado. Ou seja, individualmente, testes como:

Ditado

Ditado de letras, sílabas ou palavras. Um fragmento de dificuldade é ditado de acordo com o nível de escolaridade da criança. Dessa forma, o mais simples é extraí-lo do livro que a criança costuma usar, correspondente à série que está estudando.

Leia Também:  Características psicológicas positivas e negativas

Teste de escrita espontânea

Destinado a crianças que já escrevem. O slogan é: “escreva o que quiser” ou “o que quiser”. O texto indica os erros cometidos, seguindo a classificação dos erros frequentes indicados na etiologia desta patologia.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Cópia

    A partir de uma seção em letras maiúsculas e outra em itálico, reproduza o texto tal como está e, a seguir, dois outros textos, um impresso para ir para itálico e outro em itálico para imprimir.

    Nesse teste de cópia vemos se a criança consegue copiar sem cometer erros e omissões, ou se consegue transformar a letra. Por exemplo, se a criança não consegue copiar frases, é-lhe pedido que copie palavras, sílabas ou letras.

    Outros diagnósticos

    Sobretudo, para fazer um diagnóstico correto de um distúrbio de leitura ou escrita, temos várias opções de teste disponíveis.

    • EDIL: É um teste de leitura que avalia precisão, compreensão e velocidade.
    • CONTO: É composto por vários testes de leitura e escrita que permitem avaliar rapidamente o nível geral destas tarefas de acordo com a idade.
    • DST-J: É uma bateria curta de testes de triagem ou detecção rápida de dislexia que é aplicada de 6 a 11 anos.
    • PROLEC-R: É um teste válido do 1º ao 6º ano do ensino fundamental. Permite avaliar os processos de leitura e as estratégias seguidas para ler, permitindo a detecção de mecanismos alterados.

    Qual a diferença entre disgrafia e disortografia

    Antes de mais nada, disgrafia e disortografia são diferentes, pois na disortografia, não existe alteração na grafia ou o traço das palavras. Assim, o que a disortografia faz é influenciar como o sujeito escreve os termos, em relação às regras de ortografia.

    Já na disgrafia existe na pessoa  uma certa dificuldade de aprendizagem na escrita.

    Como tratar disgrafia

    Treinamento psicomotor

    Consiste no treinamento do próprio corpo e habilidades psicomotoras, como motricidade fina, controle postural, esquema corporal e força muscular. Dessa forma, é importante, nesses casos, ensinar o relaxamento e a maneira correta de respirar.

    Técnicas pictográficas

    Consiste em sessões de pintura com o objetivo de trabalhar ombros, braços e punhos para promover distensão neuromuscular desses membros.
    Essas sessões são caracterizadas por:

    • utilização de pincéis de cabo longo e de pincel duro, pois não se busca precisão, mas relaxamento;
    • uso de lápis e marcadores grossos;
    • traçado de arabescos, rabiscos e traços amplos e contínuos sem levantar o lápis ou pincel;
    • a posição será em pé para favorecer o movimento integral e articulado de ambos os ombros, braço e mão.

    Técnicas de script

    Primordialmente, aqui você trabalha com lápis e papel, principalmente elementos gráficos amplos e vinculados (toda a gama de loops e torções discutidas acima) e na seguinte sequência:

    • largas linhas e interligadas no quadro (esticar o ombro);
    • linhas largas e vinculadas em uma grande folha de papel (estenda o braço);
    • linhas largas e vinculadas em um grande padrão (relaxe a mão);
    • traços amplos e vinculados em um padrão normal (dedos esticados).

    Considerações finais

    Como pudemos ver nesse texto, o termo disgrafia vem do grego e representa uma dificuldade de fala ou dicção. No entanto, na prática, reflete-se como um incômodo que dificulta o processo de aprendizagem que acaba influenciando muito na vida do sujeito.

    Se você gostou de ler o texto sobre disgrafia tenho certeza que você vai se interessar por outros assuntos semelhantes. Se inscreva em nosso curso online de psicanálise clínica, onde você poderá aprimorar o seu conhecimento e auxiliar pessoas que sofrem desse e de outros problemas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *