fase anal

Fase anal segundo Freud e a Psicanálise

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

O desenvolvimento cerebral de uma criança começa já na sua segunda semana de gestação. Ao longo de sua vida esse ciclo se completa, de modo a fechar sequencialmente toda a sua estruturação psíquica e comportamental. No texto de hoje tratamentos a respeito da fase anal e como esta impacta o crescimento humano.

A fase anal

A fase anal corresponde à parte do desenvolvimento da criança envolvendo o controle do próprio ânus. Esse momento nada mais é que a construção de sua segurança psíquica e a criação dos seus valores pessoais. O momento acontece entre os 18 meses de idade e 2 anos e vai até os 4 anos de idade.

Nesse período, ocorre a afloração de suas tendências ao sadismo, bem como suas características defensivas. Isso é um processo natural a qualquer ser humano e se direciona para a nossa sobrevivência. Por isso que se torna mais corriqueiro a percepção da posse, agressividade, egoísmo e dominação vindas da criança.

Embora se mostrem como sinais negativos, esses laços são importantes ao desenvolvimento do pequeno. Tudo acontece para que ele tenha um desenvolvimento saudável e cresça de forma adequada e sadia. A segunda fase da evolução libidinal se conecta com o trato intestinal e com o sistema urinário.

Compreensão à realidade

Um dos fatos mais marcantes da fase anal é o da compreensão que a criança começa a alimentar sobre si. Em suma, ela vai entendendo que não é o centro do universo e que existe o Outro. Com isso, percebe que precisa seguir regras e obedecer os adultos ao seu redor.

Neste ponto se constrói o chamado Ego ideal, sendo tudo aquilo passado por nossos ancestrais. Com isso, é preciso prestar atenção a alguns pontos:

É o momento em que ela aprende as bases éticas de sua vida

A criança já possui discernimento o suficiente para entender os valores que lhes são passados. Por exemplo, ela pode compreender que não deve correr dentro de casa. De forma bruta, começa a alimentar o que ela mesma conseguirá expandir mais à frente.

Compreensão literal das coisas

Existe um certo cuidado a transmitir qualquer mensagem em direção à criança nesta fase. Sua mente não possui os mecanismos necessários para que possa avaliar uma situação nas entrelinhas. Assim, ela acaba entendendo o que é dito e feito na sua frente de forma literal e fixa isso.

A incompreensão pode gerar angústia

Você, como educador, precisa ser paciente para trabalhar o ponto anterior mencionado. A exemplo, se chegar em uma criança nesta fase e disser que vai deixar ela onde está, ela se sentirá solitária. Tenha em mente que você e o parceiro são as pontes que levam esse pequeno e o apresentam ao mundo.

“Não, é meu”

É também na fase anal que começamos a observar um mantra da criança: “Não, é meu”, evidenciando um egocentrismo, apesar de ser construtivo. No momento em que um adulto passa a interromper nesse egocentrismo, ordenando que divida suas coisas, acaba interferindo gravemente em seu desenvolvimento.

Isso porque ocorre uma interferência em seu sistema límbico que aciona um mecanismo de raiva. Esse é o ponto em que muitos pais apontam os próprios filhos como sem educação ou de personalidade forte. Entretanto, aguentar essa raiva criada pela criança impedida do seu prazer é um passo importante na sua jornada.

Tal contato é importante porque o ciclo do sistema límbico quando chega ao fim a ajuda a se dobrar à vontade do cuidador. Neste ponto se origina a autoestima, o amor por ela mesma. Nisso, ela compreenderá que não pode ser um dependente emocional de terceiros, sendo um indivíduo mais confiante em si mesmo.

Leia Também:  Significado de Ego e 20 Mecanismos de Defesa

Começo da fase anal

A entrada da fase anal começa a partir do interesse do pequeno em suas fezes e urina. Muitas crianças reagem de forma diferente a esses elementos, tanto por sua curiosidade, como também por sua educação. Enquanto alguns conseguem expelir resíduos de forma tranquila, outros, graças aos pais, crescem com nojo da situação.

Na sua precoce mentalidade, o pequeno consegue compreender que as fezes se tratam de sua primeira produção. A partir disso, iniciará o trabalho nisso como um objeto simbólico do seu desenvolvimento. Trata-se de alcançar segurança por meio da dominação e posse conseguidos pela retenção ou expelimento das fezes pelo seu controle.

É aqui que a criança tem manifestado sua vontade própria e autônoma por meio de uma agressividade. Com isso, se instala um mecanismo de defesa abraçado com a raiva até que aprenda outro. Explicando melhor, para defender algo seu, morderá outra criança sem culpa e com toda a certeza do que faz.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Sadismo saudável

Expulsar as fezes do seu sistema intestinal faz a representação do sadismo saudável na criança. É por meio desse processo da fase anal que ela aprenderá a como se livrar do que não fará falta a ela quando adulta. nesse caminho, uma criança bem construída saberá como:

Desprender-se de algo

Uma educação e crescimento bem condicionados garantem frutos necessários quando está na fase adulta, por exemplo. Imagine uma criança que não consegue se desprender de um objeto ou de um relacionamento abusivo. A tendência é que o apego a faça refém de uma situação bastante desconfortável.

Tomar iniciativa

Além de se desprender de algo, será ela a tomar a iniciativa para tal. Note que muitas pessoas são passivas em uma situação ruim com medo do que pode acontecer. Ao invés disso, uma criança bem educada na fase anal terá autonomia para seguir em frente.

Ensine a criança a lidar com suas fezes

O processo da fase anal ajuda a criança a compreender autonomia e certa aproximação com suas fezes. Por isso, você como mãe ou pai precisa ensinar cuidados de higiene ao pequeno logo cedo. Contudo, não deve evidenciar que se trata de algo nojento, sujo e que preciso de cuidados cavalares para tal.

Muitos adultos cometem o erro de afirmarem que o cocô da criança é fedido ou fazem careta e evidenciam isso. Ainda que você não goste, é preciso ter em mente que se trata da criação do pequeno e que ele já entende isso.

Assim, você precisa “valorizar” essa criação, e não demonizá-la. Por exemplo, quando a criança terminar e você a limpar, a faça dar o famoso “tchauzinho” para as fezes na descarga. Isso tornará a situação mais tranquila e o momento de construção em si mais prazeroso.

A retenção das fezes

A retenção de fezes iniciada na fase anal indica diretamente que tipo de adulto a criança se tornará. Esse tipo de retenção e também o controle dos esfíncteres indica saber cuidar das coisas, guardar ou poupar. Fazendo isso, seu filho vai se tornar uma pessoa zelosa e responsável por sua vida.

Nisso, a boa fase desse processo criará uma pessoa que sabe se expor e botar para fora. Que não se apega ao que não é útil para ela e a seguir em frente de forma segura. Isso acabará refletindo em sua capacidade de guardar ao amanhã e poupar o que é preciso.

Leia Também:  Trajetória de Freud da hipnose à Psicanálise

Por outro lado, a má formação pode resultar em uma pessoa reprimida, egoísta, irritada e excessivamente escrupulosa. Nisso, pode se tornar um adulto preconceituoso com o que acha “sujo” em sua vida e na dos outros. O medo criado ainda menor resulta em uma pessoa que acha normal sofrer ou fazer os outros sofrerem na vida.

Considerações finais sobre a fase anal

Vimos que a fase anal é um momento de descoberta à criança e por isso deve ser valorizada. Muitos adultos não compreendem a magnitude do processo envolvendo o simples ato de defecar. Com isso, alimentam a imagem de um processo errado, desconfortável e doloroso, imagem essa que reflete na educação da criança.

Se a sua criança está nessa fase, se mantenha próxima a ela para ensiná-la o suficiente sobre o evento. Lembre-se de que estará ajudando um futuro adulto a selecionar o que é positivo e se desprender do que não ajuda em sua construção emocional.

Para fazer isso de modo mais trabalhado, se inscreva em nosso curso de Psicanálise 100% à distância. As aulas proporcionarão a clareza necessária para lidar com questões pessoais a respeito da construção social de todos ao redor. Desse modo, terá uma excelente ferramenta para trabalhar a fase anal e a construir uma boa persona em seu filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 5 =