medo de altura

Medo de Altura: significado e tratamento em Psicanálise

Posted on Posted in Comportamento

Você sente um medo intenso quando olha para uma varanda? Sente uma sensação muito desagradável de vertigem ao passar por cima de uma ponte? Então é possível que você tenha medo de altura. Ele pode se tornar uma fobia, que limita a vida de muita gente por aí. Vale dizer que o nome do medo de altura é acrofobia. Se você quer saber como superá-lo antes que ele seja um problema para você, continue a leitura.

Medo de altura: acrofobia

Acrofobia ou medo de altura é um medo irracional e extremo de altura. Esse tipo de fobia gera ansiedade e comportamentos de fuga ou evitação em situações que envolvem estar em lugares altos.

Sintomas de acrofobia

Como em todos os tipos de fobias, a acrofobia se expressa por meio de uma série de sintomas que se manifestam em situações específicas. Além disso, muitos desses sintomas são compartilhados com os demais medos patológicos. Assim, apenas o gatilho que varia.

Os principais sintomas do medo de altura

Agitação e tensão muscular

O medo incapacitante de altura é expresso, entre outras formas, por um estado de tensão muscular que faz com que todo o corpo tenha tremores. Isso ocorre porque o sistema nervoso linfático está altamente ativado, fazendo com que as fibras musculares recebam mais sinais de que estão prontas para reagir rapidamente.

Ansiedade

A antecipação de acidentes e desgraças causados pela presença de um precipício faz com que uma pessoa possa sentir ansiedade. Este é um estado de ativação fisiológica e cognitiva em que todo o foco da atenção está voltado aos possíveis perigos. Essa condição produz desconforto e, além disso, impede uma pessoa de pensar racionalmente e reagir de forma proporcional ao perigo que está diante de si.

Pânico

O pânico é uma onda de medo que faz com que uma pessoa acabe vivenciando uma mescla de sensações produzidas pela antecipação da dor ou da morte. Além disso, ele também provoca estímulos sensoriais que chegam assim que a pessoa enfrenta a situação que a incomoda.

No caso da acrofobia, o pânico com lugares altos têm a ver com a valorização constante da distância entre o indivíduo e o fundo do precipício ou da encosta que está perto dele. Quando esse sentimento de medo é muito extremo e vem de forma abrupta, essa pessoa pode ter ataques de pânico.

Perda de controle

Um dos aspectos cognitivos da acrofobia é a perda de controle. Esta consiste na incapacidade de gerenciar processos executivos como o gerenciamento da atenção ou o estabelecimento de planos e sequências de ações consistentes.

Taquicardia

O aumento abrupto do pulso sanguíneo também causa o aparecimento da sensação de falta de ar.

Dor de cabeça

Juntamente com o aparecimento dos outros sintomas, é muito comum que a pessoa com acrofobia também sinta dor de cabeça. Esta é causada por mudanças na pressão arterial e pela superativação do sistema nervoso.

O que causa medo de altura?

As causas do medo de altura são múltiplas. Vale destacar que ele é um medo evolutivo que faz parte de nosso instinto de sobrevivência e que está presente em outras espécies animais.

Ainda assim, outros fatores podem explicar a origem do medo de altura. É possível, por exemplo, que uma pessoa tenha vivido experiências traumáticas que envolva grandes altitude. Assim, ela acabou desenvolvendo um medo irracional e começou a lidar com as suas consequências.

Leia Também:  3 Benefícios da Psicanálise para Engenheiros

As consequências de sofrer de fobia de altura

Em geral, as pessoas que têm medo de altura evitam ocasiões em que tenham que se expor a grandes altitudes. Assim, elas têm pavor de mirantes, elevadores, pontes, esportes que envolvam altura ou penhascos.

Em casos mais extremos, a acrofobia se torna um medo que atrapalha o dia a dia. Isso porque pode afetar situações tão comuns como entrar no elevador, subir escadas, olhar para varandas ou estar em edifícios altos. Há pessoas, inclusive, que acabam tendo sua qualidade de vida drasticamente reduzida, não podendo nem sair de casa.

Além disso, algumas vezes o medo de altura provoca na pessoa um sentimento de incapacidade ou inadequação. Afinal, ela vê que outras pessoas podem realizar sem medo as atividades que ela evita, razão pela qual a sua autoestima se deteriora.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Como perder o medo de altura

O medo patológico de altura pode ser tratado por meio de intervenção psicológica, graças à qual a maioria dos sintomas irá diminuir (embora na maioria dos casos eles não desapareçam completamente).

As terapias cognitivo-comportamentais são as que têm demonstrado maior eficácia no tratamento para medo de altura. Especificamente, a exposição é amplamente utilizada neste e em outros tipos de fobias.

Tratamento da acrofobia por exposição

A exposição envolve lidar com a fonte do medo gradualmente, levando a pessoa a estabelecer objetivos simples e de curto prazo. Para isso, ela precisa ir fisicamente a lugares altos (a princípio, acompanhado do psicoterapeuta) ou então utilizar o recurso da realidade virtual.

Cada vez que um objetivo é alcançado, como ficar perto de um penhasco por 30 segundos, essa pessoa começa uma fase mais difícil. Desta forma, ela percorre uma série de testes ordenados hierarquicamente de acordo com seu nível de dificuldade e o progresso é acumulado com o tempo. Em vista disso, passar por essa série de situações marca uma curva de dificuldade ascendente.

Claro que para a realização da exposição é imprescindível a supervisão e a orientação de um profissional suficientemente instruído nestas técnicas. Vale destacar que ele precisa ser especializado na área da Psicologia da Saúde.

Terapia implosiva ou de inundação

A terapia implosiva ou de inundação é outra das técnicas usadas para lidar com o medo de altura. Consiste em expor diretamente a pessoa à situação causadora de ansiedade, evitando que ela escape. É claro que, antes de chegar a esse ponto, o psicólogo deve ter trabalhado com a pessoa a sua fobia, ensinando técnicas de relaxamento que permitem controlar a sua resposta de ansiedade.

Com essa técnica, é possível alcançar resultados mais rápidos que com a dessensibilização sistemática. No entanto, se a pessoa não estiver devidamente preparada, a experiência pode se tornar extremamente angustiante e desagradável.

Hipnose

A hipnose também mostrou-se ser muito eficaz na cura de fobias. Na verdade, essa é uma opção muito mais segura. Afinal, a sua adição à terapia evita a ansiedade que pode ser gerada pelo uso de técnicas cognitivo-comportamentais de forma isolada.

A hipnose tradicional funciona por meio de sugestões pós-hipnóticas diretas dirigidas ao inconsciente. A hipnose ericksoniana também mostrou resultados muito bons. Isso porque, ao usar sugestões indiretas escondidas em metáforas e histórias, ela consegue alcançar melhor o inconsciente e atacar as raízes do medo.

Leia Também:  Dificuldade em se Relacionar nos Tempos atuais: O que Fazer?

Considerações finais sobre o medo de altura

Como você pôde ver, o medo de altura é conhecido como acrofobia. Esse medo extremo que o indivíduo sente ao se deparar com altura, muitas vezes acaba prejudicando a rotina do próprio indivíduo.

Se você tem medo de altura ao ponto de atrapalhar a sua rotina, procure ajuda de um médico profissional. Peça, então, ao psicólogo uma primeira consulta na qual estudarão a fundo a sua situação. Caso você tenha gostado deste artigo, nós te convidamos a fazer o nosso curso online de Psicanálise, no qual buscamos trazer conteúdos fantásticos sobre esse mundo incrível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 19 =