Neuropsicopedagogia

Neuropsicopedagogia: significado, estudos e atuação

Posted on Posted in Profissões e Psicanálise, Psicanálise

Entender a estrutura cerebral quando se trata de desenvolvimento é uma tarefa complexa se não tivermos o guia certo para nos ajudar. As conexões estabelecidas podem ajudar a qualquer pessoa a explorar seu potencial, contanto que seja feita da maneira adequada. Assim sendo, vamos entender melhor o significado de neuropsicopedagogia e a sua proposta para a pesquisa e o crescimento humano.

O que é neuropsicopedagogia?

Neuropsicopedagogia ou neuropedagogia se trata da ciência transdisciplinar que estuda o sistema nervoso e a sua ligação com a aprendizagem. Por meio de um neuropsicopedagogo, a área neuropsíquica cognitiva de uma pessoa vai ser gradualmente compreendida.

A neuropedagogia acaba reunindo os conhecimentos da neurociência cognitiva, pedagogia, psicologia cognitiva e psicopedagogia para formular seu campo de trabalho. O propósito é fazer a estimulação de cada potencialidade reservada a essa área, que está no centro da movimentação humana.

Toda a construção utilizada por esta ciência se baseia no conhecimento da clareza de como esse sistema funciona. Por meio da programação das redes neurais, é possível condicionar uma pessoa a atingir determinada meta. Com isso, ela pode desenvolver suas habilidades naturais e aprender outras necessárias ao seu crescimento.

Crescimento intelectual ao longo da vida

É preciso ter em mente o papel de análise da neuropsicopedagogia quanto ao estímulo perceptivo. Quando o incentivo é dado logo nos primeiros anos de vida acaba por ajudar na prevenção de transtornos, síndromes e outras anomalias psíquicas. Dessa forma, é possível ajudar a formação e reprogramação adequada das redes neurais.

Além disso, é possível ajudar na reabilitação de crianças e adolescentes se espelhando em um tratamento. O propósito aqui é fazer a redução de sintomas que indicam o declínio de suas habilidades cognitivas. Tudo acontece na base da plasticidade cerebral, de maneira a causar flexibilização na estrutura neurobiológica de cada um.

Já em pessoas com necessidades especiais e idosos, o trabalho se concentra em estimular a percepção e intelecto emocional. Esse grupo terá suas dificuldades cognitivas trabalhadas e reconduzidas a um passo de seu crescimento. Por meio disso, consegue-se a reabilitação cognitiva e os sintomas são amenizados.

A atuação do neuropsicopedagogo

Um profissional formado em neuropsicopedagogia clínica pode atuar em consultórios, postos de saúde, clínicas e outros ambientes à saúde social. Entre suas atribuições, está ainda a formação de equipes multidisciplinares para que se faça a avaliação de problemas cognitivos. Feito isso, espera-se uma intervenção para que se possa recondicionar esse grupo de trabalho.

Após a formação, o neuropsicopedagogo deve se ligar a algum órgão ou mesmo criar a sua própria associação. Isso porque é necessário manter grupos de estudo para a formação de pesquisas transdisciplinares entre a categoria. É dessa forma que a relevância do trabalho vai ser divulgado em seus amplos contextos.

Outras funções

Além da formação de equipes, os profissionais da neuropedagogia possuem outras metas a realizar com suas atividades. O trabalho deles acaba se ramificando, gerando uma atenção mais focada às necessidades dos pacientes. Tudo se inicia por:

Encaminhamento

O neuropsicopedagogo vai encaminhar aqueles com perturbações comportamentais ou distúrbios neurológicos ao psicoterapeuta infantil. Antes disso, fará uma análise comparativa dos sintomas apresentados com o propósito de identificar quais são decorrentes de bloqueios emocionais e quais são neurológicos, neuróticos, psíquicos, etc.

Treinamento

O profissional também também é indicado no treinamento dos professores quanto à abordagem com os alunos. Além destes, os próprios pais podem ser orientados sobre a inclusão social e escolar dos pequenos. É isso que acaba por ajudar no entendimento neuropsíquico cognitivo dos jovens e trazer clareza ao que carregam e precisam.

Leia Também:  Sexologia Humana: o que é, como se desenvolve?

Encontrar potencial

Compreendendo as dificuldades, agora o neuropsicopedagogo vai identificar as potencialidades cognitivas da pessoa em sessão. Os bloqueios para que isso não aconteça podem ser distúrbios, dificuldade em aprender, anomalias psíquicas e até mesmo transtornos.

Estruturação física da inteligência

O cérebro é o comando central da inteligência e desenvolvimento, de acordo com a neuropsicopedagogia. Para entender como os processos intelectivos acontecem necessitamos compreender os mecanismos físicos que conduzem a aprendizagem. Nisso, o cérebro se divide em três: hipotálamo, sistema límbico e córtex.

Hipotálamo, mesmo sendo pequeno, regula as funções de sobrevivência do indivíduo. Com isso, se mostra o centro da fome, sede, saciedade, impulso sexual… Etc. Por sua vez, o sistema límbico se encarrega de alimentar a pessoa com suas emoções, sendo o centro delas. Assim se liga com cada processo emotivo, bem como equilíbrio e desequilíbrio.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Por fim, o córtex acaba filtrando as suas atividades em três funções, sendo a primeira o controle sobre os movimentos do corpo. Indo além, também trabalha com o pensamento do indivíduo e percepção dos sentidos.

Revoluções cerebrais

Logo nos primeiros anos de vida o cérebro humano passa por transformações constantes e vigorosas em sua estrutura. É isso que acaba permitindo a mudança de importantes aspectos cognitivos e de aprendizado enquanto ainda somos bem novos. A neuropsicopedagogia acaba entendendo que:

Períodos oportunos ao crescimento

Em suma, se tratam de janelas em que há um período mais fértil em relação ao aprendizado de certas capacidades. Cada ação leva seu próprio tempo e método para acontecer, considerando a idade da criança em questão.

Por exemplo, quem possui 2 anos de idade está perfeitamente apto à fase sensório motora, desenvolvendo seus movimentos e sentidos. Entretanto, não é tão frutífero explorar a lógica da abstração de símbolos gráficos.

Os 6 primeiros anos são importantes

É justamente nesse período da vida que uma boa parte das transformações cerebrais acabam acontecendo. A exemplo, nascemos com mais neurônios que vamos precisar na fase adulta, então as sinapses não utilizadas acabam sendo apagadas. Até o quinto ano de vida, cada criança perde 100 mil conexões por segundo, algo que impressiona.

Pilares da verdadeira educação

A neuropsicopedagogia compreende o aluno como um ser afetivo, social, cognitivo e com desenvolvimento motor, perceptivo e psicomotor. Já o ser humano vai além, precisando ser entendido por seu meio sociocultural e por sua realidade cotidiana. Quanto ao primeiro meio, a aprendizagem se mostra espontânea justamente na concepção desse aspecto do ser.

Assim, as estratégias da educação de qualidade para o desenvolvimento humano adequado se mostram como aprender a:

  • ser;
  • fazer;
  • conviver;
  • conhecer.

Considerações finais sobre neuropsicopedagogia

A neuropsicopedagogia acaba se encarregando de clarear a visão sistêmica em relação ao campo do aprendizado no ser humano. Dessa forma, conseguimos encontrar as estruturas físicas, sociais e emocionais responsáveis pelo processo de aprendizagem do indivíduo.

De um modo geral, é uma excelente ferramenta para que possamos encontrar a melhor parte de nós quanto à inteligência e educação. Afinal, determinar o limite de suas capacidades superando os obstáculos traz grandes mudanças positivas ao seu desenvolvimento e dos demais.

Além da neuropsicopedagogia, outra maneira mais acessível de alcançar seu desenvolvimento é com o nosso curso 100% online de Psicanálise. Por meio dele, você consegue encontrar seu potencial, quebrando as barreiras a isso e obtendo clareza com um autoconhecimento profundo sobre esse aspecto. A chance de mudar sua jornada nunca esteve tão próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − quatro =