ludoterapia

O que é ludoterapia? Princípios e exemplos de atividades

Posted on Posted in Psicanálise, tratamento

Ainda que seja simples, o ato de brincar pode ajudar uma pessoa de modo terapêutico, de modo que ela consiga resolver problemas ou apenas aperfeiçoar seu potencial. Isso vale especialmente para as crianças, já que estamos falando do universo delas. Entenda o que é ludoterapia e alguns exemplos de atividades.

O que é ludoterapia?

A ludoterapia é um procedimento terapêutico direcionado em primeira mão para as crianças, validando o ato de brincar como auto-expressão delas. Em resumo, essa terapia emprega a ideia de que a brincadeira é um recurso valioso no desenvolvimento da criança. Dessa forma, ela pode superar suas dificuldades e alcançar seu potencial.

A ação de brincar em terapia se tornou a base de trabalho de diversas linhas de teoria da Psicologia. Tanto a Psicanálise, como o Humanismo e a Terapia Cognitivo Comportamental se esforçam para aprimorar o uso da prática. Assim sendo, o processo ludoterapêutico se mostra como uma possibilidade diagnóstica dentro dos atendimentos.

Por meio dos brinquedos, sala de ludoterapia dá a chance dos pequenos soltarem seus problemas e sentimentos. A brincadeira se torna o principal canal para que ela possa projetar externamente o seu modo de ser. Sendo uma linguagem natural para a criança, ela passa a ver que seu significado é comum a todos nós.

As condições favoráveis ao ambiente de desenvolvimento

Para entender em que consiste a ludoterapia, devemos focar em aspectos favoráveis ao desenvolvimento do processo. O primeiro é a autenticidade do terapeuta, sendo ele mesmo com o outro ajudando em seu crescimento. Experimentando as sensações que fluem do processo, tem mais condições de se aproximar e ajudar a diminuir barreiras.

Ademais, é preciso trabalhar a aceitação, consideração e interesse para que o clima de mudança seja alcançado. Basicamente, o terapeuta deve aceitar positivamente o que o paciente é e faz no momento para que a mudança possa chegar. Dessa forma, o profissional pedirá que o participante expresse seus sentimentos presentes e de maneira livre.

Por fim, é importante trabalhar a percepção empática para ser enfático na captação dos significados do outro e seus sentimentos. Através disso, o profissional encontra a porta aberta para mergulhar no mundo do indivíduo. Nesse caminho, conseguirá esclarecer tanto o que está na consciência dele quanto em seu mundo inconsciente.

Por que aplicar a ludoterapia nas crianças?

Sendo feita como uma abordagem especial ao público infantil, a ludoterapia foi criada sob medida. Uma das razões pelas quais é eficaz se encontra na inexperiência das crianças em não demonstrarem ainda o pensamento abstrato. A criança ainda não entende a complexidade em separar algo específico em uma prática e enxergam um procedimento complexo como uma experiência única.

Outra razão dos excelentes resultados é que a criança pode se manifestar por meio dos brinquedos. Tanto eles, quanto as brincadeiras, se tornam portais para que a essência dela se condense no ambiente. Consegue gesticular com a ajuda deles e montar o seu discurso dentro e após a terapia.

Não o bastante, a criança ainda possui uma capacidade linguística prematura nesta fase da vida. Com o auxílio dessa terapia, ela aprenderá a refinar seus pensamentos, emoções e comportamentos em qualquer ambiente. Ao fim, aprende a se comunicar de maneira mais efetiva consigo e com os demais.

Trabalho diversificado da ludoterapia: adultos também se beneficiam

Embora seja direcionada principalmente para quem passa pela infância, a ludoterapia também pode ser usada em jovens e adultos. Os processos terapêuticos diretos ajudam no conforto das ideias e crenças dos maiores, revitalizando suas perspectivas. Por meio disso, jovens e adultos podem ter insights e encontrar novas formas de pensar.

Leia Também:  Piper descobrindo o mundo: interpretação do filme

Em relação aos idosos, a caixa lúdica acaba por ajudar no vínculo emotivo dentro do atendimento clínico. Isso permite que pessoas de idade mais avançada melhorem a sua socialização. Suas questões com angústias, mecanismos de defesa e desejos inconscientes podem ser revisadas.

Por meio dela, é possível manifestar mais facilmente expressões internas para compreendermos os idosos. Com o manejo adequado, se melhora a condição de saúde e bem-estar mais sensível dessa faixa etária. Sem contar que serve como recurso preventivo de fácil aplicação para a melhora comunitária.

Ludoterapia Axline

Virgínia Axline também construiu pilares na ludoterapia para os atendimentos de crianças e adolescentes. Em seu trabalho, define psicoterapia infantil como uma experiência de crescimento para os jovens. Neste caminho as crianças podem ser liberadas de suas tensões e deixar seus sentimentos negativos se desfazerem.

Quando isso acontece, a ludoterapia Axline indica que elas passam a se conhecerem melhor e alcançar autocontrole. Essa abordagem fará com que se enxerguem como pessoas com potencial. Por fim,  as pessoas se ajustarão ao relacionamento humano de um jeito realista e mais saudável.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Caixa lúdica: ludoterapia em um box

A caixa lúdica dentro da ludoterapia se mostra como o universo interno da criança condensado em brinquedos. Além de servir como depósito próprio aos objetos, indica o símbolo de um espaço pessoal. Por isso que é comum os pequenos pintarem o objeto da forma que lhes convir para delimitar o seu espaço.

Melanie Klein indica que os materiais guardados devem ser pequenos, mas não o suficiente para caber na boca dos menores. Sem contar que os brinquedos deve ser representantes diretos da realidade. Respeitando a realidade cultural das crianças, elas precisam reconhecer esses objetos no ambiente real.

A exemplo, crianças indígenas não devem colocar um posto de gasolina na caixa porque não faz parte da rotina delas. Os materiais estruturados e não estruturados devem obedecer à realidade, como, por exemplo, um jacaré verde e não azul ou laranja. Abaixo segue uma lista dos materiais que podem ser colocados na caixa:

Materiais estruturados que podem ser utilizados para um cotidiano mais urbano

A lista de material para ludoterapia pode ser composta por:

  • Famílias de bonecos;
  • Famílias de animais domésticos e selvagens;
  • Índios;
  • Aeroporto;
  • Casinha com cômodos;
  • Bola;
  • Telefone;
  • Soldados ou policiais;
  • Armas de brinquedo;
  • Utensílios de enfermagem, cozinha ou ferramentas;
  • Porto com barcos pequenos.

Materiais não estruturados

  • Caixa de lápis coloridos e pretos;
  • Borracha;
  • Apontador;
  • Papel sulfite;
  • Papéis coloridos;
  • Tesoura;
  • Tinta guache;
  • Brinquedos de construção tipo de encaixes;
  • Pincéis;
  • Cola e/ou fita adesiva;
  • Massa de modelar;
  • Bloquinhos de madeira coloridos;
  • Panos e bacia com água.

Materiais estruturados

A proposta dos materiais estruturados é facilitar a expressão das crianças quando ao poder de entender o simbólico. Falando nisso, se deve colocar o conjunto e não o objeto separado, como por exemplo um aeroporto em vez de um só avião.

Exemplos de atividades de ludoterapia infantil

Quanto à ludoterapia, técnicas variadas se encarregam de tornar o trabalho mais dinâmico e enriquecedor aos participantes. Embora cada uma trabalhe como parte de um grande propósito, entregam conquistas individuais aos pacientes. Algumas delas são:

Balões de raiva

O terapeuta pedirá que uma criança encha um balão, amarre e imagine ele como um corpo e o ar como a raiva. A criança deve pisar em cima para que ele, a raiva, exploda. Após isso, o terapeuta explicará que se o balão fosse mesmo uma pessoa, explodir ele seria uma agressão.

Leia Também:  As 10 mais importantes habilidades cognitivas

Feito isso, a criança deverá encher outra bola, apertando a ponta em vez de amarrá-la. Agora a criança deve liberar o ar calmamente e em partes, segurando a ponta e o interior. No fim, o profissional repetirá a representação da raiva e como liberá-la sem se machucar ou machucar alguém.

Noticiário

Com mesas, cadeiras e papel, a proposta é que um noticiário seja construído dentro do consultório. O profissional introduzirá algumas histórias e a criança será o especialista para resolver algumas questões. Assim, o terapeuta pegará o telefone, simulando um telespectador, e trará uma questão para a criança como especialista resolver.

Enquanto resolve os questionamentos dos participantes imaginários, o pequeno resolve seus próprios problemas. Caso não consiga resolver à chamada do terapeuta, o profissional dará um consolo a ele com um fantoche.

Relaxamento com bolhas de sabão

Um dos jogos utilizados na ludoterapia mais acessíveis é a brincadeira com bolhas de sabão. Usando materiais acessíveis e detergente com água, as crianças devem fazer bolhas de sabão e brincarem. Nota-se que um dos primeiros impulsos é que estourem assim que começam a chegar neles.

Após algum tempo, o profissional pedirá que façam uma bolha maior, ensinando elas a inspirarem e expirarem mais profundamente. Ele deve deixar claro que a irritação e ansiedade pressionam o cérebro a precisar de mais ar. Respirar profundamente faz o cérebro acalmar, os pulmões trabalharem corretamente e os pequenos podem relaxar.

Considerações finais sobre ludoterapia

A ludoterapia se vale de um impulso natural da infância para trabalhar o desenvolvimento e transformação das crianças. Dessa forma, o ato de brincar ganha cunho terapêutico, ajudando os pacientes a se livrarem de suas pendências internas.

Contudo, isso não fica restrito apenas aos jovens, sendo bem aplicado a adolescentes e adultos também. Embora seja uma forma descompromissada de olhar aos problemas, ainda é bastante eficaz para lidar com eles.

Outra forma de revitalizar a sua vida além da ludoterapia é com o nosso curso 100% online de Psicanálise. As aulas te ajudarão a alcançar o seu potencial, compreendendo com mais clareza os seus movimentos inconscientes. Ao concluir a formação em nosso curso de Psicanálise, você terá uma nova perspectiva de vida conhecendo bem melhor as suas potencialidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =