Neuropsicoses de Defesa

As Neuropsicoses de Defesa: resumo de Freud

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

A psicanálise freudiana teve o efeito de uma revolução quando foi criada. Ela ainda é muito utilizadas nos dias de hoje. Ao fornecer uma melhor compreensão do funcionamento mental humano, também abriu caminho para outras técnicas de psicoterapia. Tais como terapias comportamentais e cognitivas que acabam envolvendo as neuropsicoses de Defesa .

Quais são as origens da psicanálise freudiana?

A psicanálise freudiana foi criada pelo médico Sigmund Freud (1856-1936). Morando em Viena, Freud dedicou o início de sua carreira à neurologia. É uma especialidade médica que trata de patologias do sistema nervoso.

Originalmente, ele usava a hipnose e a eletroterapia (terapia por meio de correntes elétricas). Mas insatisfeito com esses métodos, começou a buscar um novo tipo de tratamento.

Seu trabalho levou à criação da psicanálise, Freud usou essa palavra pela primeira vez em 1896. E logo que rapidamente obteve sucesso, Freud até recebeu o prestigioso Prêmio Goethe, em 1930. Infelizmente, a ascensão do nazismo forçou Freud, de origem judaica, a passar os últimos anos de sua vida em Londres.

Quais são os princípios fundamentais da psicanálise freudiana?

A principio, o funcionamento psíquico de uma pessoa pode ser dividido em três partes:

  • o “id”, que representa o inconsciente;
  • o “superego”, que reúne os diferentes valores morais de uma pessoa;
  • “eu”, que corresponde à consciência.

A psicanálise freudiana dá muito espaço ao inconsciente, decifra suas “mensagens” por meio de sonhos, atos fracassados e deslizes. Por isso, interessa-se também por mecanismos de defesa psíquica. E, em particular, as memórias o do inconsciente.

Além disso, também leva em conta os desejos sexuais. Freud considerou que os impulsos sexuais reprimidos estavam na criação de muitos distúrbios psíquicos. Como, por exemplo, o complexo de Édipo.

Para que serve a psicanálise freudiana?

A psicanálise freudiana é dirigida a pessoas que sofrem de neurose. Ou seja, um distúrbio psicológico que modifica seu comportamento, mas do qual eles têm consciência. Como, por exemplo, fobias, ataques de ansiedade e hipocondria.

Na maioria das vezes, a neurose está ligada a um trauma do passado. Ao trazê-la para fora do inconsciente ajuda a alcançar a cura. A psicanálise também é para pessoas que simplesmente desejam se conhecer melhor. E ainda viver em melhor harmonia consigo mesmas e com os outros.

Por outro lado, não trata as psicoses (patologias mentais graves, como a esquizofrenia) é melhor chamar um psiquiatra.

Como ocorre uma psicanálise freudiana?

Antes de mais nada, uma psicanálise freudiana pode exigir vários anos, muitas vezes de 5 a 10 anos. Com uma taxa de uma sessão por semana pelo menos (por volta de 45 minutos por sessão).

Normalmente a pessoa está deitada, o psicanalista está sentado atrás dele ou de frente para ele. Ele fala muito pouco durante as sessões, preferindo ouvir o que a pessoa está dizendo. E não só isso, mas ele orienta para o caminho certo, se necessário.

Ao longo de sua carreira, Freud escreveu diversos livros e artigos sobre o assunto. Uma delas, é a   “As Neuropsicoses de Defesa” de 1894.

Mecanismo de defesa

Para a psicanálise, o mecanismo de defesa é qualquer um de um grupo de processos mentais. Que permite a mente chegar a soluções de compromisso para problemas que ela é não pode resolver.

Por isso, muitas das vezes, o processo é inconsciente. Sendo que o acordo, em muitas ocasiões, envolve ocultar de si mesmo impulsos ou sentimentos internos. Eles ameaçam diminuir a autoestima ou provocam ansiedade.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Além disso, o conceito deriva de uma hipótese psicanalítica. Ou seja, tem forças na mente que se opõem e lutam umas contra as outras.

    Leia Também:  Como acessar o inconsciente: 7 vias para Freud

    Alguns dos principais mecanismos de defesa

    Esses principais, que vamos listar nos tópicos abaixo, são descritos pelos psicanalistas.

    • Repressão é a retirada da consciência de uma ideia, afeto ou desejo indesejado. Sendo que o reprime na parte inconsciente da mente. Por exemplo, esse mecanismo pode ser encontrado em um caso de amnésia histérica. Em que a vítima executou ou testemunhou algum ato perturbador. E  então se esqueceu completamente do próprios atos.
    • A formação da reação é a fixação na consciência de uma ideia que oposta a um impulso inconsciente temido. Imagine uma mãe que deu à luz um filho indesejado, por exemplo. Ela pode ter sentimentos de culpa, tornando-se extremamente superprotetora para convencer a criança e a si mesma de que é uma boa mãe.
    • A projeção é uma forma de defesa. Em que os sentimentos indesejados são transferidos para outra pessoa. Então, aparecem como uma ameaça do mundo externo. Por exemplo, uma forma comum de projeção ocorre quando um pessoa acusa outro de ter pensamentos hostis.

    Regressão e outros estágios

    • A regressão é a volta aos estágios anteriores de formas abandonadas de gratificação pertencentes a eles. Motivados por perigos ou conflitos surgidos antes. Uma jovem esposa, por exemplo, pode fugir para a casa dos pais. Isso ocorre depois que ela tem sua primeira briga com o marido.
    • Sublimação é o desvio de impulsos, muitas das vezes sexuais, para canais não instintivos. Para a psicanalise, a energia investida nos impulsos sexuais busca ter realizações mais aceitáveis socialmente. Como empreendimentos na arte, por exemplo.
    • Por fim, a negação é quando o consciente não aceita perceber que tem fatos dolorosos. Ao negar sentimentos sobre a homossexualidade, por exemplo, a pessoa pode fugir de pensamentos e sentimentos. A racionalização é a substituição de uma explicação segura e razoável para a verdadeira causa.

    CONSIDERAÇÕES FINAIS

    Por fim, os psicanalistas falam muito sobre o uso de um mecanismo de defesa é normal no funcionamento de uma pessoa. E não em si um sinal um problema psicológico. Mas muitos distúrbios psicológicos são caracterizados por usar muito essas defesas.

    Gostou do resumo de “As Neuropsicoses de Defesa” de Freud? E por isso, gostaria de saber mais sobre a psicanálise? Então, conheça nosso curso de Psicanálise. O curso oferece tudo o que você precisa saber sobre os aspectos mais importantes desta área.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    um × 2 =