Procusto na mitologia grega

Procusto: o mito e seu leito na mitologia grega

Posted on Posted in Comportamento, Conceitos e Significados

A mitologia grega conta que Procrustos era um homem de estatura e força extraordinárias que vivia nas colinas da Ática. Onde oferecia sua pousada a viajantes solitários. Quando o viajante dormia, Procusto amordaçava e amarrava-os diante de uma cama de ferro a quatro cantos.

No entanto, se o corpo da vítima fosse muito grande, ela amputava as partes do indivíduo, fossem os pés ou a cabeça. Ao contrário, se a vítima fosse pequena, ele quebraria o corpo com um martelo para alongá-lo.

Afirma-se também que ninguém jamais se ajustou ao tamanho da cama, pois Procrustes tinha duas camas, uma comprida e outra muito curta. Para saber mais sobre a história de Procusto na mitologia grega, continue a leitura!

O mito e seu leito na mitologia grega

À primeira vista, Procrustes parecia um homem gentil: ele oferecia sua casa como abrigo a qualquer viajante necessitado que por acaso o encontrasse. A casa tinha duas camas, uma curta e outra comprida.

No entanto, uma vez que o infeliz viajante escolhesse e se deitasse em uma delas, Procrustos fazia questão de fazer o mesmo caber na cama. Seja usando seu aparelho infernal para alongar suas extremidades ou martelando seu comprimento.

Essa tradição macabra continuou até que Teseu inverteu o jogo e desafiou Procrustos para ver se seu corpo cabia no tamanho da cama. Quando o estalajadeiro se deitou, Teseu o amordaçou e o amarrou à cama. Então ele o deu para tentar seu próprio remédio.

Cama de Procusto: Entenda

Teseu acabou lidando com seu anfitrião da mesma forma que tratava com seus convidados na cama. E mesmo que não saibamos qual das duas camas de Procrustes significava o fim para Procrustes, não poderia ter sido uma experiência prazerosa de qualquer maneira.

Logo, podemos concluir que estar no leito de Procusto , significa ser forçado a adaptar-se a uma situação muito difícil, que acarreta imensos sacrifícios e dores. Todavia, o significado de Procusto e a sua figura são usados na psicologia, para indicar uma síndrome com graves implicações psicopatológicas.

A Síndrome de Procusto na Psicologia

Por Síndrome Procusteano entende-se um transtorno mental particular que leva o portador a sentir uma dor aguda. Em outras palavras, uma tristeza pelo sucesso de outras pessoas, que sejam colegas, amigos ou parentes.

As pessoas afetadas por essa síndrome não apenas invejam os outros, mas também tentam impedi-los de alcançar seus objetivos pessoais. Logo, o sujeito sente grande desprezo pelos bem-sucedidos do proximo. No entanto, esse sentimento é apenas a expressão de um sentimento acalorado de inferioridade.

De acordo com esta síndrome, o paciente tem características de ser alguém fraco, inseguro e se sente ameaçado pelos méritos e qualidades dos outros. Por esta razão, ele não tolera que outros demonstrem qualidades maiores em certos campos. Por conclusão, muitas vezes o indivíduo se mostra injusto, chegando mesmo a sabotar os planos das pessoas ao seu redor.

Interpretação do Procusto na mitologia grega

O mito de Procusto na mitologia grega é interpretado e usado para se referir a indivíduos que tentam se livrar ou menosprezar todos que consideram melhores do que eles. Dessa forma, a pessoa que sofre da Síndrome de Procusto passa a viver no mundo que se constrói em sua mente. Isto é, em um universo paralelo que a leva a se desconectar da realidade.

Leia Também:  Símbolo do Autismo: qual é e o que significa

Na verdade, ele muitas vezes faz julgamentos irracionais com base apenas em suas ideias de como a realidade deveria ser. Por outro lado, sua tendência de se comparar com os outros o leva a pensar que, se os outros são brilhantes, isso significa que ele não é.

Perfil de pessoas com a Síndrome de Procusto

Embora seja verdade que a Síndrome de Procusto não seja identificada em nenhum dos principais manuais de diagnóstico de transtornos mentais. Ela agrupa uma série de comportamentos e características que parecem se repetir em certas pessoas no cotidiano.

De acordo com estudos, o perfil de uma pessoa com essa síndrome seria o de alguém que parece amável e gentil. Embora com enorme frustração, com baixa autoestima e com um sentimento de falta de controle sobre sua vida.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Para quem sofre da Síndrome de Procrustos, qualquer um pode se tornar inimigo. Por este motivo, costumam reagir a qualquer comentário se colocando na defensiva e atacando. Ou seja, tentando superar o seu rival e conter a ameaça percebida.

    Sindrome do Procusto no ambiente de trabalho

    Se trazido de volta ao local de trabalho, essa figura ocupa cargos importantes e experimenta os recém-chegados ou colegas brilhantes como uma ameaça contínua ao seu trabalho. As novas ideias são sempre vistas com suspeita e crítica exagerada.

    Na verdade, aqueles com síndrome de Procusto têm medo de cruzar o limiar de sua zona de conforto e se recusam a delegar. Ou seja, porque são obcecados em controlar cada passo para a outra pessoa não ser notada.

    No geral, as manifestações dessa síndrome podem ser rastreadas em todas as áreas da vida cotidiana, incluindo família e amigos. No caso da síndrome de Procusto, a competição não é nada saudável, mas visa afirmar a superioridade de um sobre o outro , que deve ser reduzida.

    Como lidar com alguém que tem esta síndrome?

    Não é fácil conviver com alguém que se comporta como Procrustos. Essa pessoa será obrigada a viver em guarda. Ou seja, esperando o próximo ataque, a nova humilhação ou um castigo exemplar.

    Dessa maneira, ser pisoteado pode fazer com que a pessoa reaja de duas maneiras: ou se resigna à humilhação e aos poucos vai ficando menor, obscurecendo toda a sua luz; ou acumula ressentimento e ódio. Nenhuma das duas situações é positiva.

    Portanto, se percebermos que alguém próximo a nós se comporta como o personagem mitológico. O mais conveniente é boicotar sua estratégia de ação sem perder a calma.

    Além disso, devemos estar cientes de que em alguns casos não podemos mudar sua maneira de ser e pensar, mas podemos evitar que seus ataques nos afetem.

    Considerações finais

    Espero que você tenha gostado de ler sobre o mito de Procusto e a síndrome do Procusto. Se você gostou do tema, convidamos você para conhecer o nosso curso online de psicanalise clínica.

    O Curso de psicanálise é ideal para aqueles que gostariam de aprofundar seus conhecimentos sobre as ideias psicanalíticas e comportamento humano. Além disso, com aulas 100% online e teóricas você poderá se tornar um profissional da área.

    Então, não perca esta oportunidade e realize sua matricula agora!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *