autores de psicologia fenomenológica

Psicologia Fenomenológica: princípios, autores e abordagens

Posted on Posted in Conceitos e Significados, Profissões e Psicanálise

A psicologia fenomenológica é considerada uma disciplina que estuda as relações entre consciência empírica e transcendental. É um método que utiliza a fenomenologia para auxiliar nas práticas de psicologia.

Entende o ser humano como protagonista da sua própria vida, e que cada experiência de vida é única. Dessa forma, mesmo que uma pessoa tenha uma experiência semelhante, não é o mesmo fenômeno. Isso acontece porque há uma visão em primeira pessoa dos acontecimentos.

Junção de psicologia com filosofia, a visão da teoria fenomenológica aborda questões existencialistas e de consciência. E é uma forma de nos fazer tomar as rédeas da nossa própria existência.

O que é psicologia fenomenológica

A psicologia fenomenológica concentra vários estudos e abordagens de fenômenos que acontecem e interferem na nossa vida. Porém, ela não faz uma abordagem direta do indivíduo.

Essa disciplina surgiu quando estudiosos e pensadores estavam, de certa forma, insatisfeitos com as teorias de Freud. É um estudo que propõe que cada um de nós sente o mundo de maneira diferente.

Nesse sentido, esse ramo da psicologia entende que, por mais que tenhamos experiências semelhantes com outras pessoas, não há relação. Não é a mesma coisa. Nossa maneira de sentir os fenômenos é única.

Fenomenologia e psicologia

A fenomenologia estuda as coisas da maneira como elas surgem ou se manifestam. Não busca explicar o fenômeno, mas como ele surgiu. Sua aplicação na psicologia, considera a experiencia que o indivíduo tem.
Assim, a abordagem da psicologia fenomenológica busca mostrar que:

  • aproximações cientificas estão diretamente conectadas ao modo de ser do indivíduo;
  • não há necessidade de se utilizar uma abordagem naturalista;
  • o individuo é protagonista da própria vida.

Dessa forma, somos entendidos como sendo os nossos próprios agentes. Ou seja, somos nós que fazemos acontecer. Por isso uma experiência de vida nunca será igual a outra, embora pareçam semelhantes.

Consciência Empírica x Fenomenologia

A consciência empírica trata de pessoas que respondem à estímulos no exato momento em que tiveram a experiência. A consciência empírica não requer comprovação cientifica. É o famoso “senso comum”.

Com isso, basta que o coletivo narre uma experiencia generalizada. Isso acaba fazendo dela algo real, mesmo que a ciência não apresente provas. Assim, a fenomenologia busca compreender o indivíduo pela sua própria experiência, sem o coletivo como determinante.

E, por isso, a psicologia fenomenológica busca separar os acontecimentos. Algo pode acontecer com um grupo, mas a experiencia será diferente para cada um. Porque cada vida é diferente, cada ponto de vista é único mesmo que a experiência seja comum a todos.

Consciência Transcendental

O pensamento transcendental advém de experiências interiores, sejam elas mentais ou espirituais. O transcendentalismo tem suas origens com o filósofo alemão Immanuel Kant, durante o século XVIII.

Para Kant, toda a nossa consciência é transcendental porque ela não está presa a um objeto. Ela se desenvolve a partir de camadas da nossa mente.
Dessa forma, algumas características do pensamento transcendentalista presentes na fenomenologia são:

  • Respeitar a intuição.
  • Evitar influências.
  • Sociabilidade.
  • Admitir que os sentidos têm limites.
  • Cada um de nós é original.

Um dos principais ramos da psicologia

A psicologia fenomenológica é considerada uma das três principais vertentes da psicologia, junto com a psicanálise e a psicologia comportamental. É, também, a vertente mais complexa da psicologia.

Leia Também:  Singularidade: significado em psicanálise

Ela busca refletir sobre a realidade na qual a pessoa está inserida. Trabalha com a experiência, com a vivência do indivíduo. Ou seja, como a realidade da pessoa influência no fenômeno. Por isso, é a área da psicologia que mais se aproxima da ciência.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Isso se dá porque a psicologia fenomenológica busca provas do fenômeno e do impacto dele na vida da pessoa. Através dessa análise direta se compreende o significado do fenômeno e se desenvolve o raciocínio sobre a questão.

    Princípios de psicologia fenomenológica

    A fenomenologia aborda os assuntos a partir do ponto de vista da primeira pessoa. É quando conseguimos classificar a diferença entre a razão e a experiência. Ela exclui as explicações cientificas, sendo a origem da explicação o próprio acontecimento.

    O que observamos ganha significado quando lhe dirigimos uma determinada intenção. Ou, algo só existe quando lhe atribuímos algum significado. Dessa forma, busca-se entender o significado do objeto e não apenas a sua veracidade.

    Na psicologia, a fenomenologia tenta compreender o contexto em que a pessoa está inserida. Além disso, busca compreender como a pessoa entende e enxerga o ambiente ao seu redor e qual a importância e significância dos fenômenos em sua vida.

    Autores de psicologia fenomenológica

    A psicologia fenomenológica recebeu a contribuição de diversos autores ao longo da história desde o seu desenvolvimento. Abaixo, selecionamos alguns dos principais nomes:

    • Franz Bentrano (1838 – 1917)
    • Edmund Husserl (1859 – 1938)
    • Martin Heidegger (1889 – 1976)
    • Jean-Paul Sartre (1905 – 1980)
    • Jan Hendrik Berg (1914 – 2012)
    • Amedeo Giorgi (1931 – atualmente)
    • Emmy van Deurzen (1951 – atualmente)
    • Carla Willig (1964 – atualmente)
    • Natalie Depraz (1964 – atualmente)

    Psicologia fenomenológica na nossa vida

    A visão fenomenológica na nossa vida pode trazer uma visão mais racional às questões e problemas. Passamos a ver as coisas pelo seu significado e importância do que pela coisa em si. Não pela veracidade do que acontece, mas pela importância que damos ao que acontece.

    É sobre o quanto carregamos de significado as questões que nos cercam. Às vezes, damos importância demais a algo que não requer tanta atenção. E isso nos consome e pode fazer muito mal ao nosso interior.

    A abordagem psicológica nos faz refletir de modo menos existencialista. E a ter uma posição mais analítica e direta sobre as coisas. Assim, deixamos a análise profunda para trabalhar mais o significado e importância que damos a algo.

    Conclusão

    A psicologia fenomenológica nos faz refletir sobre nossa vida usando uma ótica completamente diferente. Isso significa que somos testados a sair da zona de conforto e a encarar nossas vidas como verdadeiros protagonistas. Afinal, vivemos por nós e não pelos outros.

    Dessa forma, enxergando os acontecimentos sob uma outra perspectiva, encontramos soluções e saídas para questões que parecem insolúveis. Precisamos estar abertos a enxergar as coisas sem deixar que nossas opiniões influenciem.

    Abra a sua mente e expanda seus horizontes! A terapia pode ser uma saída para uma rotina cansativa. Ou representar a organização que você não consegue ter. Dê uma chance a outras perspectivas e alcance a paz interior!

    Venha conhecer mais

    Se você achou esse assunto interessante e quer saber mais de que forma a psicanálise e a psicologia fenomenológica podem ser usadas juntas, acesse nosso site e conheça nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online e com certificado. Aprofunde seus conhecimentos e compreenda mais aspectos de você mesmo e ajude outras pessoas! Transforme seus pontos de vista, ajude pessoas ao seu redor e expanda sua visão de mundo!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *