Psicologia hospitalar: técnicas e benefícios

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Mudança nem sempre é bem-vinda e pode trazer desafios muito complexos. Se essa mudança for para um hospital, tudo fica ainda mais intenso. Nesse contexto, é importante considerar os efeitos da psicologia hospitalar.

A mudança provocada com a saída de casa para o internamento no hospital pode ser um enorme empecilho na vida. O paciente deixa seu trabalho, estudos, hobbies e tudo que apreciava fazer para se enquadrar em um novo ambiente, completamente estranho. Algumas pessoas podem não saber lidar com o ambiente hospitalar e os novos hábitos.

Nesse ambiente, o indivíduo pode ter mais dificuldade para controlar e lidar com suas emoções. No entanto, o profissional de psicologia hospitalar está preparado para essas situações. Assim, saiba um pouco mais sobre psicologia hospitalar e a sua importância!

Conceito de psicologia hospitalar

A psicologia tem vários ramos e especialidades. Uma delas é a hospitalar, que trata de um momento delicado na vida do indivíduo. Quando ele passa por problemas de saúde e precisa de internamento hospitalar.

O hospital não é um ambiente em que queremos estar. O paciente perde toda a sua privacidade de casa, muda seus hábitos por completo, passa a ter horários para comer, depende de remédios e médicos o tempo todo… Ou seja, é algo complicado para qualquer pessoa.

A complicação é maior ainda quando o caso é de risco de vida ou traz uma grande mudança, como amputação de membros ou queimaduras. Assim, quando a causa do internamento leva a uma mudança a longo prazo na vida do paciente, o suporte psicológico é essencial para ajudá-lo a assimilar a situação.

O psicólogo hospitalar tem uma missão muito importante: dar suporte para que os pacientes aprendam a lidar com a situação atual, controlando emoções e pensamentos negativos. Afinal, deixar-se controlar por emoções negativas pode levar a problemas de saúde mental também.

Técnicas de Psicologia Hospitalar

A atuação do psicólogo hospitalar deve respeitar uma tríade. Ele é o ponto que conecta família-paciente-equipe hospitalar. Para isso, eles exercem algumas funções que não se limitam somente à terapia, como em outros ramos da psicologia.

Coordenação dos funcionários do hospital

Para que o paciente e a família se sintam seguros e confiantes, o hospital precisa estar funcionando bem. Desde o setor de limpeza até a diretoria, todos precisam trabalhar em sintonia para que o ambiente se torne mais acolhedor.

Na psicologia hospitalar, é possível identificar se os funcionários estão trabalhando em conjunto para atender às necessidades de pacientes e família. Dessa forma, o psicólogo tem uma visão geral do ponto administrativo e como a gestão irá impactar na vida do paciente.

Participação no processo de adaptação do paciente em sua chegada

O quarto está arrumado? Todos os equipamentos estão funcionando? O clima está agradável? Todos os funcionários trataram o paciente com educação? Essas são só algumas das questões que o psicólogo precisa fazer. A adaptação emocional do paciente também precisa vir com a adaptação à rotina do hospital e às suas acomodações.

Dessa forma, tudo está interligado. Por isso o psicólogo deve garantir que tudo esteja funcionando bem para a adaptação ser a mais tranquila possível.

Preparação dos profissionais de saúde para se comunicarem com pacientes

A psicologia hospitalar serve também para garantir que médicos, enfermeiros e funcionários do hospital em geral saibam como se comunicar.

Assim, além de saberem falar com o paciente, precisam saber falar com a família e entre si. Afinal, na tríade todos estão interligados e comunicação é essencial.

Alguns pacientes e famílias com diagnósticos mais sensíveis precisam ainda de mais tato para receberem notícias dos médicos. Assim, o psicólogo dá esse apoio para que o médico saiba dar notícias, por mais difíceis que sejam.

Recursos humanos

Em um hospital, o ideal é que o gestor de pessoas ou recursos humanos seja especialista em psicologia hospitalar. Assim, ele terá uma visão geral do sistema e saberá que ações tomar para que o serviço fique ainda mais eficaz.

Principais benefícios

O estado da saúde mental contribui muito para a saúde física e recuperação do paciente. O psicólogo então irá atuar para garantir a manutenção e melhoria da saúde mental considerando a tríade completa.

Melhoria da saúde mental de pacientes

Pacientes otimistas e dispostos a seguir a rotina em busca de melhorar com certeza terão mais chances de se recuperar. Sentimentos negativos como raiva e frustração liberam no corpo substâncias que não nos fazem bem. Existem diversas pesquisas que comprovam como sentimentos bons nos ajudam a ter mais qualidade de vida.

Eduardo Lambert, autor de A Terapia do Riso – A Cura pela Alegria (Pensamento), diz em seu livro que o riso libera endorfina e serotonina, substâncias que ajudam a prevenir infartos, AVC’s, trombose e outras doenças circulatórias.

Leia Também:  A psicanálise nos filmes de Woody Allen

Deixar de lado as emoções ruins e dar espaço para emoções boas é parte do processo de cura. Assim, o psicólogo ajuda o paciente a encontrar caminhos para controlar suas emoções e aceitar a situação atual, tirando dela o melhor possível.

Apoio para familiares e amigos

Familiares e amigos próximos também sofrem quando alguém que amam está passando por uma situação difícil no hospital. Eles também sentem dificuldades em controlar seus sentimentos e emoções, ficam cansados, estressados, ansiosos.

Mas qual é o benefício para o paciente em se sentir assim? O psicólogo vai ajudar o familiar a enxergar que não tem benefícios em cultivar emoções negativas sobre a situação. Também ajudará o familiar a dar suporte ao paciente, ajudando-o a lidar com a situação na ausência do psicólogo.

Profissionais de saúde humanizados

O acolhimento em um hospital é muito importante para o paciente. Assim sendo, ele precisa sentir que tem a devida atenção e dedicação para que seu problema seja resolvido ou amenizado.

Os profissionais de saúde vivenciam muitas situações no hospital. Vida, morte, alegrias, tristezas… Dessa forma, em um dia de trabalho, eles podem vivenciar as mais variadas situações. É normal que depois de um tempo se fechem e se tornem distantes, como forma de se proteger desses sentimentos mistos causados pelo hospital.

O ato de se distanciar totalmente pode demonstrar frieza ao paciente e família, como se a equipe hospitalar não fizesse parte da tríade. Assim, a equipe também deve aprender a lidar com essas emoções para que, de fato, possa dar suporte aos que precisam.

Como se especializar?

Para se especializar em psicologia hospitalar, é preciso antes ter graduação em psicologia. Assim, ao estar registrado no Conselho e apto a exercer a profissão, o psicólogo pode escolher fazer uma especialização em psicologia hospitalar.

O certificado de especialista não é exigência para conseguir emprego na área. No entanto, quem o tiver terá vantagens na hora de se inserir no mercado.

Outra forma de conseguir esse título é através do Conselho Federal de Psicologia. Com 2 anos de experiência comprovada no mercado, o psicólogo pode realizar uma prova teórica e prática para obter o título via CFP.

Além disso, caso você queira se aprofundar em uma abordagem psicanalítica, complementar à Psicologia, confira o nosso curso EAD. Trata-se de uma especialização relevante e aplicável em múltiplas áreas do conhecimento. Assim, confira as dúvidas frequentes sobre Curso de Psicanálise Online.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *