Sala de aula invertida

Sala de Aula Invertida: o que é, como funciona?

Posted on Posted in Formação

Novas tecnologias e ferramentas digitais trouxeram mudanças profundas na forma como ensinamos. Hoje existem novos modelos de aprendizagem, como a Sala de Aula Invertida, que viraram de cabeça para baixo a maneira tradicional como os professores dão aulas. Além disso, também modificaram a forma como os alunos realizam tarefas e constroem seus conhecimentos.

O que é Sala de Aula Invertida

O que é uma Sala de Aula Invertida e quais são seus benefícios? Trata-se basicamente de transferir o trabalho e certos processos de ensino e aprendizagem para fora da sala de aula.

Dessa forma, o aluno e o professor aproveitam melhor o tempo de cada aula para aprimorar, praticar e consolidar os conhecimentos que já viram fora da escola.

A Sala de Aula Invertida envolve a criação de um ambiente de aprendizagem colaborativo quando os alunos estão na escola. O modelo pedagógico inovador, que vem se expandindo ao redor do mundo, utiliza o sistema de aprendizagem semipresencial ou misto como uma evolução do sistema educacional convencional ou da classe tradicional.

Como funciona Sala de Aula Invertida

Para entender corretamente a metodologia da Sala de Aula Invertida, é preciso imaginar o aluno nesses dois cenários: quando  o ensino e aprendizado ocorre antes e durante a aula.

Quando essa metodologia é aplicada, o aluno começa a aprender a trabalhar fora da sala de aula. Para isso, ele faz uso de vídeos, podcasts, pesquisas na internet e outras ferramentas de TI (Tecnologias da Informação e Comunicação). Dessa forma, espera-se desenvolver processos cognitivos mais complexos que levem a uma aprendizagem significativa.

Em vista disso, o que o aluno aprendeu fora da sala de aula é compartilhado com outros membros da classe para se otimizar o tempo real na sala de aula. É nesse momento que o professor reforça o que aprendeu e dá o feedback.

Rede de aprendizagem invertida

A Rede de aprendizagem invertida refere-se a uma abordagem pedagógica na qual a instrução direta muda da dimensão da aprendizagem em grupo para a dimensão da aprendizagem individual.

Essa aprendizagem individual, dinâmica e interativa coloca o professor na posição de guia. O modelo de Sala de Aula Invertida aproveita a internet e a web para pesquisar, criar, publicar e sistematizar informações. O aluno então se torna um sujeito ativo, comprometido e responsável, que está disposto a explorar por conta própria os novos conceitos que são indicados pelo professor.

A Sala de Aula Invertida uma metodologia ativa de aprendizagem

A Sala de Aula Invertida dá ao aluno a liberdade de obter as informações iniciais sem a presença física do professor, aprendendo no momento e local de sua escolha. No entanto, essa metodologia não envolve a substituição do professor por novas tecnologias, mas sim a busca por maior interação dos alunos com o material do estudo. Dessa forma, ele aprende o conteúdo antes de ser debatido e trazido à reflexão na sala de aula.

Ao contrário da classe tradicional onde o professor transmite as informações, a Sala de Aula Invertida deve seu sucesso ao uso da tecnologia para fornecer recursos de treinamento aos alunos. Assim, os fundamentos da aprendizagem são construídos antes do professor entrar em sala de aula para abordar o assunto.

Aqueles que usaram esse modelo dizem que ele promove a aprendizagem ativa. As aulas, nesse contexto, propiciam o diálogo, a cooperação e o pensamento individual e livre. Em vista disso, o sistema acaba estimulando a criação de novas ideias.

História da Sala de Aula Invertida

O termo Sala de Aula Invertida foi inicialmente introduzido por Barbara Walvoord e Virginia Johnson Anderson em 1998. Essas professoras propuseram um modelo em que os alunos teriam uma primeira abordagem do material proposto antes de assistirem à aula. Elas falam sobre o assunto em seu livro sobre Sala de Aula Invertida: Effective Grading.

Para isso, elas apresentaram as informações aos alunos na forma de ensaios, questionários e outros recursos didáticos para que eles entendessem o conteúdo. Assim, eles poderiam sintetizá-lo e discuti-lo posteriormente em sala de aula.

Leia Também:  Psicologia Ambiental: o que estuda, como atua?

Benefícios para alunos

Personalização

O sistema se adapta melhor ao ritmo de aprendizagem de cada aluno, que pode investir o tempo que necessita para processar as informações e realizar suas tarefas.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Motivação

A Sala de Aula Invertida oferece uma maneira de acessar o conhecimento mais moderno, rico, familiar e motivador para os jovens. Assim, eles podem aproveitar todo o potencial do formato digital multimídia.

Colaboração

O professor tem tempo para criar um ambiente de trabalho colaborativo e dinâmico na sala de aula. Dessa forma, os alunos podem interagir para resolver problemas e projetos de forma colaborativa.

Atividade

O trabalho é mais focado na atividade dos alunos.

Competência digital

Consegue-se um melhor domínio das ferramentas tecnológicas eum maior desenvolvimento da competência digital. Isso porque os alunos devem utilizá-las diariamente para aprender e trabalhar.

Otimização

Permite um melhor aproveitamento do tempo do aluno, tanto na sala de aula como em casa. Afinal, as tarefas mais complexas são transferidas para a sala de aula e as mais simples são feitas em casa.

Autonomia pessoal

Com a Sala de Aula Invertida, o aluno passa a ter uma maior autonomia e responsabilidade com a sua própria aprendizagem. Isso porque essa metodologia permite que ele organize e planeje as suas tarefas.

Envolvimento da família

As famílias têm a oportunidade de se envolver na aprendizagem dos filhos e até de aprender com eles.

Benefícios para professores

Os professores conhecem os procedimentos de edição de conteúdo digital em formato de vídeo, animações multimídia, infográficos, áudios, podcasts, etc. Além disso, eles aprendem a fazer a sua publicação e divulgação a fim de que sejam disponibilizados para os seus alunos.

Motivação profissional

A imaginação e a criatividade são despertas na elaboração e compilação de recursos multimídia para os seus alunos. Consequentemente, há uma melhoria da motivação profissional.

Aprendizagem informal

O professor que aplica esse sistema reconhece a importância da aprendizagem em contextos informais. Isso acontece sobretudo porque eles não sujeitos a um espaço e tempo específicos.

Atenção à diversidade

A metodologia permite que o professor tenha mais tempo para se dedicar ao atendimento da diversidade de seu grupo.

Intercâmbio de ensino

Professores e alunos podem fazer uso de espaços de encontro na Internet onde eles compartilham informações e conhecimentos, além de trocarem vídeos e materiais. Dessa forma, acabam melhorando a qualidade do ensino.

Os 4 elementos-chave da aprendizagem invertida

Os quatro elementos mais importantes da aprendizagem invertida vêm da sigla que define sua essência: FLIP.

F = ambiente flexível

Os professores criam espaços de aprendizagem adaptáveis, mas são os alunos que escolhem onde e quando aprendem. Essa flexibilidade inclui não apenas os horários e locais de aprendizagem, mas também as expectativas de ensino e as avaliações dos alunos.

L = Cultura de aprendizagem

O tempo de aula é dedicado para a exploração de tópicos com maior profundidade, num tempo em que os alunos participam ativamente na construção de conhecimento, avaliando seu próprio aprendizado.

I = Conteúdo intencional

Para desenvolver um design instrucional adequado, é necessário selecionar de forma adequada os conteúdos e estratégias de trabalho que podem ser ministrados em sala de aula e aqueles que os alunos podem explorar por conta própria em casa.

P = Educador Profissional

A Sala de Aula Invertida exige que o professor forneça um feedback constante aos alunos para avaliar seu trabalho e ser reflexivo sobre a própria prática de ensino. Além disso, ele também precisa interagir com os outros colegas para melhorar a qualidade do trabalho de ensino e aceitar críticas construtivas. Por fim, também deve tolerar o “caos controlado” nas salas de aula.

Leia Também:  Psicologia Comunitária: como atua, qual missão?

Considerações finais

Não é possível afirmar que esse modelo pedagógico pode ser aplicado em 100% dos casos. Afinal de contas, é evidente que o aluno necessita de recursos e conhecimentos tecnológicos mínimos para ele dar certo. A verdade é que, se esses meios forem fornecidos, a Sala de Aula Invertida se torna mais eficaz do que o modelo tradicional.

Essa metodologia é, portanto, uma nova abordagem baseada no envolvimento e colaboração do aluno em um ensino mais individualizado.

Gostou do artigo que preparamos para você sobre a Sala de Aula Invertida? Convidamos você para fazer o nosso curso online de Psicanálise Clínica, onde você terá a oportunidade de conhecer novos temas relacionados a comportamentos do ser humano e a sua forma de pensar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 2 =