A Triste História de Eredegalda: interpretação da Psicanálise

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Desde os tempos mais antigos a literatura tem como objetivo trazer uma reflexão sobre o mundo em que vivemos. Através de analogias, metáforas e objetos transfigurados em outras formas, podemos captar valiosas lições. Esse é o caso do conto A triste história de Eredegalda, objeto de debate entre a classe mais conservadora.

História

Um poderoso e orgulhoso rei possuía três filhas muito belas, sendo que uma delas se destacava ainda mais do trio. Eredegalda, a mais bonita, foi surpreendida pelo seu pai quando este a pediu em casamento. Além de se tornar sua esposa, a jovem teria a própria mãe como criada pessoal dela. Como é de se esperar, a garota se recusou a oferta, alegando o absurdo da situação.

Como punição, o rei construiu três torres conectadas e a trancou lá dentro, afirmando que só comeria carne salgada. Além disso, estaria proibida de beber sequer um copo de água para matar a sede. Chorando sangue, pediu a ajuda das irmãs, mas estas lhe negaram. O mesmo aconteceu com a mãe, já que ambas temiam serem mortas pelo rei se desobedecessem.

Quando ela aceitou a proposta do pai, o mesmo enviou três cavaleiros, afirmando que o primeiro casaria com ela. Ao chegarem ao mesmo tempo, constataram que Eredegalda já estava morta de sede, rodeada por anjos e Jesus. Ambos acreditavam verem outro anjo vindo do céu, mas se tratava do espírito da moça, vestindo véu e grinalda.

Interpretação

Podemos associar A triste história de Eredegalda a um período de transição da fase infantil para a adulta. O desejo paterno pela filha denota a substituição do velho pelo novo, onde a filha ficaria no lugar da mãe. Historicamente falando, a postura das personagens femininas indica uma subversão à vontade masculina.

A recusa de Eredegalda em aceitar a proposta do pai e da própria família indica uma relutância com mudanças biológicas. Isso porque suas lágrimas de sangue remeteriam diretamente à menstruação da moça, indicando o início da fase adulta. As torres corresponderiam a passagem da infância à adolescência, adolescência à maturidade e maturidade até a morte.

Caso olhemos a história como um todo, poderemos sugerir que se trata de um “Complexo de Electra” ao contrário. Em momento algum Eredegalda anseia o amor do pai e a derrota da mãe a fim de tomar o seu lugar. A jovem recusa a autoridade imposta pelo pai e faz o que pode para não atendê-lo. Dada à sua pureza de corpo e espírito, teria credencial para ir ao céu, já que faleceu.

Representações

Ainda que a história de Eredegalda cause desconforto pelo o seu desfecho e elementos, a postura dos personagens indica muito sobre nós. Figurativamente falando, muitas pessoas e atitudes são representadas nesse conto, o que permite uma reflexão a quem possui mente aberta. Isso se assume em:

Autoritarismo

Na época em que o conto é retratado, a postura e palavras dos homens eram ditas como leis. As mulheres, independentes de quem fossem, deveriam servi-los sem questionar, atendendo a qualquer desejo. Caso o contrário, assim como na história, elas seriam punidas da pior forma. A barbárie e tortura não tinham limites, assim como o desejo do patriarcado.

Subserviência

A sua mãe e suas duas irmãs recusam ajudar a jovem pelo mesmo motivo: o medo da represália do rei.

Em pleno século 21, a história se repete com personagens parecidos, embora ambiente diferentes. A figura masculina ainda causa muito medo para as mulheres, dado o nosso próprio histórico social. De forma bruta até, os homens têm liberdade para agirem brutalmente com elas.

Leia Também:  Estratégia do Oceano Azul: 5 lições comportamentais do livro

Defesa

A juventude de qualquer época não reage bem a qualquer tipo de autoritarismo das convenções. Aqui ela é representada por Eredegalda, que já de imediato recusa o absurdo proposto pelo pai. Com as ferramentas que possui, luta bravamente para não ceder à vontade direta dele. Infelizmente, assim como muitos, sucumbe diante de um adversário maior.

Alguns elementos a serem observados

Como dito linhas acima, há diversas minúcias a respeito de A história de Eredegalda que evocam à reflexão. E preciso deixar passar algum tempo para absorver melhor a intenção da história. Em geral, são esses pontos trabalhados na história:

Transição da juventude à fase adulta;

Autoritarismo do poder;

Resistência contra o patriarcado;

Submissão ao poder em vigência

Polêmicas

Por conta da temática abordada em A triste história de Eredegalda, O MEC decidiu recolher o livro que guarda o conto. Uma ordem proferida pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, trabalhou para retirar o livro das escolas. A obra Enquanto o sono não vem, que inclui A triste história de Eredegalda, foi vista como inadequada por ele.

Assim, embora tivesse sido avaliado pela UFMG e obedecido os critérios do próprio MEC, teve sua distribuição barrada. O ministro avaliou as temáticas como incesto, tortura e morte forte demais às crianças. Nesse caminho, a decisão parcial do Ministério deveria abordar outras histórias, já que partem de temas semelhantes. Por exemplo, Chapeuzinho vermelho.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Podemos notar que a polêmica se deu exclusivamente por posturas ideológicas a respeito dos temas. Há um conservadorismo impregnado em nossos tempos que inibe uma abordagem a temas que cabem no desenvolvimento da criança. Isso porque, mesmo sendo temáticas sensíveis a alguns adultos, ajudam as crianças a se defenderem de alguns males.

Comentários finais: A triste história de Eredegalda

A triste história de Eredegalda parte do princípio de que devemos resistir às imposições. A personagem possui princípios que, ao serem violados, evocam a vontade de resistir. Isso reflete diretamente a luta da juventude diante das vontades do poder. Nem sempre vencem, assim como a personagem, mas deixam valiosos ensinamentos.

Infelizmente, ao que parece, precisamos evoluir bastante no que trata da educação social. Privamos indivíduos de aprenderem temas complicados, acreditando que os estamos protegendo. Se tiramos a informação, sua maior arma em qualquer idade, como iremos municiá-los?

Além do mais, algumas questões ganham furor pela forma como se apresentam. Ainda que trate de temas delicados, a forma de conversar sobre influencia bastante. A mensagem deve ser enviada de forma que o indivíduo entenda de acordo com suas capacidades mentais. Devemos ter em mente que a educação aborda bem mais do que a decoração da sala de aula.

Para entender mais sobre esses e outros temas, faça o seu cadastro em nosso curso online de Psicanálise. A ferramenta é livre para qualquer pessoa que busque por um maior esclarecimento sobre a vida. Isso permitirá que tenha clareza sobre diversos tópicos inerentes à sua vida.

Nossas aulas transmitidas via internet garantem a comodidade de que você precisa para estudar tranquilamente. Sua rotina permanece a mesma, uma vez que você estuda quando e onde puder. Além disso, nossos professores são especialistas renomados no assunto. Com a ajuda deles, poderá trabalhar adequadamente o rico material dos módulos e apostilas.

Entre já em contato com a nossa central e garanta sua vaga em nosso curso de Psicanálise. Caso tenha gostado sobre este post sobre A triste história de Eredegalda, compartilhe-o com seus amigos! Além disso, continue ligado aqui no blog, onde sempre estamos comentando e discutindo temas interessantes para o comportamento humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =