Significado de academicismo: seus prós e contras

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Por acaso você já encontrou alguém em sala de aula que usava um vocabulário extremamente rebuscado para a idade? Ou, em alguma conversa descontraída, teve de lidar com alguém que usa muitos jargões que, para o momento são impróprios? Porvavelmente ficou se perguntando a respeito das motivações para alguém agir assim. No artigo de hoje, o academicismo é tópico central e discutiremos questões como essa.

Se você já ouviu falar sobre academicismo, mas quer saber mais sobre o assunto, este artigo também pode ajudar. Abordaremos aqui a definição desse termo no dicionário, além de explorar seu conceito os prós e os contras relacionados ao tema.

Academicismo segundo o dicionário

Começaremos pela definição dicionarizada do termo, principalmente tendo em vista quem não faz ideia do que ele quer dizer. Para início de conversa, academicismo é um substantivo masculino. Essa palavra tem sua origem na junção de acadêmico + ismo. Entre as definições do termo, encontramos:

  • Conduta acadêmica;
  • O comportamento da pessoa que faz parte da academia;
  • O modo de agir de quem parece pertencer a acadêmia;
  • Tendência para se preocupar com questões especulativas ou com os detalhes de determinada questão;
  • Respeito ou obediência aos preceitos tradicionais de uma área do conhecimento.

Por fim, academicismo tem como sinônimo o academismo. Lembre-se de que, neste caso, não estamos falando de academia no sentido de lugar propício à prática de exercícios físicos. Trata-se de academia no que tange o mundo universitário, onde há a prática da pesquisa e desenvolvimento da ciência.

O que é academicismo

Para contextualizar o que acabamos de dizer, tenha em mente que o academicismo originalmente designa o método de ensino artístico profissionalizante concebido, formalizado e ministrado pelas academias de arte europeias.

Ele teve sua origem na Itália em meados do século XVI. Este método influenciou todo o mundo ocidental ao longo de vários séculos. Além disso, impactou várias sociedades não-ocidentais por conta das conquistas do colonialismo.

Porém, mesmo com o impacto, os termos relacionados não são aplicados de maneira igual em todas as áreas. Em algumas, se refere à versão do método consolidada na Academia Real de Pintura e Escultura da França. Sendo que essa foi fundada em Paris em 1648 por um grupo de pintores liderados por Charles Le Brun.

Nesse contexto, Le Brun impôs uma pedagogia fortemente sistemática, hierarquizada e ortodoxa. Essa proposta francesa fez sucesso e se tornou o modelo para a fundação de inúmeras outras escolas superiores de arte. Inclusive, ela foi de grande importância para a evolução das correntes barroca, neoclássica e parte da romântica.

Por outro lado, os demais escritores contemporâneos preferiam empregar o termo para descrever um estilo particular. Esse, por sua vez, teria nascido nos círculos das academias ou por sua influência, também denominado arte acadêmica ou estilo acadêmico.

Por fim, muitos autores, se referem especialmente à arte produzida no âmbito das academias. Os pesquisadores, principalmente, se voltam aos efeitos do modelo acadêmico sobre as artes visuais, em especial, a pintura.

O academicismo da academia

Como dissemos, o termo assumiu significados diferentes considerando contextos diferentes. Dessa forma, o academicismo também é relacionado ao que se é feito dentro da academia e até à maneira como as pessoas se comportam. Dessa forma, inclui a maneira como se fala, projetos e comportamentos de modo geral.

Por exemplo, quando uma pessoa fala usando muitos termos, ela está sendo academicista. O grande problema é, a pessoa limita seu público, afinal nem todo mundo conhece os termos. Assim sendo, é possível estabelecer uma relação com o que dissemos lá em cima, no primeiro parágrafo. Há quem exagere nesse comportamento.

Problemas do academicismo

Além do que já citamos, o academicismo não produz aproximação, uma vez que o uso excessivo de falas e práticas demonstra certo pedantismo. Além disso, afasta a sociedade da academia e do que é produzido. Dessa forma, pode ocorrer até uma aversão as academias e tudo que vem dela.

Além dessa questão social, o academicismo é caracterizado por um ensino reprodutor. Nesse ensino há pouco cooperação entre alunos e professor. Assim sendo, o professor sempre estará em uma posição superior, e espera-se aluno só irá reproduzir o que o professor disse. Raramente se terá a oportunidade de questionamento e participação efetiva.

A aula começa sempre de uma mesma forma, tem horário reservado e tudo é friamente programado. Dessa maneira, muitas vezes o aluno não aprende de verda o conteúdo; apenas decora.

Os prós do academicismo

Apesar do preconceito que vem se estabelecendo contra o academicismo, há uma força de aproximação por parte de alguns alunos. Há uma tentativa de abertura das universidades para a sociedade.

Leia Também:  Não leve por trás: 7 dicas para não ser enganado

Além disso, é importante falar que, independente da aceitação social, a academia continua produzindo. Essa produção pode ser voltada para várias áreas sociais. Ou seja, as pesquisas acadêmicas ajudam a sociedade resolver suas questões.

Outra questão tem a ver diretamente com o academicismo da arte. Pois, apesar do tempo, difusão e depois o preconceito, ele permanece até hoje.

Com essa parte do post, o que queremos deixar claro é que em si, a prática acadêmica nada tem a ver com a prática do academicismo. Dentro do espaço da sala de aula, do laboratório e das conferências científicas, indicar que você é um excelente acadêmico faz parte do que espera-se de um bom profissional da área.



Contudo, a escolha de extrapolar os limites do âmbito acadêmico é comumente compreendida por outras pessoas como um sinal de pedantismo. Seja em casa, com a família, ou em uma reunião informal com amigos, o excesso de academicismo é algo que não pega bem.

Se você dor um indivíduo preocupado com as mensagens que o seu comportamento passa para outras pessoas, saiba que esta é uma boa de evitar. Assim, ao interagir informalmente com alguém, o faça por completo. Não necessariamente a postura de acadêmico te torna admirável aos olhos dos demais. É melhor se misturar do que ser o chato do grupo.

Comentários finais: academicismo

Vimos neste post que o academicismo começou como algo mais restrito às artes. Contudo,  com a abrangência em países não ocidentais, ele assumiu outros significados. Vimos também que, por exemplo, abusar desta prática pode ser extremamente prejudicial para os relacionamentos humanos.

Isso ocorre porque o academicismo, ao longo do tempo, pode ter afastado as pessoas de dentro e fora da academia. Porém, mesmo que isso seja verdade, uma não vive sem a outra. Seja através de pesquisas, ou investimentos, posicionamentos, ensino essa dependência acadêmica permanece em contextos que nem sempre precisam ser discutidos com literalmente todo mundo.

Ou seja, há pontos complicados no academicismo, mas também há coisas boas que merecem reconhecimento. Para saber como lidar com questões positivas e negativas de um comportamento assim, bem como compreender suas raízes, vale a pena fazer um bom curso de Psicanálise. Nós oferecemos uma ótima formação em Psicanálise Clínica EAD totalmente online. Confira nossos conteúdos, matricule-se e torne-se um psicanalista!

 

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =