deusa do amor

Afrodite: a deusa do amor na mitologia grega

Posted on Posted in Comportamento

A deusa do amor e fertilidade, chama a atenção de todos em qualquer lugar que é citada. Paralelo a isso, você saberá ainda mais sobre a deusa Afrodite e o decorrer de sua fama na história da Grécia Antiga.

Quem é Afrodite?

A deusa do amor na mitologia grega, a Afrodite deusa, uma das doze divindades do Olimpo, foi associada ao amor, à beleza e à fertilidade. Mais tarde, os romanos a incorporaram ao seu panteão e a renomearam como Vênus.

A origem da deusa na mitologia grega

Segundo os mais antigos mitos gregos, a deusa do amor nasceu quando o titã Cronos cortou os órgãos sexuais de seu pai, Urano, e os jogou no mar. Ela é o resultado do contato do esperma de Urano com o mar. Afrodite saiu totalmente desenvolvida da espuma que se acumulou na superfície da água.

O que significa Afrodite

Seu nome vem de afros, palavra grega para espuma. Um mito diferente de seu nascimento a apresenta como a filha do governante dos deuses, Zeus, e uma deusa menor chamada Dione.

Os romances

A conexão de Afrodite com o amor se reflete nas muitas histórias sobre seus casos românticos. Ela era casada com Hefesto, o deus do fogo e dos ferreiros. Embora ela tivesse frequentemente casos de amor e filhos com outros deuses, como Ares, Hermes, Poseidon e Dionísio, ela desejava a fúria de seu marido ciumento.

Filhos

Entre os muitos filhos da deusa do amor, podemos mencionar Deimos e Fobos, que ela gerou com Ares, e Erix, filho de Poseidon.  Além disso, também era a mãe do herói romano Enéias, que ela teve com o pastor Anquises.

O amor de Afrodite que gerava disputa

O belo e jovem Adônis era outro dos grandes amores de Afrodite. Perséfone, a deusa do submundo, também se apaixonou pelo jovem ao conhecê-lo, quando ele chegou ao submundo após ser morto por um javali.

A morte de Adônis não manchou a afeição de Afrodite por ele, e uma disputa acirrada começou entre as duas deusas. Zeus resolveu o conflito, instruindo o jovem dividir seu tempo entre as duas deusas.

Afrodite e a Guerra de Tróia

O papel da deusa foi um dos fatores que levou ao início da Guerra de Tróia. Durante o casamento de Tétis e Peleu, a deusa da discórdia apareceu e jogou uma maçã, para a mais bela deusa, o que gerou uma disputa entre Hera, Atenas e Afrodite.

Para evitar conflitos, Zeus nomeou o príncipe troiano Páris como juiz neste concurso, forçando-o a decidir qual das três deusas era a mais bonita. Cada deusa tentou subornar Paris com presentes generosos. Mas o jovem príncipe encontrou a oferta de Afrodite, de dar a mulher mais bonita do mundo, como a melhor.

Páris e Afrodite

Páris declarou Afrodite a mais bela das deusas e ela manteve sua promessa ajudando-o a conquistar o amor de Helena, esposa do rei Menelau de Esparta.  Depois de conquistar seu amor, Páris sequestrou Helena e a levou para Tróia com ele. As tentativas dos gregos de recuperá-lo resultaram na Guerra de Tróia.

Influência da deusa do amor na guerra

Afrodite continuou a influenciar os eventos durante os dez anos que a guerra durou, em várias fases do conflito ela ajudou os soldados troianos.

Enquanto isso, Hera e Atenas, que ainda estavam ofendidas com a escolha de Páris, vieram em ajuda dos gregos.

O mito de Afrodite no contexto

A inclusão dela no panteão grego foi tardia em relação a outros deuses, e sua presença provavelmente foi adotada de cultos de culturas do Oriente Próximo que tinham deusas semelhantes.

Afrodite e Astarte compartilham mitos semelhantes a respeito de sua ligação com um jovem amante bonito (Adônis) que morreu jovem.  Esta história conecta Afrodite como a deusa da fertilidade com um deus da vegetação, cujo ciclo dentro e fora do mundo dos vivos representa o ciclo das colheitas.

A importância da beleza de Afrodite no tempo dos antigos gregos

Os antigos gregos davam grande importância à beleza física porque acreditavam que o corpo físico era um reflexo da mente e do espírito.  Ou seja, uma pessoa bonita, de acordo com os gregos antigos, tinha mais probabilidade de ter habilidades mentais e características de personalidade mais desejáveis.

Leia Também:  Mania de limpeza: como saber se passou do limite?

Outros nomes

Em todo o mundo ocidental, Afrodite é reconhecida como o símbolo do amor e da beleza. Mas existem diferentes interpretações de Afrodite com base nas duas versões diferentes de seu nascimento

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Afrodite Urania: Nascida do deus celeste Urano, ela é uma figura celestial, uma deusa do amor espiritual.
    Afrodite Pandemos: Nascida da união de Zeus e da deusa Dione, ela é uma deusa do amor, da luxúria e da pura satisfação física.

    A deusa do amor é frequentemente associada à espuma do mar e conchas devido às suas origens, mas também está associada a pombas, rosas, cisnes, golfinhos e pardais.

    A deusa do amor na arte e na vida cotidiana

    Ela aparece nas obras de muitos escritores antigos. A lenda de seu nascimento é contada em A Teogonia de Hesíodo. Afrodite e seu filho Enéias são fundamentais para a ação do poema épico de Virgílio, a Eneida. E não apenas isso, a deusa é também o tema da obra mais famosa do escultor grego Praxiteles, que completou a Afrodite. Embora esta estátua tenha se perdido, ela é conhecida pelas muitas cópias feitas.

    Obras e filmes

    Afrodite também foi o foco de uma das criações mais famosas do pintor renascentista Sandro Botticelli, O Nascimento de Vênus (1482-1486). Contudo, Afrodite e sua contraparte romana Vênus continuam a representar os ideais de beleza feminina na cultura ocidental moderna. Ela já apareceu como personagem em filmes como:

    • “As Aventuras do Barão Munchausen” (1988);
    • na televisão como personagem da série “Xena: Princesa Guerreira” (1995-2001);
    • “Hércules: Jornadas Lendárias” (1995-1999).

    Curiosidades

    Entre todas as curiosidades, selecionamos as mais famosas, confira.

    • Diz-se que Afrodite não teve infância porque em todas as suas representações e figurações ela era adulta e insuperável em beleza.
    • O segundo planeta do sistema solar, Vênus, ganhou esse nome pelos romanos, por identificarem que a “estrela” (como era chamado na época) como sendo a Afrodite.
    • Afrodite preferia o viril deus Ares o deus da guerra. Ela também teve um relacionamento ardente com Adônis, um deus que permaneceu jovem para sempre e era terrivelmente bonito.
    • Afrodite nunca foi uma criança. A mesma era sempre retratada já como uma adulta, nua e sempre bela; Em todos os mitos ela é retratada como sedutora, charmosa e vaidosa.
    • O Hino Homérico (divindades da mitologia grega com hinos) tem o número 6 dedicado à deusa do amor.

    Considerações Finais

    Por fim, a Afrodite como pudemos ver é uma deusa bem aclamada, por ser sempre a mais bonita. Além disso, sempre tinha conflitos entre as outras deusas, pois chamava a atenção de todos os deuses.

    Afrodite não possui uma imagem verdadeira, apenas a retratam como a mais bonita. Se gostou desse artigo e deseja ler outros temas, se inscreva em nosso curso online de Psicanálise Clínica. Afinal, o nosso curso ajudará você a desenvolver o seu potencial.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.