Alimentação Aliada a Mente: Definição Psicanalítica para o Termo

Posted on Posted in Psicanálise e Cultura

Observemos hoje em dia como a sociedade se encontra: Quais são suas buscas? Quais são seus anseios? Em que ambiente estão vivendo ou trabalhando? Qual a estrutura de sociedade que está se formando?  O que pode acontecer futuramente se a estrutura psíquica do meio não estiver em equilíbrio, ou que pelo menos se tenha uma busca para tal? Vamos avaliar algo básico, porém importante, como por exemplo a alimentação.

A origem da alimentação do homem

Como era o tipo de alimentação do princípio comparando com a que ocorre atualmente? Falando especificamente da carne, notaremos que, nos primórdios, se quisessem comê-la, deveriam caçar. A carne era então limpa no local, escorria-se o sangue e depois era levada para a família.

A carne do animal selvagem era fresca, muito diferente de hoje em dia, em que se vai ao açougue para comprá-la. Nós não sabemos a sua origem, nem se foi devidamente armazenada. Desse modo, a população tem estado mais doente. Isso é algo que se deve levar em conta.

O motivo do referido exemplo é para mostrar que a alimentação tem importância fundamental ao nosso corpo. Sendo o corpo bem cuidando, a parte psicológica terá um bom funcionamento. (Corpo são, mente sã e vice-versa.)

A importância da alimentação para um psicológico equilibrado

Freud, em sua primeira tópica, mostra a divisão da mente em Inconsciente, Consciente e Pré-consciente. Já em sua segunda tópica, conhecida como Teoria Estrutural ou Dinâmica, mostra como o consciente é uma parte pequena da mente e que há um tipo de luta entre as estruturas Id, Ego e Superego .

Essas estruturas vão nos dizer como agir ou tomar decisões ou, até mesmo, exteriorizar conflitos internos manifestando-se fisicamente ou por sonho.

No artigo escrito por Andréa Pereira de Lima, “ O Modelo estrutural de Freud e o cérebro: uma proposta da integração entre a psicanálise e a neurofísica” , a autora mostra, de forma muito interessante, como a segunda tópica está dentro da parte neurológica. Sendo assim, para que a parte neurológica funcione, é importante a alimentação equilibrada.

Os problemas decorrentes de uma má alimentação

Hoje sabemos que a indústria alimentícia tem dominado o mercado. Além disso, vemos como os seus produtos, embalados e prontos para consumo, tem conseguido atrair a população.

O que não se tem percebido, pela maioria, é que esses produtos com alto índice de açúcar, sal e óleo tem colaborado para que muitas doenças dominem o corpo. E se as células nascem com deformidade, automaticamente, nosso corpo adoece. Desse modo, nosso cérebro adoece e assim as estruturas da tópica descontrolam e o ego não consegue entrar em equilíbrio entre o id e o superego.

Na formação de nossa personalidade, que, segundo Freud, ocorre entre o período da infância e o início da adolescência, a criança está se alimentando de forma desequilibrada, com muito açúcar, farinha branca, sal e óleo.

Essa é uma alimentação altamente estimulante e faz com que o pâncreas tenha que trabalhar muito para produzir insulina e controlar a glicose. Mas o ponto principal é que se a criança não nutre suficientemente o cérebro de maneira correta, como é que ela pode formar uma boa personalidade? Se ela está deprimida, ansiosa, com alto índice de glicose – que pode causar até a diabete infantil – o que fazer? Se torna difícil ajudá-la na parte emocional pelo fato de sua alimentação estar totalmente errada.

Os benefícios físicos e psíquicos de uma alimentação correta

As frutas, legumes e cereais são riquíssimas em nutrição e auxiliam na qualidade celular. Sem uma boa célula, não se tem um corpo saudável, nem ao menos uma mente saudável.

Creio que é fundamental a união da boa alimentação com o tratamento psíquico. Nosso corpo é como uma esponja, que absorve o que se tem. Um exemplo: se uma criança assiste filme de terror, consequentemente irá sonhar a noite, pois, como Freud explica, o sonho, além de ser “uma realização disfarçada de um desejo reprimido”, também é uma “regressão do funcionamento do ego”. Então, por medo ela irá ter pesadelo. Assim também é o nosso corpo: se nos alimentarmos de forma ruim, nosso corpo irá responder da mesma forma.

Creio que se combinarmos o controle alimentar, incluindo na mesa, frutas, verduras, legumes, cereais e diminuindo bolos, sorvetes, refrigerantes, bolachas, frituras, pães, e acrescentar os hábitos como o de tomar mais sol, beber mais água e praticar mais exercício físico, o apoio psíquico terá um avanço imenso.

Id, Ego e Superego e a relação com a alimentação

Sendo assim, será mais fácil o acompanhamento e um resultado mais rápido e correto. Irá se liberar a mente embotada e assim um alívio para o id, o ego e o superego entrarem em um equilíbrio, ajudando então o analista a concluir de forma mais eficaz o seu trabalho.

É interessante notar como o nosso corpo responde de forma rápida a um tratamento que inclua alimentos leves e naturais. Por isso, percebemos o quanto mexe em nosso humor, em nosso intestino e, é claro, na nossa mente.

Se conseguíssemos levar essa conscientização da mudança de dentro para fora, do inconsciente para o corpo e do corpo para outros, seria mais fácil sabermos quem realmente somos.

O que você pensa sobre esse assunto?

Como está a sua alimentação? Você percebe alguma diferença em seu estado psíquico quando passa o dia comendo algo mais leve e nutritivo? Então compartilhe com a gente a sua opinião sobre o assunto no espaço de comentários.

Além disso, você pode navegar pelo nosso blog e conhecer diversos textos dos alunos do nosso curso de Psicanálise Clínica. Aproveite para conhecer ainda melhor essa ciência que muda a vida e os relacionamentos de tanta gente.



O artigo presente foi escrito por Aline Bresciani de Araujo, Aluna do nosso curso de Psicanálise Clínica.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − um =