Você sabe o que é alopecia? Então, saiba que é a perda de cabelos. Portanto, para saber mais sobre isso, confira nosso artigo!

O que é Alopecia: causas físicas e emocionais

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Você sabe o que é alopecia? Então, saiba que é a perda de cabelos em áreas que ele deveria estar crescendo. Assim, ela acomete tanto mulheres, quanto homens. Portanto, para saber mais sobre isso, te convidamos a ler o nosso post. Confira agora mesmo!

O que é alopecia?

Nos dicionários online,  o significado de alopecia está relacionado como uma doença. Pois, essa patologia está ligada a perda total ou parcial dos cabelos e pelos. Ademais, pode ser temporária ou permanente.

Então, a alopecia é uma condição que acontece de forma repentina. Assim, a pessoa perde cabelo no couro cabeludo ou em outra região do corpo. Como já dissemos, pode ocorrer com as mulheres e homens de qualquer faixa etária.

Quais são as causas da alopecia?

Nesse sentido, as causas para esta doença podem ser por inúmeros fatores. Logo, por influências genéticas, doenças sistêmicas ou processos inflamatórios.

Além disso, a alopecia pode acontecer como efeito colateral do uso de alguns medicamentos. Em especial, os que são usados no tratamento para o câncer. Ademais, dentre outras causas estão:

  • produtos químicos;
  • estresse;
  • reação hormonal pós-parto;
  • doenças e condições subjacentes;
  • menopausa;
  • má alimentação;
  • tricotilomania;
  • doenças como lúpus e diabetes;
  • perda de peso significativa;
  • gravidez;
  • excesso de vitamina A;
  • disfunções hormonais;
  • falta de proteínas e alguns minerais;
  • deficiência de vitamina B12.
  • micose no couro cabeludo;
  • doenças como hipotireoidismo, hipertireoidismo, sífilis secundária ou líquen plano.

Conheça os tipos de alopecia

Agora que sabemos o que é alopecia, esclarecemos que há vários tipos dessa doença. Afinal, há diversas causas para tal condição. Dessa maneira, os principais tipos são:

1. Alopecia areata

Esse tipo de alopecia é causada pelo sistema emocional abalado ou fatores autoimunes. Assim, a pessoa começa a ter queda de cabelo em determinadas áreas de forma intensa.

2. Androgenética

Já esse tipo é mais conhecido como calvície e ocorre por conta de heranças genéticas, que está relacionada com a taxa de testosterona na corrente sanguínea. Por conta disso, a androgenética é mais comum acontecer com os homens.

3. Alopecia traumática

Isso ocorre quando a pessoa tem o hábito de arrancar os fios de cabelos de forma constante. Também pode acontecer por algum traumatismo na cabeça.

4. Alopecia total (totalis)

Esse tipo de condição faz com que ocorra perda de todos os fios de cabelo. Contudo, as outras partes do corpo que possuem pelos não sofrem alteração alguma. Então, pode acontecer tanto por questões genéticas, quanto por questões emocionais, em alguns casos.

5. Alopecia universal (universalis)

Já essa é uma forma muito mais grave da alopecia total. Afinal, a pessoa não perde somente fios de cabelo, mas também todos os pêlos do corpo. Tais como cílios, sobrancelhas e pêlos pubianos.

6. Eflúvio

O eflúvio se refere a um período normal em que o cabelo cai de forma natural. Contudo, caso este mecanismo fique desregulado, pode ocorrer um período maior de queda de cabelo. Mas um bom tratamento clínico pode reverter essa situação anormal.

Leia Também:  Síndrome do encarceramento, cativeiro ou Locked In

7. Seborreica

Por fim, a seborreica é causada por uma dermatite, que é uma de pele que acontece em várias partes do corpo. Porém, esta é tratada com o uso de medicamentos.

Sintomas da alopecia

Então, o principal sintoma de alopecia é a perda de cabelo. Entretanto, quando a pessoa começa a perceber que está perdendo, por dia, mais de 100 fios do couro cabeludo é um grande sinal da patologia.

Assim, a pessoa pode perceber ao encontrar muitos fios de cabelo no travesseiro depois de uma noite de sono. Ou ainda, quando lava e penteia o cabelo. Além da perda ao passar a mão pelos cabelos.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Outro grande sinal é quando a pessoa consegue ver, de forma fácil, o couro cabelo em determinada área da cabeça. Embora a alopecia ocorra com mais frequência no cabelo, alguns sintomas podem acontecer em qualquer parte do corpo que tenha pelos.

    Como é realizado o diagnóstico?

    Sendo assim, o diagnóstico da alopecia pode ser realizado apenas observando a aparência das áreas que estão sem cabelo. Porém, em alguns casos, é necessário fazer biópsia da pele que foi afetada para determinar quais são as possíveis causas da doença.

    Logo, há uma opção de teste bastante simples que auxilia na identificação de casos de alopecia e a diferenciá-los de outros tipos de queda de cabelo.

    Portanto, basta a pessoa puxar, de forma delicada, um tufo com pelo menos 60 fios de cabelos situados às margens da área pelada. Assim, o teste é considerado positivo quando, ao menos seis fios, são arrancados na raiz.

    Tratamentos para alopecia

    Para tratar a alopecia, o primeiro passo é consultar um médico especialista, que neste caso é o dermatologista. Então, esse profissional é capaz de identificar as causas dessa patologia. Além de indicar o melhor tratamento para o paciente.

    Ademais, entre os tratamentos, há algumas opções terapêuticas, que são bastante indicadas para os casos mais graves. Ainda, são utilizados medicamentos orais, como a espironolactona ou a finasterida. Ou tópicos, como o alfaestradiol ou o minoxidil, por exemplo.

    Afinal, esses remédios favorecem tanto o crescimento dos pelos, quanto previnem a queda.

    Saiba mais…

    Já para os casos mais leves, o que pode ser mais vantajoso é o uso de produtos cosméticos em loção ou ampolas. Além disso, também recomenda-se o uso de suplementos alimentares. Contudo, claro que isso deve seguir as orientações do dermatologista, pois ele sabe o que pode favorecer o crescimento do cabelo do paciente.

    Por fim, há opções de tratamentos mais específicos, como a carboxiterapia e a intradermoterapia. Assim, após as recomendações médicas, um profissional especializado deve fazer tais procedimentos.

    Qual a diferença entre alopecia areata e a queda de cabelo comum?

    Para finalizar o nosso post, vamos esclarecer uma dúvida que muitas pessoas têm: o que diferencia uma queda de cabelo comum e alopecia areata. Assim, a principal distinção entre ambos é que a alopecia areata tem ligação com outras doenças que, em alguns casos, não têm uma cura.

    Já a queda de cabelo comum acontece quando a pessoa está passando por alguma situação pontual. Ou seja, situações relacionadas a estresse ou pós-parto, por exemplo.

    Portanto, de modo geral, a alopecia areata causa a perda de cabelo em várias partes do couro cabeludo. Ela tem um formato e tamanho como uma moeda grande, sendo que o cabelo não volta a crescer. Contudo, na queda de cabelo comum é normal que os fios voltem a ficar grossos e saudáveis após um tempo.

    Leia Também:  Ácido Fólico: para que serve, quais indicações?

    Considerações finais

    Por fim, esperamos que o nosso post tenha esclarecido sobre essa patologia e os seus principais tipos. Além disso, buscamos trazer quais são as causas e os possíveis tratamentos para esta condição.

    Então, se você tem interesse em aprender mais sobre a alopecia e suas causas emocionais, conheça o nosso curso 100% online de Psicanálise Clínica. Por isso, inscreva-se já e comece ainda hoje a sua nova jornada de vida!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *