significado de assentir

Assentir: significado no dicionário e na psicologia

Posted on Posted in Comportamento

No dicionário, a palavra “assentir” tem as seguintes definições:

  • conceder aprovação; concordar: assentiu na comissão julgadora do caso;
  • acordar, chegar a um acordo: consegue sempre discutir, mas sem abaixar a cabeça;
  • exibir ou expressar assentimento, aprovação: assentiu com um sorriso.

É uma palavra muito comum no português brasileiro, mas é possível dar outros significados à palavra quando relacionada à psicologia. Então, assentir, na psicologia, tem ligação direta com a comunicação não verbal.

Por isso, saiba mais sobre os princípios da comunicação não verbal e a ligação direta com a psicologia. Sabe como? Lendo este post especial que fizemos para você.

Assentir – Comunicação não verbal

Antes de mais nada, você precisa saber que comunicação não verbal tem muitos processos comunicativos, como:

  • aparência de fora;
  • comportamentos de relacionamento espacial (proximidade, distanciamento);
  • movimentos corporais (acenar, levantar sobrancelhas, encolher os ombros);
  • expressões faciais;
  • olhares ou até entonações vocais.

Embora pouco conhecido, os fenômenos não verbais são muito importantes na comunicação humana. Além disso, são usados em outros campos, como oratório e artes dramáticas. E não só isso, mas também nas línguas de sinais.

Esse tipo de comunicação reforça e dá crédito à comunicação verbal quando ela é adaptada, mas pode acabar com ela. É nossa natureza julgar com rapidez os outros por sua atitude, beleza, inteligência, movimentos.

Além disso, os animais nos dão o exemplo do que é a comunicação não verbal: eles se comunicam entre si por meio de sistemas específicos. Ou seja, eles compreendem sinais de vários tipos. Dentre eles, como:

  • som;
  • gestos;
  • mimetismo;
  • postural;
  • químico;
  • térmico;
  • tátil.

Classificação

Tem várias disciplinas interessadas em comunicação não verbal, incluindo biologia, neurociência, sociologia e psicologia. Ou seja, várias classificações de sinais não verbais foram feitas na literatura.

  • Aspecto de fora: treinamento físico, figura, escolha de roupas.
  • Comportamento espacial : distância entre as pessoas, contato corporal, orientação no espaço, cheiro.
  • Comportamento cinético: movimentos do tronco e das pernas, gestos das mãos, movimentos da cabeça.
  • O rosto: o olhar e o contato visual, a expressão facial.
  • Sinais vocais: são verbais dotados de significado paraverbal e os não verbais, silêncios.

São muitas as classificações, não é mesmo? Por isso, continue lendo, para saber mais.

Designar e ilustrar seu discurso

Certos gestos são feitos para acompanhar a declaração. Saiba sobre cada um deles abaixo:

  • Gestos de designação: estes são os gestos de apontar que fazemos quando queremos mostrar algo;
  • Gesto ilustrativo: são os gestos que imitam a ação ou representam certas características do objeto de que estamos falando.

Por fim, esse último gesto falado, tem muitas particularidades nas descrições de objetos e nas histórias.

Gestos de coordenação de diálogo

No diálogo, certos gestos e assentir não servem para apoiar o diálogo. Mas para coordená-lo, para garantir que os depoimentos sejam recebidos, compreendidos e interpretados.

Para similar a troca, tem um dispositivo de interação, compartilhamento e manutenção da fala. Ele é composto por vários gestos como acenar com a cabeça, desviar o olhar e pigarreando. E não só isso, mas também de inspirações preparatórias para falar, gestos com as mãos, mudanças de postura.

Leia Também:  O que é Inconsciente para Psicanálise?

Quando falamos, devemos ter certeza de que somos ouvidos, compreendidos e sabemos o que a pessoa pensa de nossas palavras. Para isso, devemos captar o olhar dela e buscar pistas retroativas. Que estão presentes em forma de emissões:

  • voco-verbais;
  • cinésicas (por exemplo, acenos, movimentos de cabeça e sorriso.)

Comunique suas emoções

Tem também gestos pertencentes à “comunicação afetiva”. Ela tem mais aspectos emocionais. A comunicação emocional corresponde a manifestações espontâneas de estados de quem fala, como:

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    • tremores;
    • palidez;
    • suor;
    • lágrimas;
    • risos;
    • surpresa;
    • aborrecimento.

    A comunicação emocional é o resultado de um “trabalho afetivo”. Ele permite a encenação controlada de emoções reais, mesmo de afetos que não foram vivenciados. Podemos fazer que a outra pessoa acredite que ficamos tristes por atitudes. Porém, na real, isso não nos afetou tanto. Por isso, é tão importante saber como é importante mostrar as nossas emoções.

    Além disso, continue lendo o nosso post para saber mais. E aproveite para comentar o que está achando dos texto, nos comentários abaixo.

    Elementos contextuais de comunicação

    Tem certos elementos não verbais que criam um clima contextual. E entram no campo da comunicação verbal. Alguns desses elementos permanecem permanentes durante o encontro, como roupa, idade, gênero e beleza.

    Outros refletem uma acomodação da situação como as técnicas de contato. Além disso, de abertura da interação com vários modos de endereçamento verbal, como por exemplo:

    • beijos;
    • apertos de mão;
    • e por fim, abraços dependendo do relacionamento.

    O olhar também pode manifestar a intimidade da relação, pois, ele influencia e domina. Pode-se ver, por exemplo, que quanto menor a distância entre as pessoas, mais diminui o contato visual.

    Observação de comunicação não verbal

    Para estudar a comunicação não verbal, observe com cuidado as pessoas que se comunicam. Observe como se comportam entre si, tanto para comunicar como para “manter a distância”. Veja:

    • os rituais;
    • as estratégias de ocupação do espaço;
    • as posturas;
    • a escolha dos lugares;
    • e por fim, a linguagem não verbal sem prestar atenção ao que se diz.

    Por fim, agora você sabe como saber o que observar nesse tipo de comunicação? Então, continue lendo mais, para saber sobre a história.

    História da comunicação não verbal na psicologia

    Em tempos pré-históricos, não tinha uma linguagem para todos. Cada um usava a sua própria maneira de falar. Na verdade, a civilização era diferente da de hoje. Por isso, demorou muito para encontrar uma linguagem comum às mesmas pessoas.

    Para se comunicarem, os homens tem uma forma de usar o corpo para começar a comunicação. Como, por exemplo, movimentos simples de dizer “alô”, “obrigado”.

    Graças a essa comunicação por meio de gestos e olhares, eles foram capazes de criar interações sociais. E, depois, as relações entre eles melhoraram e as pessoas começaram se ajudar. Além disso, a comunicação entre as pessoas permite:

    • criar vínculos;
    • transmitir mensagens;
    • saber os desejos e as necessidades de cada um.

    Antiguidade

    Para terminamos o nosso post, saiba um pouco mais sobre a palavra assentir nessa época. Pela primeira vez, numa tradição greco-romana, os homens inventaram a arte de comunicar através da própria imagem. Por exemplo, o presidente do Senado teve o cuidado de se apresentar da melhor maneira possível para convencer a Assembleia.

    Esta tradição ainda é atual, um político, por exemplo, está sempre bem vestido. Mas também ele trabalha os seus gestos e a sua atitude porque ao mesmo tempo deve ser inspirador para o seu público. Além disso, tem que ter um ar de seriedade, de confiança e de dinamismo.

    Leia Também:  O que significa Empatia?

    Foi no século 20 que os cientistas estudaram o assunto da comunicação não verbal. Além disso, isso se reflete em todas as trocas que não têm conexão com a fala. A comunicação não verbal é de fato uma prática que usamos todos os dias. Então, vemos ela nas relações na nossa família, no nossos amigos, os nossos colegas. Além disso, vemos em pessoas que conhecemos.

    Considerações finais

    Por fim, como você ficou sabendo neste post, a comunicação não verbal pode ser intencional para passar uma mensagem ou uma emoção. Mas em muitos casos não percebemos que estamos dando uma mensagem. Todo mundo usa comunicação não verbal sem prensar.

    Agora que você sabe a diferença da palavra assentir na psicologia do tradicional dicionário, temos um convite. Conheça nosso curso de psicanálise para ter outros novos descobrimentos como os de hoje! Então, o que está esperando? Inicie já sua carreira psicanalítica!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *