carência afetiva

O que é carência afetiva? Teste para saber

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Embora seja natural, a carência pode acabar se tornando um elemento incômodo na relação se não for bem dosada. Muitos casais enfrentam problemas com isso porque não compreendem por completo os limites dessa vontade. Entenda melhor o que significa carência afetiva e um teste simples para saber se a tem ou não.

O que é carência afetiva?

A carência afetiva se mostra como um estado de dependência emocional bastante severo das pessoas. Isso se mostra bastante visível quando um indivíduo precisa estar com alguém para que se sinta amado e feliz. Basicamente, é como se este não tivesse autonomia e força de vontade para ser feliz consigo mesmo.

Um dos maiores problemas é que esse tipo de pessoa se torna um buraco negro emocional na vida dos demais. Ninguém é capaz de dar o que ela procura e a carga desse contato se torna excessivamente alta. Não apenas isso, mas os problemas pessoais desse indivíduo também entram em jogo.

Dados levantados pelo Ibope nos últimos anos constatou que a população brasileira sofre em algum nível com a carência. Segundo eles, quase 29% dos brasileiros afirma não ter recebido carinho na vida. Enquanto isso, outros 21% afirmam que nunca expressaram carinho por ninguém.

Por que somos tão carentes?

A forma que recebemos carinho durante a infância impacta diretamente em nosso modo de dar e receber carinho. Em geral, adultos com carência afetiva são resultados de crianças que não receberam o devido carinho na infância. Não apenas isso, mas que também foram abandonadas ou rejeitadas de algum modo.

O trauma pode ocorrer por uma situação verdeira ou que foi projetada pela criança como forma de entender o momento. A aplicação em excesso também contribui a isso, já que o cuidado e carinho demais são danosos. Isso porque o excesso de dependência nos pais pode alimentar a ideia de que a criança não é autossuficiente.

Consequentemente, pessoas passam a condicionar e ligar a sua felicidade à presença dos outros. Um dos maiores problemas nisso é que a falta de prática na entrega do amor impossibilita dela ser carinhosa no futuro. Antes de ela se fechar emocionalmente, precisa cuidar adequadamente de suas dores e compreender essa dependência nas relações.

Sintomas da carência

Embora não seja uma doença por assim dizer, a carência afetiva deixa algumas marcas bem visíveis nas pessoas que a tem. De um modo mais vulgar de dizer até, é possível sentir o cheiro desse apego excessivo. Alguns dos sintomas mais comuns são:

Depender excessivamente do outro para ser feliz

É como se a sua existência e felicidade não pudessem existir sem outra pessoa. Seu amor é nocivo e parasita para que possa se sentir feliz, fazendo outra pessoa refém sua. Caso não tenha ninguém, no momento em que encontrar, sufocará esse novo ente da forma que precisar.

Não apresentar critérios quanto ao relacionamento

Infelizmente, o carente não faz exigências quando busca se relacionar com outra pessoa. Para ele, qualquer coisa está bom porque isso é muito melhor do que ficar sozinho. Dessa forma, pessoas carentes entram em relacionamentos nocivos fadados ao fracasso desde o seu início.

Aceitar qualquer condicionamento para ficarem juntos

O carente acaba se tornando um submisso condicional e subornável a qualquer coisa. Esse tipo de resposta pode ser muito perigoso dependendo do tipo de pessoa com quem ele conviva e do seu estado emocional. Isso porque muitas pessoas cedem a pedidos extraordinários, como ajuda financeira, favores pessoais e até exposição e risco de vida.

Leia Também:  Fases da sexualidade na teoria de Freud

Nada dura por muito tempo, mas o sofrimento, sim

É preciso deixar claro o poder destruidor que a carência afetiva dispara dentro dos contatos humanos. Ainda que essa passagem pareça fatalista demais, os envolvidos nesse contato acabam por adoecer internamente. Com o passar do tempo, os dois desenvolvem cicatrizes que doem toda vez que iniciam uma nova relação.

Para o carente, é difícil permanecer em relacionamentos muitos longos. Os parceiros não aguentam a pressão continua e ele acaba sendo visto como um fardo demais para carregar. Em suma, é impossível manter a mesma força e vontade para fazer o outro feliz como ele espera.

Por conta disso que é comum ver o carente entrando de cabeça em qualquer chance de relacionamento. Algumas pessoas mais sensíveis entendem a condição deste e evitam se aprofundar mais do que devem.

Vitimismo

Um episódio bastante recorrente nos relacionamentos dos carentes é o excesso de cobrança. Amor e atenção não se pedem, mas isso passa a ser exigido constantemente. Não é raro o carente aponta ao outro e dizer que sente que não é amado.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Os amantes não são os únicos alvos dessas súplicas sentimentais dolorosas. A família e os amigos também passam por uma situação parecida, sendo culpados por qualquer mal-estar do carente.

O mesmo se vale da sua carência afetiva para se fazer de vítima e atrair a atenção dos outros. Caso sirva como paralelo, pense em uma criança mimada que culpa os outros por suas atitudes. Ela nunca é responsável pelo o que faz, sendo uma vítima eterna.

Como lidar com a carência afetiva?

Livrar-se da carência afetiva pode não ser fácil, mas é uma meta possível de ser feita com esforço. Tudo deve ser feito de forma sequenciada para que possa se acostumar com a nova realidade. Antes de tudo:

Ame-se em primeiro lugar

Pergunte-se a si mesmo: posso me amar sendo da forma que sou, com meus defeitos e virtudes? No momento em que passar a gostar de você, entender suas limitações e apreciar suas qualidades, estará pronto a fazer isso para outra pessoa. Antes de qualquer relação, aprenda a alimentar seu amor-próprio e ser feliz com você mesmo antes de procurar alguém.

Goste de sua companhia e aprenda a ficar só

“Eu tentei fugir de mim, mas aonde eu ia, eu estava” é uma frase comum nas legendas de imagens. Apesar de parecer bobo, é necessário que você entenda que precisa de um momento apenas consigo para se compreender.

  • Relacione-se consigo,
  • aprecie sua companhia,
  • preencha o o seu vazio com sua própria essência,
  • e não procure ninguém para essa função.

Encontre e reconheça a si mesmo

Evite se apegar a alguém para que possa mostrar o seu valor: faça isso por você mesmo sozinho. Ao invés de esperar que alguém o admire, se dê presentes, pense em suas conquistas e se elogie. Em vez de entregar tudo a outra pessoa, direcione essa força para si próprio com gestos como:

  • elogio,
  • atenção,
  • e cuidado.

Teste

Você pode fazer um teste simples para verificar se você possui carência afetiva ou não com simples perguntas:

  1. Se o parceiro resolve sair com os amigos e você fica só, o que faz?
  2. Quando ele elogia algum famoso de um jeito que não faz com você, o que sente quanto a isso?
  3. Se a pessoa que ama ainda mantém contato com um antigo amor como se sente com isso?
  4. Qual postura você toma numa briga?
  5. Qual a frequência do seu contato com o parceiro durante o dia?
  6. Do que você tem medo na sua vida?
  7. O que você faz se o outro tem um hábito extremamente irritante?
  8. Um amigo seu não se mostra do agrado do seu companheiro. Como pensa em lidar com a situação?
  9. A pessoa que você ama tem uma relação bem próxima com outra. O que acha disso?
Leia Também:  Drogas na adolescência: a Psicanálise pode ajudar?

Considerações finais sobre carência afetiva

A carência afetiva se mostra como uma grande ferida emocional sangrando através do tempo. Como forma de suprir o vazio que carrega, o indivíduo desconta nos demais toda a necessidade emocional em seu interior. Acontece que ninguém nunca está preparando para a avalanche que surge no horizonte.

Em vez de se desgastar e pressionar o outro, invista esse tempo em si mesmo e em se aprimorar. Com o passar do tempo, sentirá positivamente que pode viver bem sozinho e sem dependência. Mas, se quiser adicionar alguém em seu caminho, somente faça isso quando se sentir pronto para tal.

Para que se saia bem nessa jornada, se inscreva em nosso curso 100% EAD de Psicanálise como reforço. A proposta dele é que possa compreender as suas necessidades e conduza adequadamente o seu crescimento pessoal pelo autoconhecimento. Agora, a carência afetiva será lembrada como uma fase desagradável que já perdeu sua força.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =