cavalo marinho na mitologia grega

O cavalo marinho na mitologia grega

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

O cavalo-marinho é uma das figuras mais fascinantes do reino animal. Caso você não saiba, ele carrega um simbolismo muito grande na cultura grega, sendo associado a divindades tão antigas quanto à terra. Descubra hoje o simbolismo envolvendo o cavalo-marinho na mitologia grega!

História

O cavalo-marinho na mitologia grega deriva de um ser místico chamado hipocampo, criatura metade cavalo e peixe, literalmente. Sendo montaria do rei dos mares, Poseidon, ficou conhecido por ser a representação da chegada da entidade. Era visto puxando a sua carruagem ou montado pelo deus grego.

O cavalo-marinho ou hipocampo possui a metade de cima com patas dianteiras, pescoço e cabeça de cavalo. Já a parte inferior lembra um peixe, golfinho e até uma serpente marinha. Hipocampo vem do grego hippos, cavalo, e kampos, monstro.

Sua presença sobreviveu à passagem do tempo e até hoje é cultuada ou, ao menos, respeitada. O cavalo marinho segue como uma chance de impossibilidade na natureza por conta do que pode fazer. Mesmo após tanto tempo, não deixa de perder o fascínio que empregavam nele em tempos tão distantes.

A arte

Como bem sabe, a cultura grega sobreviveu através da sua própria arte, algo magnífico e extraordinariamente belo. Independente da sua âncora com a realidade, foi um meio de representar os seus mitos e registros. O cavalo-marinho na mitologia grega tem o seu próprio lugar, carregando um forte simbolismo a tudo aquilo que representa.

O cavalo-marinho ou hipocampo é a montaria de Poseidon, o levando diretamente em suas costas ou puxando a carruagem dele. Além de Poseidon, tido como deus dos cavalos, o hipocampo também transportava a sua esposa Anfitrite. Sem contar que uma ninfa do mar usava a criatura como montaria às vezes.

O hipocampo serviu de decoração para louças e talheres de bronze, bem como pinturas da antiga Grécia. Eles representam a liberdade e força dentro do mar, nadando para qualquer lugar que a sua vontade deseje.

Ligações

O cavalo-marinho na mitologia grega não havia sido escolhido por Poseidon ao acaso. De acordo com os estudos dos mitos, os hipocampos tinham uma influência sobre a natureza marítima. Com isso, o deus dos mares tinha mais um aliado para alavancar seus reforços em qualquer situação que entrasse.

É dito que os tremores do mar e da terra aconteciam graças a presença em movimento dos animais. Os seus cascos de bronze quando cavalgavam na superfície do mar tinham tanta força que causavam ondulação. Por causa disso que associavam terremotos e tormentas marítimas ao galopar do animal.

O nascimento do animal teria a mesma origem da deusa Afrodite, mas sendo Poseidon seu criador. Ele haveria moldado a espuma do mar pra criar tais animais da forma que desejava. Acredita-se que por isso se mostravam como peixes brilhantes e coloridos, como que um arco-íris em movimento.

Descrição biológica

Os gregos, até por conta da época em que viviam, carregavam uma perspectiva diferente a respeito da realidade. Eles ressignificavam algo que observavam, sendo ricamente influenciados por seus mitos e crenças, algo que perdurou ao tempo. O cavalo-marinho na mitologia grega faz ligações com o animal que conhecemos em alguns pontos:

Mimetismo

Os cavalos-marinhos possuem uma incrível capacidade de mimetismo, podendo se misturar ao ambiente. Embora exibam uma incrível variedade de cores, são muito hábeis em alterá-las para que possam sobreviver. Como leu acima, o cavalo-marinho na mitologia grega era colorido, como um arco-íris vivo.

Leia Também:  Acupuntura para ansiedade: de fato funciona?

Olhos independentes

A anatomia do cavalo-marinho contribuiu à sua sobrevivência nos mares. De forma semelhante a um camaleão, seus olhos são independentes, o que permite um controle maior da visão. Eles podem olhar para diversos ângulos para detectar uma ameaça ou encontrar fonte de alimento.

Aparência

Muitas espécies desse peixe possuem uma aparência tão radical que podem ser confundidos com outros seres. Os cavalos-marinhos podem se parecerem com plantas marinhas, anêmonas ou corais, dando um visual extraordinário a eles. Consequentemente, isso pode ser útil à sua sobrevivência para confundir os inimigos.

As mesclas culturais

Não apenas o cavalo-marinho na mitologia grega ganhou nova forma, mas outros animais também. Após essa mudança acabaram por influenciar em outras histórias e mitos conhecidos da humanidade. Menos conhecidos, mas não menos importantes, podemos citar:


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Leokampos

O leokampos é a mistura de um leão com a cauda de um peixe, gerando um misto equilibrado dos dois. Apesar da nova forma, de acordo com as representações artísticas, o animal continua majestoso como sempre.

Pardalokampos

Por sua vez, o pardalokampos é a junção do leopardo com um peixe. Uma das maiores características de um leopardo é a sua incrível velocidade, chegando a 58 km/h.

Taurokampos

Taurokampos é a soma das partes de um touro com um peixe. Como deve imaginar, o touro é bastante referenciado na cultura mundial, gerando diversas histórias míticas sobre ele. Outra bastante conhecida é a do Minotauro, um corpo humano com a cabeça de um touro.

Aigikampos

Por fim na lista, mas não o último da história, temos o aigikampos, um misto de cabra com peixe. Curiosamente, a cabra se tornou um símbolo do zodíaco, sendo estabelecida ao longo do tempo em diversas culturas.

Risco ambiental

Embora tenha sido um objeto cultural frequente no mundo, o cavalo-marinho na mitologia grega está mais seguro que na vida real. Isso porque o animal se encontra ameaçado de extinção, sofrendo duramente com as mudanças no habitat em que vive.

Além disso, a cultura de alguns povos impacta negativa e diretamente no ciclo de vida natural desses peixes. Na Ásia, por exemplo, é visto como um remédio natural para algumas doenças e males físicos. Com isso, há a pesca predatória e desenfreada, retirando de suas zonas de habitação naturais para serem vendidos.

Estima-se que aproximadamente 20 milhões de exemplares são capturados e vendidos para o uso medicinal oriental.

Mídia

O cavalo-marinho na mitologia grega acabou por influenciar os produtos da mídia, como filmes e animações. Mesmo que não retrate a cultura grega, o animal pode ser visto como montaria de outros seres marinhos. Note que o seu uso como transporte animal é bastante semelhante ao cavalo, usando rédeas e cela para tal.

Esse recurso é mais comum em desenhos infantis, já que o apelo fantasioso funciona muito bem com as crianças. Os cavalos-marinhos são retratados, em geral, com alegria, cores e ludicidade. Sem contar que a relação do animal com o protagonista serve de paralelo ao mundo real e estimula a afetividade e imaginação das crianças.

Considerações finais sobre o cavalo marinho na mitologia grega

O cavalo-marinho na mitologia grega representa um ideal de vida e liberdade na existência. Seu mito contribuiu para o surgimento de ideias culturais que revolucionaram a maneira de ver o animal. Por conta disso que a mítica envolvendo ele permanece tão viva e clara na cultura antiga e contemporânea.

Leia Também:  Mitologia Grega: 20 deuses e heróis à luz da Psicanálise

No modo geral, apontamos que a presença dele indicava uma vontade de explorar terras desconhecidas com base na qual conhecemos. O ser humano localizou muito bem as figuras para revitalizar ideias e encontrar novos propósitos e explicações.

Para que você trace o mesmo caminho, se inscreva em nosso curso 100% online de Psicanálise. As aulas ajudam a coordenar sua estrutura interna, mostrando o seu potencial e tudo aquilo que precisa de ressignificação. Assim como a figura do cavalo-marinho na mitologia grega, você encontrará um novo espaço para redefinir a sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − cinco =