Charcot e suas Influências na Teoria de Freud

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

Freud era um estudante de Neurologia. Em viagem a Viena, ele recebeu uma bolsa de estudos para estudar anatomia e neurologia na França. Com uma bolsa de estudo (com um valor que considero muito baixo para se manter por 6 meses mas enfim), optou por ir a Paris fazer um estágio com o renomado Jean Martin Charcot.

Quem era o Professor Charcot?

Freud estagiou no Hospital de Salpetriere, onde Charcot trabalhava e lecionava. Além disso, ele era conhecido por seus resultados no tratamento com pacientes histéricos.

Charcot usava a Hipnose para conseguir acessar o inconsciente dos pacientes. Desse modo, conseguia acessar as suas lembranças e emoções represadas, que não podiam ser acessadas pelo consciente. Assim, ele conseguia eliminar problemas e doenças físicas, resultantes dessas mesmas memórias e emoções.

Como resultado de um problema psicossomático, levando os pacientes a sentirem bloqueios de membros, dores, limitações de todo tipo, crises de perda de controle etc. Desse modo, Freud ficou maravilhado com a técnica do Professor Charcot.

Voltando a Viena, o psiquiatra decidiu tratar de seus pacientes com a técnica aprendida com o Professor Charcot.

A mudança na técnica de Freud

No entanto, ele percebeu que apenas alguns pacientes conseguiam entrar em transe – cerca de 20 %. Isso o decepcionou em relação à hipnose, pelo fato de não conseguir os mesmos resultados de Charcot. Por outro lado, ele percebeu que a conversação surtia resultados tão bons quanto  aqueles com a hipnose de Charcot.

Além disso, viu que deixando os pacientes fazerem uma livre associação e falarem livremente, sem julgamento ou culpa, já iniciavam uma ressignificação dessas emoções. Sendo assim, melhoravam dos problemas físicos limitantes.

Desse modo, começou a fazer a livre associação em todos os pacientes. Com isso, os pacientes conseguiam expor os seus sentimentos e, dessa forma, já iniciarem uma melhora.

Sendo assim, resolveu abandonar a hipnose por não conseguir acessar o inconsciente ou subconsciente de todos os pacientes.

A união de Freud e Breuer na utilização do método catártico

Por descobrir um novo método de atingir os mesmos resultados, ele se associou a Breuer. Os dois se empenharam para o desenvolvimento de uma nova linha de tratamento, que chamaram de método catártico.

Eles tiveram uma boa parceria por vários anos. Depois, ela foi desfeita por Freud se fixar na associação da libido a várias emoções represadas. A libido era uma palavra forte para a época.

As represálias da sociedade na época

Antes, se acreditava que o sexo só poderia ser realizado para meio de procriação e não era admitido que se falasse em relação sexual relacionado a qualquer outra coisa.

Isso deixou Breuer muito preocupado sobre as represálias da sociedade e, sendo assim, desfez a parceria. No entanto, Freud não se intimidou e continuou os seus estudos com análises.

Assim, começou a criar o que hoje conhecemos como Psicanálise. Portanto, Jean Martin Charcot foi importantíssimo para que Freud abandonasse a neurologia e se dedicasse ao estudo aprofundado da psique humana.

O que são os sonhos para a Psicanálise?

Mais tarde Freud criou a Psicanálise. Essa ciência tem hoje uma ampla aceitação. Isso ocorre porque ela não depende do julgamento do profissional na análise, inclusive incluindo a análise dos sonhos.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    A Psicanálise entende que os sonhos são uma forma do inconsciente trazer à mente consciente situações e condições traumáticas de forma alegórica e de grande importância para a ressignificação e eliminação de problemas físicos com causa emocional.

    Além disso, não podemos associar a Psicanálise às normas e regras da Psicologia, pois entendemos que a Psicanálise deveria ser livre e ensinada a todas as pessoas.

    Hoje, Charcot é conhecido como o Pai da Hipnose e foi o precursor de praticamente todos os métodos hoje conhecidos. Inclusive, o Ministério da Saúde, o Conselho Federal de Medicina, o Conselho Federal de Psicologia e o Conselho Federal de Odontologia, todos reconhecem a eficácia da hipnose como ferramenta complementar nos tratamentos físicos e mentais.

    Potencialização de resultados da Hipnose segundo Charcot

    Desse modo, a técnica potencializa os resultados, seja acessando o inconsciente para ressignificação e emoções, seja eliminando traumas. Ou mesmo seja promovendo anestesia para diversos procedimentos.

    Charcot foi uma grande influência, não somente para Sigmund Freud, mas também para toda a área da saúde moderna.

    Id, Ego e Superego, assim como Inconsciente, Pré-Consciente e Consciente, são bases de referência para a Hipnose para se definir os níveis de acesso ou níveis de transe e sua ação e técnica a ser utilizada para ressignificação.

    Quer saber mais?

    O que você pensa sobre o método da Hipnose? Já teve alguma experiência com isso? Então comente aqui embaixo. Nós queremos saber a sua opinião.

    Leia Também:  Padrões Estéticos: da infância para a vida adulta

    Se quiser mais sobre a Psicanálise Clínica, acesse o nosso blog e confira diversos artigos escritos pelos alunos do nosso curso.

    O artigo presente foi feito pelo aluno do nosso curso Luiz Henrique Martins Puga, exclusivamente para o nosso Blog.

    3 thoughts on “Charcot e suas Influências na Teoria de Freud

    1. Tenho uma dúvida.
      Sob o tópico “A MUDANÇA NA TÉCNICA DE FREUD” consta: “Sendo assim, resolveu abandonar a hipnose por não conseguir acessar o inconsciente ou subconsciente de todos os pacientes.”
      Ocorre que sob o tópico “A UNIÃO DE FREUD E BREUER NA UTILIZAÇÃO DO MÉTODO CATÁRTICO”, está anotado que “’Os dois se empenharam para o desenvolvimento de uma nova linha de tratamento, que chamaram de método catártico.
      Esse método catártico – que levava a uma ab-reação – não partiu inicialmente da utilização da hipnose do paciente, porém, diferentemente do que fazia Charcot, sem sugestão, influência ou direcionamento do médico? Haveria, aqui, portanto uma contradição?

      Em outros escritos do Módulo 1 era explicado que Breuer também fazia uso da hipnose, porém sob outra técnica de obtenção de informações do paciente (técnica essa, que, aliás, foi abandonada posteriormente por Freud, que entendeu obter os mesmos resultados SEM a hipnose).

      1. José Carlos, tudo bem? Sua lógica está correta. Ocorre que, no começo, Freud e Charcot iniciaram sua atuação com a hipnose. Freud e Breuer, com o método catártico. Freud, depois, considerou que a hipnose não viável a todos os pacientes, e que a Associação Livre (sem hipnose) poderia levar a melhores resultados e, pela interpretação do analista, também identificar causas inconscientes dos sintomas.

    2. A hipnose evoluiu muito desde a época de Freud nos final do seculo XIX até hoje. Atualmente existem diversas formas de se levar um paciente ao transe hipnótico. Freud, em seu livro a Interpretação dos Sonhos, declara ser um hipnotizador muito limitado. Certamente essas limitações fizeram que ele arisse mão da hipnose, não por que ela não funcionava, mas pelas restrições dele frente a pessoas que ofereciam resistência a seu método limitado. Atualmente sabe-se que qualquer pessoa pode ser hipnotizada. A única barreira é se ela aceita ou não ser hipnotizada e suas resistências a esse processo. Por isso faz-se necessário ao hipnotizador, conhecer várias técnicas que possa utilizar com seu paciente, de acordo com cada caso.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *