o que é codependência

O que é Codependência? 7 características da pessoa codependente

Posted on Posted in Transtornos e Doenças

Talvez você já tenha ajudado alguém em um momento difícil e se sentiu importante por ter feito a diferença na vida dessa pessoa. Saiba, porém, que não é saudável ficar disponível integralmente, abdicando da própria vida em prol dos outros. Assim sendo, entenda melhor o significado de codependência, sabendo sete características para reconhecer uma pessoa codependente.

O que é codependência?

A codependência se trata do transtorno emocional que afeta a conduta e personalidade de uma pessoa, a tornando dependente de alguém. Por essa razão, ela se torna muito apegada a um indivíduo específico, fazendo todas as vontades dele. Em suma, quem é codependente abdica da sua própria vida para viver a de outra pessoa.

Sem dúvidas, a vivência do codependente é bastante sufocante. Ainda que tente, essa pessoa pode não ser capaz de impor limites ao comportamento asfixiante da pessoa com que ela convive.

Um ótimo exemplo de um codependente é um indivíduo que aceita os vícios do parceiro e as consequências de suas ações sem reclamar. Além disso, também há quem ceda às chantagens emocionais, ficando atado emocionalmente a outra pessoa.

Quem são os codependentes mais comuns?

Geralmente os pais ou cônjuges demonstram a codependência com mais facilidade, ainda que não seja tão perceptível. Eles acabam vivendo em função de outra pessoa, tomando para si as suas responsabilidades e os seus problemas. Além disso, eles demonstram uma preocupação frequente com o bem-estar do outro, sendo exagerados com esse quesito.

Todavia, quem é codependente pode não perceber os prejuízos ao longo do tempo do tipo de relação que possui. Estudiosos apontam um fenômeno chamado autoanulação. Quando ele acontece, uma pessoa esquece das suas próprias necessidades. À medida que a dependência de alguém aumenta, mais a codependência do outro cresce também.

Características

Abaixo temos uma lista com sete características mais comuns das pessoas que apresentam a codependência. Embora hajam outros aspectos a serem observados na pessoa codependente, os que estão listados aqui são os mais comuns. Comecemos por:

  • baixa autoestima, de modo que essa pessoa não consegue apreciar as próprias qualidades;
  • dificuldades de se sentir valorizado e útil quando não está cuidando de outra pessoa;
  • tolerância às dificuldades dos outros e tendência de tentar resolvê-las.

Já que o codependente tem medo de perder o amor de alguém, ele acaba buscando aprovação constantemente. Mesmo que sofra ao tolerar determinados abusos, essa pessoa fará o que puder para conquistar a atenção do outro. Ele também tem as seguintes características:

  • independente do momento, sempre é solicito, estando pronto para socorrer alguém;
  • possui dificuldade em ter relacionamentos saudáveis, que valorizem o espaço e autonomia dos parceiros;
  • tem desejo obsessivo de controle e cuidado com as pessoas, dando conselhos, sendo gentil ou estando preocupado em excesso;
  • sensação de incapacidade ao pensar que o outro nunca poderá ser ajudado da forma como acredita que merece.

Consequências

Quando uma pessoa com codependência afetiva abre mão de suas próprias necessidades em favor do outro ela acaba se abandonando. Em vista disso, esse tipo de escolha leva o indivíduo a uma vida de autodestruição gradual e por vezes sutil. A verdade é que o tempo gasto com o outro poderia ser usado consigo mesmo, nos seus projetos pessoais e com o seu lazer.

Ademais, ser um codependente influencia diretamente no surgimento de doenças físicas ou psicológicas. Você quer um exemplo? Foi constatado que pessoas codependentes costumam apresentar quadros de ansiedade e depressão mais elevados do que o restante da população.

Leia Também:  Os 7 tipos de depressão para a Psicologia

O tratamento

Quanto ao tratamento, ele visa o resgate da autoestima da pessoa com codependência e a criação de hábitos saudáveis. Desse modo, o paciente aprende a ter relações sadias, sendo mais assertivo em suas atitudes, respeitando as suas necessidades individuais e deixando de controlar os outros.

A psicoterapia resgata a autoestima dessa pessoa para que ela perceba a real importância da sua vida. Além disso, a terapia trata também as sequelas oriundas do transtorno, como a depressão e ansiedade. Caso seja necessário tomar qualquer medicamento, o paciente deverá ser encaminhado a um psiquiatra.

Ainda que a terapia e o empenho dos profissionais sejam recomendados, o tratamento só terá efeito se o paciente tiver consciência do seu problema.

Nunca invalide alguém ou você mesmo

Talvez o próprio codependente consiga se questionar a respeito de suas ações de cuidado e zelo extremo. Porém, a consciência desse indivíduo o leva a crer que é uma forma de amar e proteger o outro. Acontece que, além de sufocar o outro, o próprio codependente deixa de ter autonomia para viver de forma independente e benéfica.

Em vez de se culpar por deixar o outro livre, esse indivíduo precisa confiar na capacidade de autonomia das pessoas. Além de evitar incapacitar alguém, é preciso deixar que o outro faça as próprias escolhas e retome as suas próprias atividades. Trata-se de colocar limites na situação, permitindo que todos possam viver de forma espontânea, sem pressão ou expectativa.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Como se livrar da codependência

Para que uma pessoa seja capaz de dizer à codependência nunca mais, é preciso refazer a forma de ver a vida. Nunca é fácil realizar mudanças tão grandes, mas a necessidade de melhorar é mais urgente que o medo de tentar. Assim, a pessoa em questão precisa:

Reconhecer a codependência

Se alguém possui esse tipo de relação doentia não deve ter medo ou vergonha de reconhecer o problema. Certamente é mais fácil falar do que fazer, mas é importante se atentar para o aspecto destrutivo desse transtorno a fim de esclarecer os erros de um relacionamento. Assim sendo, é importante estar pronto para buscar ajuda o quanto antes.

Ter amor próprio

Quando cuidamos e amamos a nós mesmos fica mais fácil fazer o mesmo pelas outras pessoas. Nunca devemos impor limites para alguém e impedir que o outro tenha a autonomia que precisa para viver. Assim, preservar o amor próprio se torna uma carta de cuidado, carinho e dedicação para si. Só assim é possível fazer o mesmo por alguém.

Seja saudavelmente egoísta

Mesmo que os outros precisem de ajuda, você precisa evitar estar 100% do tempo disponível para eles. Não há problema em ser um pouco egoísta. Dê prioridade para si mesmo e só depois busque fazer o mesmo pelos outros. Você também tem a sua vida, necessidades e sonhos, então se cuide antes.

Considerações finais sobre codependência

A codependência faz uma pessoa não entender o quão importante ela é para si mesma. Ainda que pessoas próximas e queridas precisem de apoio, isso não significa que você deve se deixar de lado por elas. Focar em si mesmo, amadurecer e entender as próprias vontades permite que você seja um parceiro melhor e uma referência de pessoa produtiva.

Para tanto, investir em autoconhecimento ajuda a entender a sua verdadeira essência, sem se deixar levar pela vontade alheia. Jamais negligencie as suas necessidades! Somente quando estiver pronto, estenda a mão para ajudar quem precisa.

Leia Também:  Medo crônico de velocidade: causas e tratamentos

Se você quer descobrir como ter autonomia de verdade, se inscreva em nosso curso online de Psicanálise. Além de aprimorar a sua percepção, nossas aulas ajudam a revelar o seu potencial e a sua capacidade de realização pessoal. Quando conquistar a sua liberdade de escolha, você será capaz de lidar com qualquer barreira de desenvolvimento, incluindo a influência desse transtorno, inclusive da codependência química.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete − quatro =