Codependência: significado e 5 formas de superar

Posted on Posted in Comportamentos e Relacionamentos, Psicanálise

A codependência é um comportamento ou padrão de relacionamentos disfuncionais.

As características de uma pessoa codependente incluem necessidade excessiva de ser amada, medo de abandono, baixa autoestima e dificuldade em estabelecer limites saudáveis.

A seguir, vamos explicar o conceito de codependência, as características de pessoas codependentes e como superar esse problema.

O que é a codependência

A codependência é um transtorno emocional que envolve um padrão disfuncional de comportamento e relacionamentos. Inicialmente, estava relacionada a dependentes químicos, mas hoje se estende a outros transtornos e dependências.

Na codependência, a pessoa se sente emocionalmente ligada a alguém com dependências psicológicas, químicas ou físicas graves. Isso afeta ambos na relação, pois o codependente não ajuda o dependente a melhorar, mas a permanecer na situação.

O codependente acredita que sua felicidade depende da pessoa que quer ajudar, tornando-se emocionalmente dependente. Assim, é muito permissivo, tolerante e compreensivo diante de abusos, colocando sempre as necessidades do outro acima das suas.

Casos de codependência

Dos casos mais conhecidos, a grande maioria são pais e cônjuges. Afinal, essas são relações que mais necessitam de níveis de cuidado e dependência.

Um filho precisa de um pai/mãe para conseguir se desenvolver. Por outro lado, um casamento é composto por duas pessoas que decidem compartilhar a vida.

É preciso com entender que são relacionamentos em que há vínculos, mas que é preciso estabelecer limites. Nos casos de codependência, essas pessoas vivem em função do outro.

Ou seja,  são bem preocupados com o bem-estar do seu par e se sentem responsáveis por eles.

Diante de tudo isso, é interessante ver que a codependência não é detectadade forma fácil. Afinal, se preocupar com o outro é algo louvável.

Porém, quando essa preocupação é excessiva e acontece a anulação de si mesmo, isso é um problema. Portanto,  não se deve viver em função do outro.

Características de uma pessoa codependente

Melody Beattie, em seu livro “Codependência Nunca Mais” cita algumas características das pessoas com codependência.

Vamos listar aqui algumas delas:

  • se considerar responsável pelo outro. Essa responsabilidade se dá sobre os sentimentos, pensamentos, ações, escolhas, desejos, necessidades e até pelo destino do outro;
  • sentir ansiedade e culpa quando o outro tem algum problema;
  • sentir obrigação de ajudar e resolver o problema do outro. Essa ajuda pode vir na forma de conselhos, sugestões ou ações. Essas atitudes acontecem diante de solicitações ou não;
  • sentir raiva quando não consegue ajudar de forma eficiente;
  • culpar os outros pela situação que está e como se sente;
  • acreditar que o outro está o levando à loucura;
  • não acreditar que está sendo apreciado o suficiente pelo que faz;
  • achar que não é bom o bastante;
  • resumir a sua vida em ser necessário para o outro.

Como superar a codependência

Como vimos, a codependência não prejudica apenas de um lado da relação. É normal e importante que a gente sinta compaixão pelo outro e ao menos possamos tentar ajudar quem precisa.

Porém, quando deixamos de pensar em nós para focarmos no outro, isso nos prejudica. Além do mais, a codependência faz focar no outro como um problema que nos motiva.

QUERO INFORMAÇÕES PARA ME INSCREVER NA FORMAÇÃO EM PSICANÁLISE

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




    Contudo, ao viver em função da dependência do outro, se esta deixa de existir, fica um vazio. Portanto, é preciso lutar para se libertar disso.

    Dessa forma, achamos importante trazer 5 formas para ajudar a superar a codependência:

    Reconhecer a codependência

    Como dissemos, a codependência é algo muito difícil de enxergar. É algo que aumenta de forma progressiva até chegar ao ponto patológico.

    Porém, é preciso reconhecer quando os limites foram ultrapassados. A partir disso, é preciso aceitar que temos um problema e buscar ajuda.

    Busque ajuda

    Depois de reconhecermos que precisamos de ajuda, devemos buscar essa ajuda. Há profissionais responsáveis e preparados para ajudar.

    Assim, é preciso entender que é um problema difícil e complexo e que não precisamos lidar com ele sozinhos. Nesses casos, a psicoterapia pode ser muito útil tanto para o tratamento, quanto para a descoberta do transtorno.

    Além disso, em casos de dependência química, toda a família precisa de ajuda. Por essa razão é que cria-se grupos de apoio que podem ajudar todos os familiares a lidar com a situação.

    Coloque sua vida como prioridade

    Como dissemos, não é que não devemos ajudar as pessoas, ou nos preocuparmos com elas. Porém, não podemos colocar o outro como prioridade fundamental. Nós temos uma vida, sonhos, problemas, dificuldades e alegrias; não podemos deixar de lembrar disso.

    Assim, não podemos deixar de lutar por nós mesmo. Do mesmo modo que o outro precisa de ajuda, nós precisamos nos ajudar.

    Sabemos que diante de uma situação de sofrimento, é muito difícil pensar nas nossas necessidades. Porém, há mudanças na vida dos outros que estão além de nossos esforços. Por outro lado, há coisas em nossas vidas que só dependem de nós.

    Precisamos sim nos alegrar pelas vitórias dos outros, mas precisamos comemorar as nossas. Precisamos gastar tempo com o que precisamos, queremos e sonhamos. Ter em mente que somos importantes e que nossa vida vale a pena é fundamental.

    Desenvolva sua autoestima

    Geralmente, a pessoa com codependência tem baixa autoestima. Ela sente que não é inferior e que precisa do amor do outro. Mesmo que na relação haja abuso, a pessoa sente que não consegue viver algo melhor que isso.

    Como dissemos, a codependência de levar a crer que você precisa ver o outro feliz para estar feliz. A autoestima, nessa situação, sempre vai estar em um nível inferior ao bem-estar do outro.

    Sair dessa situação, se reconhecer como digno de cuidado e valor é fundamental. Assim, busque o autoconhecimento e também busque se amar. Isso vai ajudar muito na luta contra a codependência.

    Deixar de querer controlar a vida do outro

    Deixar de focar na vida de outra pessoa é fundamental. Você precisa entender que o outro é capaz de resolver os problemas dele. Além disso, é importante entender que o outro tem responsabilidade por suas escolhas.

    Quando compreendemos isso, deixamos que seja protagonista de sua própria vida para que possamos nos tornar protagonistas de nossas próprias vidas.

    Diante de tudo isso, fica a lição de que devemos encorajar uma pessoa e aconselhar, mas apenas quando isso nos for solicitado.

    As pessoas devem aprender a viver suas próprias vidas, da mesma maneira como nós devemos aprender a dizer não. Isso é importante para ajudar o outro a assumir responsabilidades.

    Conclusão

    A codependência é um assunto muito importante e que deve ser encarado de forma séria. Se você passa por isso, busque ajuda. Se conhece alguém que está passando por isso, se capacite para ajudar.

    Tanto em um caso quanto no outro, o nosso curso de Psicanálise Clínica pode te ajudar.

    Confira!

    12 thoughts on “Codependência: significado e 5 formas de superar

    1. Gostei muito da matéria de codependencia,estou sofrendo com este problema, gostaria de receber mais conteúdo sobre o tema,se possível.

    2. Estou sofrendo a alguns anos de codependencia,e hoje me dei conta que estou muito doente. Preciso de ajuda urgente

    3. Marcelia augusta disse:

      Eu sofro muito descobrir que sou codependente, preciso muito de ajuda pois não aguento mais, já deixei ultrapassar todos os limites.

      1. Psicanálise Clínica disse:

        Marcelia, é importante você buscar uma ajudar profissional (psicanalista ou psicólogo). E, ao mesmo tempo, contar com o apoio de seus familiares para você conseguir um suporte físico e emocional para conseguir superar o relacionamento abusivo.

        1. Sobrevivente disse:

          Familiar deve ser aquela pessoa que não julga sem conhecimento. Geralmente os familiares dizem que é frescura, que é coisa da nossa cabeça. O certo mesmo é buscar ajuda profissional. Ou, se de tudo não conseguir um profissional, tente apenas com uma pessoa que seja de confiança, neutra, que saiba ouvir sem criticar, sem apontar seus pontos fracos. São poucas as pessoas que sabem fazer isso. O ser humano não sabe ouvir. Mal a gente começa a falar e já é interrompido com um problema maior de quem deveria APENAS nos ouvir. Isso é muito desagradável e desestimulante.

    4. Muitoooo esclarecedor! Obrigada por esta matéria!

    5. A codependencia é como se você tivesse um cadeado atrelado a dois cérebros totalmente diferentes. E o pior, você não encontra a chave.

    6. Sobrevivente disse:

      Misericórdia! Esse assunto é muito sério! Passei por isso. Graças a DEUS consegui – depois de muitos sofrimentos, raiva, ódio, perdas na vida e no relacionamento, frustrações, angústias, depressão, etc – sair dessa. Meu DEUS! Pior que depois que eu me libertei – em muitos momentos e ainda hoje – sinto que NÃO mereço a nova vida, que devo voltar nesse “inferno da Codependência afetiva”. Santo DEUS! Descobri isso porque eu queria saber o que eu sentia, o porquê de eu me sujeitar àquele casamento destrutivo. Meu DEUS! Como eu sofri!

    7. No meu caso, é com minha filha que tem bipolaridade e sofro sem saber como ajuda_la.me orientem por favor estou precisando muito. Não tenho vida própria,vivo em função do estado emocional dela.se está bem fico bem.se não está….me ajudem

    8. Sou codepende de um parceiro adicto. Estou passando pelo pior momento dos 11 anos de relacionamento. Ele já foi internado e não resolveu nada, só piorou. Me humilha e me ofende de graça, hoje me deu uma tapa no braço e tapou minha boca por 100 reais. Sinto vergonha de contar as pessoas. Quero ir embora mas me sinto presa. Ele me manipula e me ameaça, preciso de ajuda e não sei mais o q fazer. Me ajudem, por favor

      1. Procure em sua cidade os grupos de amor exigente , eles podem lhe ajudar coma independência gratuitamente

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *