Dostoievsky

Dostoiévsky: ideias filosóficas e lista de livros

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

O trabalho do escritor russo Dostoiévsky faz com que ele seja um dos mais importantes escritores da literatura mundial. Afinal, ele e o seu trabalho continuam relevantes no mundo atual, gerando debates a respeito do tema das obras. Por isso que nós conheceremos melhor as suas ideias filosóficas e recomendaremos uma lista dos livros mais famosos do autor.

Quem foi Dostoiévski?

Fiodor Mikhailovich Dostoiévsky foi, sem dúvida, uma importante figura da literatura russa. Para muitos especialistas, Fiodor é considerado como o pai do Realismo.

Como escritor, Dostoiévski fez grandes contribuições para a literatura mundial, algumas consideradas obras-primas. Por exemplo, ele é o autor de “Crime e Castigo” e do clássico “Os irmãos Karamázov”.

As pessoas que leem as suas obras encontram com frequência temas que abordam questões existencialistas. Além disso, as obras de Fiodor Dostoiévsky também abordam temas mais simples, como a culpa, humilhação, suicídio ou doenças humanas.

O jovem Fiodor

O escritor russo Dostoiévski nasceu em 11 de novembro de 1821 na cidade de Moscou, Rússia. Seu nome é uma junção do nome dos seus pais, visto que se chamavam Mikhail Dostoiévski e Maria Fiodorovna Netchaiev. A mãe de Fiodor faleceu quando ele tinha 15 anos no dia 27 de fevereiro do ano de 1837.

Após a morte da sua mãe, Dostoiévsky foi mandado para a Escola de Engenharia militar, localizada em São Petersburgo. Dois anos após a morte da mãe, o jovem Fiodor descobre que seu pai foi morto por colonos em sua fazenda. Segundo historiadores, Fiodor desenvolveu ataques de epilepsia quando soube da morte do pai.

O mundo da escrita

No ano de 1841 Fiodor Dostoiévsky desenvolveu “Maria Stuart” e “Boris Godunov”, dramas históricos que não foram concluídos. Ele conciliava a carreira de escritor com o recente emprego na seção de engenharia de Petersburgo. Tanto que Fiodor traduziu “Dom Carlos”, de Schiller, e “Eugênia Grandet”, de Balzac, ambos romances enquanto trabalhava.

Decidido a ser um escritor, Dostoiévsky se demitiu do seu emprego em 1944 para escrever “Gente Pobre”. Em suma, ele escreveu uma novela com o objetivo de descrever o lugar considerado medíocre onde ele vivia.

Mesmo que Fiodor tivesse alcançado reconhecimento por causa de “Gente Pobre”, publicando uma segunda edição, o sucesso não se repetiu. Tudo porque ele recebeu críticas negativas pelo livro “O Duplo”, algo que o afastou das pessoas. Como resultado, o escritor russo começou a duvidar da sua habilidade como escritor.

Características do trabalho de Fiodor​ Dostoiévsky

​​​​​​O escritor russo Dostoiévski escrevia livros com uma estrutura narrativa bastante definida. Ele não apenas mantinha uma estrutura parecida nas suas obras, mas também escrevia sobre temas recorrentes. Por isso que as características mais marcantes do trabalho dele são:

  • Temáticas religiosas, já que o autor era bastante ligado à sua religiosidade,
  • Romances que abordam questões existenciais, doenças, suicídio e culpa,
  • Obras de comédia, sátira e que valorizam o fantástico,
  • Personagens que são marcados mais por seus diálogos que pelas suas descrições físicas,
  • Tendências a escrever sobre religião e política,
  • Valorização do enredo em vez da descrição de cenários e personagens.
Leia Também:  Psicólogos em Diadema: 20 recomendados

Filosofias na vida e obras de Dostoiévsky

Por causa do cristianismo, Fiodor Dostoiévsky pregava a solidariedade como um grande valor para a cultura eslava. Ele desenvolveu obras onde a filosofia e o psicológico das pessoas conversavam a respeito de temas comuns. Por exemplo, o escritor sempre descreveu o contexto social, religioso, político e espiritual da sociedade russa na sua época.

À medida que o tempo passou, Dostoiévsky foi considerado um dos fundadores do existencialismo literário. Segundo especialistas, o existencialismo afirma que a existência do homem é a chave para resolver todos os problemas. Além disso, de acordo com o existencialismo, o homem é livre e responsável pelas decisões que toma.

Ademais, Fiodor também incluiu a doutrina niilista nas suas obras. Em suma, o niilismo afirma que nada é absoluto e que as pessoas sempre devem questionar as interpretações da realidade. O próprio Dostoiévsky, por meio do livro “Os irmãos Karamazov”, desafia a existência de Deus afirmando que “Se Deus não existe, logo tudo é permitido”.

A vida como escritor

Dostoiévsky, com certeza, ficou marcado pelo tempo em que esteve na prisão. Ainda que ele fosse anistiado em 1859, o escritor retornou para Petersburgo transformado por causa dessa experiência difícil. Ele descreveu os momentos na prisão nos livros “Memórias do Subsolo” e “Memórias da Casa dos mortos”.

Entretanto, o autor tem como obras mais famosas:

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Crime e Castigo

    O protagonista é o estudante Raskólnikov que para salvar a sua família mata uma pessoa. Contudo, o estudante acaba matando outra pessoa, dessa vez inocente. Após o seu crime Raskólnikov passa a viver com bastante culpa por causa dos seus atos.

    Enquanto ele se desespera com a investigação da polícia, resolve confessar o assassinato a uma prostituta. Para amenizar o arrependimento dele a prostituta lhe mostra o caminho do evangelho. “Crime e Castigo” é uma obra que reflete a respeito de questões existenciais e sobre como as pessoas se relacionam com o divino.

    Os irmãos Karamázov

    Lançado em 1880, muitas pessoas consideram esse livro como a obra-prima de Dostoiévsky. Além da conexão e construção rica dos personagens, os leitores percebem reflexões indiretas do próprio autor a respeito da obra.

    Em suma, uma família deve confrontar uma tragédia ao descobrir que um dos filhos matou o próprio pai. Para muitas pessoas, o enredo serve como alegoria dos intelectuais russos. O patriarca da família, por exemplo, é a representação dos pecados grandiosos da Rússia.

    Os Demônios

    Muitos críticos atacaram o livro “Os demônios”, afirmando que, com essa obra, o autor estava mal de saúde mental. Fiodor escreveu um romance político que satiriza os anarquistas, niilistas, conspiradores e outros grupos ideológicos. Segundo o autor, esses grupos planejavam a destruição da Rússia e da igreja Ortodoxa.

    Lista de indicações

    Por fim, confira a lista que selecionamos para indicar algumas obras de Fiodor Dostoiévsky. Caso você queira entender melhor o legado do autor, experimente ler:

    • O eterno marido,
    • O idiota,
    • Crime e Castigo,
    • Noites brancas,
    • O jogador,
    • Os demônios,
    • ​​​​​​​Gente Pobre,
    • O Duplo,
    • Humilhados e Ofendidos,
    • O Adolescente,
    • Memórias do Subsolo,
    • Memória da Casa dos Mortos,
    • Os Irmãos Karamázov​​​​​​​.

    Considerações finais sobre Dostoievsky

    Fiodor Dostoiévsky é, sem dúvida, um dos escritores mais provocativos da literatura mundial. Ele desenvolveu histórias de temáticas simples, mas com contextos muito complexos para a época. Talvez o escritor russo não tenha recebido o reconhecimento que merecia enquanto estava vivo, bem diferente do que acontece hoje.

    Leia Também:  Avaliação Psicopedagógica: o que é, como fazer?

    Fiodor ainda é capaz de atrair novos leitores e criar debates a respeito dos seus livros. Ou seja, a obra do escritor é um trabalho atemporal capaz de ser inserido no contexto de várias épocas. Mesmo que você não concorde com a visão do escritor, a leitura dos seus livros talvez te ajude a compreender a época de lançamento deles.

    Depois conhecer melhor Dostoiévsky que tal você fazer o mesmo por si e se inscrever em nosso curso online de Psicanálise? O nosso curso é um excelente agregador pessoal, visto que você desenvolverá autoconhecimento e seu poder interno. Garantindo agora a sua vaga no curso você poderá transformar a sua vida por um investimento acessível.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *