educacao-filhos-educar-criancas

Educação dos filhos em 10 dicas de psicanalistas

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

A convivência civilizada em sociedade é uma prática que deve ser contínua, sempre considerando as subjetividades de cada indivíduo. Você já deve ter ouvido que, hoje em dia, filho é sinônimo de preocupação. Contudo, impõe-se como desafio, na verdade, a necessidade de compreensão do outro, do lugar que o outro ocupa e a forma como o outro é influenciado e intervém no mundo. Por isso, existem valores que norteiam a educação dos filhos em 10 dicas de psicanalistas.

Todas as ações deveriam focar no desenvolvimento de crianças e adolescentes. Afinal, no Brasil, a própria Constituição estabelece que eles são “prioridade absoluta” para a família, a comunidade e o Estado. Mas qual deve ser, de fato, o foco da educação dos filhos em uma sociedade cujo modelo de família se apresenta de diversas formas, já que se superou a ideia de um parâmetro familiar único e estanque?

E as dúvidas não param por aí. O que vocês, mães e pais, precisam compreender para ter maior êxito no processo de formação de um indivíduo? A seguir, veja os principais valores que fundamentam a educação dos filhos.

Dez dicas de psicanalistas para educação dos filhos

1 – Exerça o respeito recíproco;
2 – Aja sempre com honestidade;
3 – Desenvolva afetividade;
4 – Valorize empatia;
5 – Pratique gratidão e tolerância;
6 – Atue com companheirismo e atenção;
7 – Tenha autoridade e sintonia;
8 – Assuma responsabilidade;
9 – Saiba compreender as diferentes etapas da vida;
10 – Busque a assertividade nas decisões.

Como colocar em prática a educação dos filhos dentro e fora de casa?

Apesar de não ser um código de conduta, a lista de valores que sustentam a excelência na educação dos filhos deve ser colocada, sempre, no horizonte, como algo a ser atingido. Não há hierarquia entre eles, já que se entrelaçam e se complementam, mutuamente, o tempo todo.

Tudo bem! Você deve dizer que não amanhece bem todos os dias, com o sol brilhando no céu, e disposto a se lembrar das dicas dos psicanalistas para educação dos filhos ou de qualquer outra pessoa que necessite do seu auxílio para se tornar mais humana e, civilizadamente, mais evoluída. É por isso que a psicanálise detalha as orientações.

Por que agir com respeito, honestidade e afeto?

– O respeito é um dos maiores valores do ser humano e tem altíssima importância na educação dos filhos. Por isso, considere que o seu filho ou qualquer outra pessoa que esteja sendo educada também tem o direito de ver subjetividade deles respeitada e o dever de retribuir essa atitude a você. Portanto, é uma via de mão dupla.

– Honestidade indica comportamento verdadeiro. Você deve agir, sempre, durante o processo de educação dos filhos, de maneira que eles saiba que quaisquer das suas atitudes se baseiam na referência incondicional aos valores morais de uma sociedade. Se você age com honestidade, é grande a chance de seu filho também ser um cidadão honesto. Superar, com isso, o velho e infeliz ditado: “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço!”.

– Conforme lembra a pesquisadora Sandra Francesca Conte de Almeida, no artigo “O lugar da afetividade e do desejo na relação ensinar-aprender”, a afetividade se expressa por meio do vínculo entre aquele que aprende e aquele que ensina. Portanto, como destacou ela, “constitui elemento inseparável e irredutível das estruturas da inteligência.

De que forma empatia, gratidão e companheirismo influenciam a educação dos filhos?

– A empatia, por sua vez, é outra grande ferramenta que pode ser usada na educação dos filhos. Refere-se à capacidade de se colocar no lugar do outro, de forma genuína, sem esperar nada em troca. Portanto, não eduque seus filhos pensando que eles vão lhe retribuir no futuro. Mais que isso: eduque-os para a vida, para a autonomia e para a liberdade.

– Em tempos de relações interpessoais cada vez mais vulneráveis por causa da correria do dia a dia, fica ainda mais rara a nossa capacidade de reconhecer e agradecer alguém por uma boa ação. Então se seu filho agiu de forma adequada diante de determinada situação, agradeça-o, por mais que a atitude dele não fosse mais que “mera obrigação”. Além disso, aprenda a tolerar características e pensamentos de seus filhos que são discordantes das suas. Afinal, eles não são suas marionetes.

– Você, pai, e você, mãe, tem o deve de ser o melhor amigo de seus filhos, sem sufocá-los. A educação dos filhos requer parceria, companheirismo, trilhar um caminho juntos, sabendo que, no fundo, existirá sempre alguém que vai dar todo o suporte adequado para que eles sigam sempre adiante, sem medo.

Autoridade, na educação dos filhos, é o reflexo do conjunto de valores

– A autoridade é um reflexo de todos os valores atuando, conjuntamente, na educação dos filhos. Os filhos precisam saber que eles devem respeitar e seguir as regras estabelecidas pelos seus pais, desde que não sejam autoritárias ou repressivas. Mães e pais sem autoridade acabam se submetendo às ordens de quem eles criaram.

– Entenda, também, que pais e mães exercem uma responsabilidade muito grande na educação dos filhos e não pode ser transferida a outras instituições da sociedade, como a escola, por exemplo. Como lembra o filósofo e professor Mário Sérgio Cortella, a função da escola é o ensino, a formação, a construção de cidadania, a experiência científica e a responsabilidade social. Isso, portanto, não exime os adultos do dever de educar bem os seus filhos.

– Além disso, compreender que os indivíduos vivem em constante desenvolvimento é fundamental para o processo de educação dos filhos. Isso faz com que os pais reconheçam as diferentes fases da vida dos filhos, como a infância, a adolescência, a juventude e a fase adulta. Cada uma delas tem suas particularidades que precisam ser observadas.

– E, para finalizar, outro detalhe importante: sentimento de pena não é bom. Então, diante de uma ameaça de seus filhos ou comportamento emotivo deles, cuidado para não recuar nas suas decisões. Tudo bem que você tem de evitar ser autoritário, mas também não é nada bom ser permissivo. Ambos os comportamentos podem ser prejudiciais para a educação dos filhos

Não é mero ciúme!

Outro ponto que deve chamar atenção no processo de educação dos filhos é o Complexo de Édipo, que ocorre quando a criança do sexo masculino começa a sentir forte atração pela figura materna, com grandes demonstrações de ciúme dela quando está num convívio mais próximo com o marido, por exemplo. O contrário também ocorre, quando uma filha desenvolve o complexo pelo pai.

O conceito de Complexo de Édipo foi desenvolvido pelo pai da psicanálise, Sigmund Freud. De acordo com ele, a superação desse problema é muito importante na educação dos filhos e fundamental para que o menino perceba a representatividade do pai na relação. Superar esse problema evita que a criança, ao atingir a fase adulta, desenvolva dependência exagerada do sexo oposto, submissão ou opressão.

Um convite ao aprofundamento

Se você tem filhos ou trabalha com crianças (na área de educação ou saúde, por exemplo), sabe da responsabilidade que temos por esses pequenos seres e, claro, pela felicidade deles e para o futuro da humanidade.

A Psicanálise baseia-se muito de sua teoria em pontos da infância: para Freud, o período que vai do útero até um pouco menos de 10 anos de idade é definidor da personalidade, das neuroses, das psicoses.

Venha estudar conosco em nosso Curso On-line de Formação em Psicanálise, para enriquecer ainda mais o seu conhecimento como diferencial para lidar melhor com “nossos pequenos”.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

One thought on “Educação dos filhos em 10 dicas de psicanalistas

  1. O entidade “Psicanálise Clínica”, o texto acima é tão claro nas informações e explicações a respeito do tema “educação de filhos”, já que não deixam dúvidas, apesar que o mesmo é direcionado para o público em geral. No entanto, os conceitos científicos/psicanalíticos estão tão coerentes nos conceitos que facilita e muito à compreensão do leitor. Há o uso da linguagem, das palavras e de conceitos, extremantes concatenados (envolvendo Ciência específica, cultura das ideias, as realidades…). Portanto, gostei desse texto sim, o porquê, informa, orienta, questiona, esclarece, dá dicas e sobretudo coloca o leitor a refletir sobre o papel da educação dos filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *