Essencialismo

Essencialismo: significado, princípios e práticas

Posted on Posted in Comportamento, Conceitos e Significados

O termo essencialismo tem feito bastante sucesso nos últimos anos, pois várias pessoas começaram a se identificar com o estilo de vida pregado por Greg McKeown, escritor do livro “Essencialismo: A disciplinada busca por menos”.

Neste artigo, exploramos algumas das principais ideias do autor. Falamos do que o essencialismo significa, bem como sobre o que é ser essencialista. 

Ademais, explicamos 7 práticas da pessoa essencialista para você incorporar à sua vida hoje mesmo. Confira!

Qual é o significado de “essencialismo”?

O essencialismo, como diz o próprio nome do livro, é a busca disciplinada por fazer menos. Trata-se de um sistema de vida no qual a escolha dos projetos com os quais vamos engajar é feita de forma deliberada e não de qualquer jeito.

O essencialista procura fazer menos porque ele quer dar mais tempo aos poucos projetos que importam para ele. Quanto mais coisas assumimos fazer, menos tempo e atenção conseguimos dar a todas elas.

Dessa forma, logo nos cansamos e abandonamos projetos pelo meio, além de sentirmos que o que realmente importava não recebeu a energia que merecia.

Conheça os princípios do essencialismo

Agora que você já sabe o que é essencialismo, falaremos sobre 3 dos seus princípios. Ou seja, quais são os valores que orientam a vida do essencialista.

Escolher

Primeiramente, temos que um valor central do essencialismo é a decisão de escolher os projetos com os quais vamos nos envolver.

Dessa forma, quem segue o essencialismo não aceita todos os convites que recebe, não se envolve em todas as oportunidades que aparecem nem faz tudo que tem a aparência de importante.

O essencialista sabe que priorizar é a chave para investir tempo e energia no que importa. Assim, há coisas que recebem toda a atenção e coisas que não recebem atenção alguma.

Discernir

Saber escolher o que importa não é uma habilidade trivial. Logo, o essencialista precisa aprender a discernir o que realmente é importante do que é supérfluo. 

Para cada indivíduo, esse conceito muda, pois todos temos prioridades diferentes e elas vão mudando ao longo da vida.

Perder para ganhar

Por fim, em termos de princípios, o essencialismo prega a importância de aprender a perder para ganhar. Esse princípio parte da ideia de que não é “gostoso” deixarmos de aproveitar oportunidades para focar em poucos projetos.

Muitas vezes, será necessário negar convites que nos deixam animados porque pensamos em um bem maior.

Por exemplo, pense em um atleta olímpico que segue uma dieta rígida e horários de treino pesados para competir. Diariamente, ele precisa fazer escolhas difíceis com relação à alimentação e à rotina.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Nem sempre ele vai querer acordar cedo e nem sempre será agradável recusar um jantar com os amigos. No entanto, no momento em que ele sobe ao pódio porque focou em seu projeto, todas as escolhas que ele fez “perdendo” valem a pena.

    Leia Também:  Seja a melhor versão de si mesmo em 14 passos

    Conheça agora 7 práticas da pessoa essencialista? 

    Agora que você já aprendeu quais são os princípios do essencialismo, confira algumas das práticas que resumem o que é ser essencialista!

    1. Escapar – estar indisponível

    Para seguir o essencialismo, você deve aprender a estar indisponível. Ou seja, nem sempre todos poderão contar com você porque a sua energia se direciona para os seus próprios projetos.

    Não se trata de egoísmo quando você comunica a quem importa quais são as suas prioridades. Ademais, é importante comunicar o quanto você pode se comprometer com outra coisa que não o seu objetivo central.

    2. Escolher o que importa com critérios rígidos

    Para escolher o que é prioridade, você precisa ter critérios rígidos. Porém, não podemos ditá-los a você, pois os critérios de cada um são individuais. 

    Para descobrir os seus, reflita sobre o que você tem de mais importante na vida e quais são os seus maiores sonhos. É nessas coisas que deve estar a sua energia.

    3. Dizer não

    Quem segue o essencialismo precisa aprender a difícil tarefa que é dizer “não” tanto para as pessoas próximas quanto para as mais distantes. Para muita gente, essa é uma tarefa realmente árdua e que necessita de muita dedicação.

    O “não” seco parece rude e desrespeitoso, porém existem várias maneiras de negar um pedido ou uma nova atribuição. Confira as opções abaixo:

    • No momento estou ocupado com a tarefa x; você pode me consultar sobre isso quando eu estiver livre?
    • Estou com um projeto que está tomando todo o meu tempo agora, então não posso me envolver com nada.
    • Essa não é uma prioridade minha hoje. 

    4. Estabelecer limites para si e para os outros

    O “não” já cumpre parcialmente a necessidade essencialista de estabelecer limites. É importante que as pessoas do seu convívio saibam que a sua disponibilidade para as necessidades que elas têm é limitada.

    Além disso, essa é uma noção que você precisa ter com muita clareza. Do contrário, sempre abrirá concessões de tempo e energia para atuar em projetos que não são seus. 

    Veja bem: o essencialista não é uma pessoa egoísta, que só se preocupa consigo mesma. No entanto, ela entende que sua atuação em projetos alheios não é central. 

    5. Remover obstáculos

    Outra prática essencialista é a capacidade de identificar e remover obstáculos na rotina que sugam tempo e energia. Talvez hoje, ao ler este texto, você pense que priorizará seus projetos a partir dos próximos pedidos que receber.

    No entanto, reflita também sobre os projetos nos quais já está trabalhando hoje, mas que não têm nada a ver com o que é prioridade para você. 

    Se existe a oportunidade de abandoná-los para conseguir mais foco e energia, faça isso!

    6. Ter uma rotina fluida

    O essencialismo ajuda as pessoas a terem rotinas mais fluidas, isto é, fáceis de executar. Quando enchemos o nosso dia a dia com responsabilidades sem fim, seguir a nossa rotina se torna uma tarefa impossível.

    Ademais, quando conseguimos dar conta, é às custas de nossa saúde e descanso, que deveriam ser prioridade. 

    7. Focar no que é importante agora

    Finalmente, é importante que os essencialistas aprendam a focar no que é importante agora, pois, dessa forma, tomarão decisões práticas que impactarão sua vida no tempo presente.

    Essencialismo: Considerações finais

    Gostou dessa apresentação resumida do essencialismo? Então não deixe de ler a obra de Greg McKeown para entender o conceito mais a fundo. O livro é rápido de ler porque a escrita do autor é fluida e descontraída.

    Para ler outros artigos sobre temas semelhantes ao essencialismo, basta continuar navegando pelo Psicanálise Clínica. Porém, para navegar em águas mais profundas no que diz respeito a desenvolvimento pessoal e comportamento humano, matricule-se já em nosso curso online de psicanálise. Essa formação será um divisor de águas em sua vida pessoal e profissional!

    2 thoughts on “Essencialismo: significado, princípios e práticas

    1. Muito bom,gostei do texto! Realmente o essencialista, tem focar num projeto para que ele possa se dedicar e fazer um trabalho de qualidade! Parabéns!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.