Estabelecer limites para crianças pode parecer uma das partes mais complicadas da educação gentil. Por isso,trouxemos algumas dicas para você!

Como estabelecer limites para crianças?

Posted on Posted in Comportamento

Estabelecer limites para crianças pode parecer uma das partes mais complicadas da educação gentil. Pois, preocupamo-nos com o fato de que, se formos muito duros, estaremos descendo a ladeira escorregadia da paternidade autoritária.

Por outro lado, se formos permissivos demais em nossos limites de paternidade, sabemos que isso também não é um bom presságio para nossos filhos. Logo, estabelecer limites com as crianças pode ser um pouco como andar na corda bamba emocional.

Por isso, neste artigo, separamos algumas dicas para facilitar na hora de estabelecer limites de uma forma afetuosa e eficaz. Sendo assim, continue a leitura!

Estabelecer limites: o que são e para que servem?

Os limites são necessários para educar as crianças e orientá-las no caminho da vida sobre o que é certo e o que é errado. Além disso, por meio dos limites, elas entendem como devem se comportar e se relacionar com as outras pessoas para serem felizes.

No entanto, para muitos pais, tentar impor limites para crianças é a coisa mais difícil. A vista disso, não sabemos muito bem como fazê-lo e nos preocupamos em não acertar nossas decisões. Contudo, os limites são importantes para nossos filhos porque os ajudam a melhorar seu comportamento.

Ademais, seus valores e autoestima. Sendo assim, determinar limites é uma forma de amor. Assim como os presentes e outras demonstrações de carinho. Então, confira como estabelecer uma relação mais saudável com seus filhos.

1. Dê ordens específicas

É comum ouvirmos expressões como ‘seja bom’, ‘seja legal’ ou ‘não faça isso’. No entanto, nossos filhos nos compreenderão melhor se definirmos regras de uma forma mais específica. Pois, uma regra com toneladas de camadas e muitos detalhes é impossível para uma criança seguir.

Dessa forma, declare a regra com clareza e enquadre-a de maneira positiva. Então, em vez de dizer “Não jogue seus brinquedos”, enquadre-o como “Os brinquedos são para brincar e cuidar”.

Portanto, usar uma linguagem positiva incentiva o aprendizado e mostra às crianças o que você deseja que elas façam. Por outro lado, a linguagem negativa pode ser punitiva e não encoraja mudanças.

2. Dê a oportunidade de escolha

Em muitos casos, podemos fornecer aos nossos filhos a oportunidade de decidir como cumprir tarefas. Dessa forma, a liberdade de oportunidade dá à criança uma sensação de poder e controle.

Por exemplo, na hora do banho, use a seguinte estratégia: “você quer tomar banho sozinho ou prefere que eu acompanhe?” Ou ainda na hora de se vestir, “você quer escolher um terno ou eu escolho?” Logo, esta é uma maneira mais fácil e rápida de dar a uma criança duas opções para fazer o que queremos.

3. Tenha firmeza

Em momentos importantes, quando existe resistência aos limites, é preciso aplicar as regras com firmeza. Assim, seja firme ao dizer “vá para o seu quarto agora” ou “Pare!, Os brinquedos não devem ser jogados pela casa”.

Leia Também:  O que é a inveja na interpretação da Psicanálise?

De qualquer forma, os limites firmes são melhor aplicados com um determinado tom de voz, sem gritos e com determinadas expressões. Desse modo, expressões mais suaves significam que a criança tem a escolha de obedecer ou não.

4. Explique as regras

Ao passo que uma criança entende uma regra como um meio de impedir circunstâncias perigosas, ela se sentirá mais encorajada a obedecê-la. Portanto, para obter sucesso é preciso explicar à criança por que ela deve seguir tal comando.

Desse modo, ao compreender o motivo, as crianças podem desenvolver valores internos de conduta ou comportamento e criar sua própria consciência. Sendo assim, antes de dar uma explicação longa que pode distrair as crianças, explique o motivo em poucas palavras.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Por exemplo: “não morda as pessoas. Isso vai machucá-las. “

    5. Controle suas emoções ao estabelecer limites

    Por fim, recomendamos que você controle suas emoções, mesmo que seu filho tenha se comportado de maneira inaceitável ou não queira cumprir as regras estabelecidas. Todavia, é preciso, ao mesmo tempo, manter a calma e tentar ser inflexível com as regras.

    Em vista disso, podemos tentar falar com as crianças, mas nunca gritar, bater ou qualquer outro comportamento violento. Portanto, o melhor é se acalmar, contar até 30, respirar e tentar conversar com a criança sobre seu comportamento.

    Quando começar a estabelecer limites?

    Nesse sentido, a melhor época para começar a estabelecer padrões de comportamento é nos primeiros meses de vida, quando a criança ainda é bebe. Nessa fase, é fundamental desenvolver rotinas de alimentação, higiene, brincadeiras e sono, em horários específicos e, se possível, fixos.

    Além disso, essas rotinas não só geram estabilidade física para o bebê, como também regulam seu sistema metabólico e nervoso. Assim como as demais funções biológicas. Logo, à medida que a criança cresce, essas rotinas vão se transformando em hábitos.

    Ou seja, aos 2 anos de idade, o mais provável é que elas tenham internalizado as regras e orientações de comportamento. Dessa maneira, a frequência e a consistência com que esses hábitos são praticados promovem o estabelecimento de normas.

    2 razões pelas quais é importante definir limites para crianças

    1. Limites ensinam autodisciplina

    Definir limites ensina habilidades de autodisciplina. Quando você diz: “É hora de desligar o videogame e fazer sua lição de casa”, você está ensinando autodisciplina. Mesmo que os videogames sejam mais divertidos, é importante ser responsável.

    Contudo, o objetivo final é que as crianças aprendam a administrar todas as suas responsabilidades. Isto é, como dever de casa, tarefas domésticas e cuidar do corpo, sem lembretes. Sendo assim, ajude seu filho a desenvolver estratégias que imponham limites a si mesmo.

    Diga a uma criança para “vencer o cronômetro” quando estiver se vestindo pela manhã e ajuste o cronômetro para cinco minutos. Ou diga a uma criança mais velha que ela pode assistir TV assim que terminar o dever de casa.

    2. Limites mantêm as crianças seguras

    Em primeiro lugar, as regras preparam as crianças a se manterem seguras. Embora possa ser seguro para seu filho brincar ao ar livre, ele pode precisar de limites sobre como se comportar quando estiver sozinho.

    Dessa maneira, os limites também mantêm as crianças seguras quando usam a internet e realizam atividades de forma independente. Por isso, os limites devem se expandir conforme seu filho amadurece. Então, dê ao seu filho oportunidades de mostrar que podem responsáveis com os limites que você forneceu.

    Leia Também:  Uma hora a gente cansa: chegou o momento?

    Então, se eles forem capazes de lidar com os limites impostos, eles poderão mostrar que estão prontos para lidar com mais responsabilidades.

    Considerações finais sobre como estabelecer limites para crianças

    Como vimos, as regras são uma parte natural da vida para colocar limites para as crianças. No entanto, muitas vezes, a ausência de limites na família e em seu ambiente tem consequências negativas para a educação de nossos filhos.

    É por isso que é melhor estabelecê-los desde tenra idade. Logo, as regras fornecem a estrutura para que as crianças entendam o que se espera delas em casa, com os amigos e na escola.

    Caso você tenha interesse em conhecer ainda mais sobre como estabelecer limites, se inscreva em nosso curso online de Psicanalise Clínica. Então, venha desenvolver ainda mais o seu conhecimento para lidar, da melhor forma possível, com os “nossos pequenos”.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *