filme Boa Sorte

Sinopse do filme Boa Sorte: análise da história e personagens

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

O cinema brasileiro carrega propostas sensíveis que conduzem relacionamentos delicados em situações adversas. Ao longo dessas produções, podemos acompanhar como a estrutura psicológica dos personagens foi construída. É o que vamos fazer com a análise do filme e personagens do filme Boa sorte.

Sinopse

O filme Boa sorte conta a história de João, um rapaz com diversos problemas comportamentais. Por conta de sua postura, sua família decide interná-lo em uma clínica psiquiátrica. Logo de início percebemos que o contato do rapaz com sua própria família não é dos melhores. Mas sua ida ao local traz diversas mudanças.

Isso porque ele se apaixona por Judite, uma soropositiva mais velha com pouco tempo de vida. O romance dos dois tem dada próxima para acabar, mas isso só faz com que se torne algo mais intenso. Com isso, decidem fazer loucuras pelo local e a fim de se aproveitarem. Para cada um, se trata de um caminho para novas descobertas.

Quando combinam de terem uma relação sexual, Judite acaba sendo flagrada com um enfermeiro por João. Naturalmente o casal se afasta, mas retomam o contato quando o rapaz descobre a respeito da piora da mulher. Ficando com ela até a hora de sua morte, João faz as pazes com Judite e consigo mesmo. A despedida da moça dá o impulso para que ele viva melhor.

Análise da história

Boa sorte fala primeiramente na relação confusa e complicada entre pais e filhos. João começa a utilizar o remédio de sua mãe e o mistura com refrigerante de laranja. Com isso, o rapaz acredita se tornar invisível, dada à indiferença de sua família e as pessoas na rua. Tudo se mostra como uma grande metáfora ao individualismo.

O uso das drogas serve como forma de escape e chamar a atenção das pessoas. João passa a ter seu comportamento alterado gradativamente em função do ambiente e hábitos que cultiva. Contudo, não tem a atenção que esperava, visto que sua família se mostra negligente emocionalmente.

A ligação e comportamento ao lado de Judite demonstram que os dois têm uma ânsia de viver. O ato de infringirem regras e fazerem loucuras se mostra como uma forma de escaparem da realidade onde vivem. Os abusos, em suas mais variadas formas, configuram como formas de compensação aos próprios personagens.

João

O protagonista João acaba fazendo parte da trama que move o filme Boa sorte. Ao longo do filme, entendemos melhor a sua natureza e como o ambiente em que vive influenciou em suas decisões. O mesmo se via desamparado, de modo a entrar em conflito com a visão de sua família. Isso acaba por originar:

Indiferença

Tanto de João ao mundo como o contrário, é estabelecido uma relação de ignorância existencial. Como forma de intervir, os pais não pensam duas vezes em internar o garoto. Ainda que sua situação seja difícil, não consideraram tanto os sentimentos do rapaz. Como dito e repetido linhas acima, se mostraram distantes e negligentes sentimentalmente.

Escapismo juvenil

João abusa de remédios por não se sentir bem na realidade onde vive, se tornando um dependente. Isso acaba por fazer um paralelo direto com a realidade que vivemos buscando modos de abstrair as dores do mundo. De fácil acesso e com prazer imediato, drogas lícitas e ilícitas servem de descarga emocional.

Autodescoberta

O contato com Judite permite que ele comece a criar uma perspectiva diferente sobre a vida. O casal passa a extrapolar limites às regras impostas pela clínica e sociedade. À medida em que cedem ao desejo em fazer alguma coisa, descobrem mais a respeito de si mesmos.

Leia Também:  Decodificar: conceito e 4 dicas para fazer

Judite

Judite é uma figura quase que avassaladora em Boa sorte. A mesma deixa transparecer uma verve, uma energia que contrapõe diretamente o momento frágil em que vive. Olhando de forma subjetiva, nos lembra aqueles indivíduos que buscam esconder suas dores por baixo de um sorriso. Ademais, notamos na personagem:

Malícia

Ainda que esteja em reta final de sua vida, a sensualidade é algo bastante evidente em Judite. Claro, a síndrome afetou sua aparência, de modo a entrar em um estágio mais enxuto. Contudo, isso não a impede de se insinuar e viver sua sexualidade.

Impulsividade

Judite não avalia e nem controla muito bem os impulsos que carrega. Isso faz com que entre em situações de risco e faça o mesmo com outras pessoas. Antes de cumprir o trato em se relacionar sexualmente com João, a mesma é vista com o enfermeiro da clínica.

A despedida

A morte de Judite tem um impacto significativo na perspectiva de vida de João. Após a morte dela e a despedida, o garoto decide fazer uma mudança significativa em sua própria vida. Inicialmente, ele decide parar de se drogar, sai da clínica e decide retomar sua vida. Com o passar do tempo, consegue se reestruturar novamente e se realizar.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Basicamente, a reeducação de João visa fazer um trato compensatório com a figura da ex-amante e de si mesmo. Tal observação fica evidente quando o mesmo realiza um teste de HIV e nota que não está infectado com alívio. Com isso, ficando feliz, pode realizar a promessa que fez para a mulher de que ficaria vivo para lembrá-la.

A despedida de Judite não se limita a um contato físico, mas também a uma aproximação sentimental. Quando flagra a mulher transando com um enfermeiro da clínica, o rapaz se sente traído. Entretanto, burla a mágoa ao saber que Judite está à beira da morte. Ao se despedir dela também dá adeus a qualquer sensação ruim sobre o acontecido.

Considerações finais sobre o filme Boa Sorte

O filme Boa sorte mostra a relação conflituosa e incompreendida entre as pessoas. Isso fica evidente quando João é mandado a uma clínica psiquiátrica, de modo a ficar afastado da família. Natural vermos o quanto estes ignoram as reais necessidades do jovem, de modo a fomentar ainda mais os seus problemas.

Isso sem contar que a fuga da realidade se torna um objeto recorrido constantemente pelos personagens. Enquanto Judite buscava se expressar e viver da forma como podia para compensar seu estado, João se valia de remédios. Ao se encontrarem, ambos descontam um no outro suas necessidades existenciais. Ainda assim, acabam se unindo.

Caso queira entender melhor os caminhos da mente humana, se inscreva em nosso curso 100% EAD de Psicanálise. Com a ajuda da psicoterapia, você pode levantar respostas concisas a questionamentos comportamentais importantes, como os que vemos no filme Boa Sorte. Dessa forma, acaba alimentando gradualmente um autoconhecimento bem construído.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 10 =