filme O Maquinista

Filme O Maquinista: a Psicanálise por trás do filme

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Todos nós sabemos e sentimos que é necessário um equilíbrio físico e mental para lidarmos com a própria vida. A falta de assistência e mergulho sem proteção em ambientes escuros da mente compromete severamente nosso bem-estar. É o caso do filme O maquinista (0u O Operário), uma reflexão profunda de como fazer isso.

A paranoia

O filme O maquinista conta a história de Trevor Reznik, um solitário operário que não dorme há um ano. Por causa disso, Trevor adquiriu uma aparência cadavérica, sem contar a sua mente fragilizada. Com isso, o protagonista se mostra cada vez mais confuso, ansioso, perturbado e paranoico.

Isso fica evidente na relação que ele mantém com os colegas de trabalho. Após um incidente no qual Trevor fez com que um amigo perdesse o braço, passou a acreditar em conspirações. Entretanto, os sinais que ele carrega vão dando pistas de situações mal resolvidas e até ignoradas conscientemente por ele.

Tudo fica reforçado com a figura do enigmático Ivan que se apresentou como funcionário substituto. A fim de justificar seu deslize no acidente, Trevor menciona a história contada por Ivan. Entretanto, ele descobre que nada disso existiu e ninguém conhecia Ivan. Com isso, passa a ser visto como louco pelos outros funcionários.

Crise

Em dado ponto do filme O maquinista, Trevor é convidado por uma garçonete para ir a um parque de diversões com o filho dela. Ao entrar em uma das atrações, Trevor acaba se deparando com trechos de sua própria realidade. À medida em que as construções vão sendo lhe apresentadas, o protagonista entra em agonia. É nesse momento que o filho da garçonete tem um ataque epiléptico.

Reznik pega o menino no colo em desespero e diz que não tem culpa no que aconteceu. Toda a carga emocional que recebeu agora acabou por alimentar o surgimento de uma crise, bem como sua duração. Tal representação é vista de forma violenta, de modo que o indivíduo perca o controle de si. Mais uma vez, constatamos a culpa subjetivamente.

As alucinações que Trevor experimentou durante a permanência no brinquedo se deram por um surto psicótico não tratado. Dado o seu estado, o problema já se encontrava em sua fase aguda, gerando delírios, alucinações e fala desorganizada. Com isso, ele mesclou o episódio anterior com a crise de epilepsia do garoto, fomentando toda essa vivência.

Consequências

Os traumas vivenciados por Trevor no filme O maquinista crescem de forma exponencial. Em momento algum o personagem se habilita a procurar ajuda e entender de verdade sua vida. Existe uma repressão existencial que acaba alimentando sua perspectiva perturbada de como as coisas realmente são. Com isso, vão ganhando força a:

Confusão

Durante todo o longa, Reznik é acometido por visões que se mesclam aos eventos da realidade. Tudo o que ele vive agora se choca diretamente com as rachaduras de seu passado. Dessa forma, ele se torna incapaz de fazer um juízo concreto da vida, bem como lidar com ela. Ademais, passa a ser visto como louco pelos demais.

Ansiedade

Uma das características mais assombrosas de Trevor é sua aparência, ocasionada pela falta de sono. Por conta disso, o personagem busca formas de passar seu tempo conversando com a funcionária do aeroporto e uma prostituta. Em relação a primeira, notamos que o relógio sempre marca a mesma hora, denunciando uma irrealidade.

Culpa

Reznik passa boa parte do filme represando sua condição e seus traumas do passado. Entretanto, a culpa por um acidente não pode ser apagada de forma fácil. Isso fica evidente quando ele está no parque e o filho da garçonete entra em estado epiléptico. Uma das primeiras reações dele é afirmar que não tem culpa do episódio.

Leia Também:  Estratégia do Oceano Azul: 5 lições comportamentais do livro

Etapas da crise

Nos momentos finais do filme O maquinista descobrimos a verdade envolvendo toda a loucura de Trevor. A figura de Ivan e do pequeno Nicolas, o garoto epiléptico, assumem papéis vitais na sua desordem psíquica. Eles não estão lá porque um está morto e o outro não existe em forma física. Com isso, conseguimos elaborar a etapa da:

Negação

Em meio a um confronto com Ivan, Trevor finalmente descobre que Nicolas está morto e a culpa é sua. Reznik o atropelou há um ano e tentou amortecer o impacto do episódio esquecendo disso. Dessa forma, para que pudesse seguir sua vida, sua mente recolheu esse evento a um lugar onde ele não teria acesso.

Intrusão

Ainda que a mente realoque eventos traumáticos ao inconsciente, não é possível escondê-los totalmente. A intrusão se configura como o retorno desses eventos à consciência. Com isso, Trevor passou a ter pesadelos, visões, ideias involuntárias e outras preocupações. A experiência tentava retornar e ser debatida a todo custo.

Elaboração

Assim que Trevor entende toda a sua relação com Ivan e o ocorrido com Nicolas, ele entra na fase de elaboração. Ou seja, passa a integrar os eventos em sua própria psique, de modo a trabalhá-los em crueza. Dessa forma, pôde enfrentar a experiência, se reestruturar, relaxar e finalmente dormir.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Ivan

Durante a apresentação do filme O maquinista, o público começou a se perguntar junto ao protagonista quem era Ivan. O misterioso personagem surgia de forma espontânea e aleatória, ajudando a confundir ainda mais o protagonista. Contudo, a natureza de Ivan assume um papel mais claro quando sabemos da sua verdade.

Ivan nada mais é do que a representação da culpa em Trevor. A discussão entre os dois representa o conflito de sua parte consciente com o inconsciente, brigando sobre o ocorrido. Assim que notamos o assassinato de Ivan e a tentativa de escondê-lo, vemos que se tratava da culpa que não queria enxergar.

No fim do filme, vemos Reznik enrolar o corpo degolado da figura em um tapete, visando desová-lo em algum lugar. Assim que o joga pelo barranco, nota que o personagem não existe fisicamente e era ele mesmo. Basicamente, o protagonista tentou se livrar da culpa, mas sua mente resistiu, criando Ivan e ocasionando sua insônia.

Considerações finais sobre o filme O Maquinista

O filme O maquinista é uma viagem perturbadora a respeito de como a mente pode intervir em situações de grandes abalos. A loucura de Trevor é resultado direto da sua incapacidade de lidar com responsabilidades e a realidade de sua vida. Por causa disso, o mesmo entra em uma espiral de sofrimento, delírios e verdades obscuras e gritantes.

Cabe ressaltar que parte do seu tormento se deve a não ter procurado ajuda psicológica na época do acidente. Lidando com tudo sozinho, Trevor acabou por fragilizar ainda mais a sua mente alquebrada e sem estrutura. Ainda que você não esteja passando por um conflito de tamanha magnitude, a reflexão serve de alerta para quem reluta receber acompanhamento médico.

Para que possa entender melhor a mente humana e absorver melhor o lirismo de obras como o filme O Maquinista, se inscreva em nosso curso de Psicanálise online. Esta ferramenta educativa visa à abertura de sua mente para questões a respeito dos catalisadores comportamentais. Ou seja, com a ajuda de professores qualificados e um bom material didático, você entende a natureza humana e conquista uma nova formação. Matricule-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 − quatro =