Onicofagia: Significado e principais causas

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Você já se deparou com palavras tão estranhas que fica até difícil de prever qual o seu significado? O engraçado da situação é que quando você finalmente descobre o que o termo quer dizer, é algo muito comum. Pois o sentido de onicofagia se encaixa muito bem nesse contexto. O hábito denotado por essa palavra é algo mais simples do que você imagina, mas muito difícil de interromper. Confira mais abaixo!

O que é Onicofagia

Onicofagia é o hábito que conhecemos como “roer unhas”. Trata-se da ação de morder as unhas dos dedos das mãos ou pés durante períodos de estresse. Ou seja, a manifestação do comportamento ocorre em momentos em que uma pessoa sente ansiedade, nervosismo, fome ou até mesmo tédio. Uma outra motivação para onicofagia são desordens mentais ou emocionais. Nós falaremos mais sobre essas causas mais abaixo!

A título de curiosidade, saiba que clinicamente o nome atribuído a esse hábito é onicofagia crônica.

Efeitos colaterais negativos

Doenças

Se você tem o hábito de roer unhas, talvez a pior coisa que você consiga pensar como consequência do mesmo é ter as unhas curtas. Porém, o transtorno pode resultar em um transporte de germes que vivem embaixo da superfície da unha até a boca. Como muitos patógenos têm a habilidade de viver dentro da unha, roê-la pode favorecer a contração de doenças.

Infecções

Além disso, uma pessoa compulsiva pode roer não só a unha. Um indivíduo pode facilmente morder a pele ao seu redor e também a cutícula. Consequentemente, isso, possivelmente pode acabar por romper a pele. Essa pele rompida, por sua vez, é suscetível a infecções oportunistas de micróbios e vírus. O grande problema é que esses patógenos podem se espalhar entre os dedos pela boca.

Restrições

Outro efeito colateral do problema é que a pessoa com o problema pode acabar com uma restrição severa do uso das próprias mãos. Isso porque os estragos feitos às unhas ou à pele em volta não permitem que as pessoas consigam escrever ou desenhar, por exemplo.

Problemas nos dentes

Ademais, um longo hábito de roer unhas pode ocasionar desgaste do esmalte dos dentes incisivos. Consequentemente, isso pode gerar cáries nessas áreas.

Causas

Neste tópico, vamos falar das possíveis causas que podem resultar na compulsão por roer as unhas. Alguns psicólogos criaram uma de lista com as principais causas e é ela que listaremos a seguir. Inclusive, muitas dessas causas demonstram traços de personalidade, por isso preste atenção:

Falta de tranquilidade

Como dissemos antes, quando estamos estressados ou com muitos problemas é mais provável que venhamos  a roer as unhas. Isso é um reflexo da necessidade de encontrar uma maneira de escapar da situação que nos faz sofrer. Uma vez que morder os dedos provoca um efeito calmante do sistema nervoso, isso causa certa calma.

Perfeccionismo

A necessidade de ter unhas perfeitas pode desencadear a onicofagia. Isso porque as pessoas que roem as unhas podem ficar muitas horas examinando as mãos em busca de irregularidades. Irregularidades estas que tem a ver com tamanho da unha, cutículas. Caso encontrem, vão tentar lixá-las, ou “cortá-las” com os dentes.

Imitação

Algumas crianças roem as unhas em reflexo ao mau hábito dos pais. Iremos falar mais sobre os casos de crianças com onicofagia no próximo tópico.

Leia Também:  Meditação para ansiedade: como praticar?

Causas psicossomáticas

Outra causa apontada para a onicofagia são os casos de pessoas que querem provocar dor em si, isto é lesionar a si mesmas. Esses casos podem ser vistos em famílias violentas ou criações muito severas, podendo ser uma maneira de a pessoa sofrendo chamar a atenção para si também.

Emoções

A insegurança, timidez, baixa autoestima ou sofrimento pela perda de alguém podem resultar na onicofagia. Porém, em muitos casos, o hábito pode desaparecer se a pessoas se sentirem mais confiantes e seguras.

Crianças com onicofagia

Como a onicofagia pode ser vista em crianças, acreditamos importante dedicar um tópico a isso. De acordo com uma pesquisa recente, a onicofagia infantil é um indício de déficit nas habilidades sociais. Ou seja, uma criança que tem menos desenvoltura social pode desenvolver o hábito de morder ou roer as unhas. Sendo que o número de casos nos países industrializados pode chegar a 45% das crianças. Já nos adultos, a taxa fica em 10%.

Autoestima baixa

É importante salientar que esse transtorno traz consequências negativas para a autoestima e o corpo. Isso, pois, quando uma pessoa não tem mãos muito bonitas, ela pode se sentir inferior. Esse sentimento resulta em uma introspecção ainda maior do que a já apresentada. Consequentemente, elas acabam por roer ainda mais as unhas. E, em alguns caos, isso se torna um círculo tóxico do qual é muito difícil se libertar.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Repetição involuntária

Além disso, o problema pode se converter em algo automático, principalmente, nas crianças. Afinal, elas acabam produzindo isso com tanta frequência que, em situações de crise, nem percebem que estão o fazendo. Além disso, a criança não tem consciência de que estão causando um dano a si mesmas.

Como dissemos, há casos em que é muito difícil para a criança se libertar. Porém, algumas crianças abandonam o hábito quando mais velhas por terem vergonha de mostrar as mãos. Além disso, quando o desejo de se maquiar e pintar as unhas surge, muitas crianças acabam deixando o hábito de lado.

Tratamento para a onicofagia infantil

Por fim, embora não seja um problema tão grave quando tratado logo, é interessante buscar ajuda psicológica. Além disso, listamos algumas coisas que você pode fazer com crianças nesses casos:

Conversar

Quando tratada desde o começo, a compulsão por roer as unhas pode ser refreada. Porém, não se deve castigar, repreender ou ridicularizar a criança por causa do hábito. O que você deve fazer durante a conversa é explicar as consequências dessa repetição de um comportamento ruim. Contudo, cuidado para não alarmar na explicação, pois ela pode resultar em um trauma.

Promover atividades de inibição do impulso

É preciso que os pais analisem o que impulsiona o hábito de roer as unhas, ou seja, os momentos de estresse. Em seguida, se deve proporcionar a elas outras opções para que mantenha as mãos ocupadas nesse momento. A consequência disso é que a criança vem a abandonar esse vício em resposta a uma determinada situação.

Estimular a criança visualmente

Colocar anéis coloridos nos dedos da criança a ajuda a pensar antes de roer as unhas. Dizemos isso, porque, como dito acima, muitas crianças desenvolvem automaticidade no hábito ruim. Dessa forma, quando a criança vai roer a unha, ela olha para o anel e se lembra que não deve fazer isso.

Leia Também:  Efeito de ancoragem: significado em PNL e Psicanálise

Promover a prática de esportes

A atividade física ajuda a canalizar a energia da criança. Porém, se o problema persistir, isso pode estar escondendo algum transtorno emocional. Nesse caso, o problema deve ser tratado por um especialista.

Comentários finais sobre a onicofagia

Como vimos, a onicofagia pode ser resultado de problemas emocionais e [e um hábito que traz muitas consequências. Por essa razão, é importante entender o que motiva esse hábito e tratá-lo, principalmente em crianças.

Aproveitando que estamos falando sobre um problema comportamental que pode ter origens na emoção do indivíduo, nada melhor do que trazer à psicanálise à tona. Se você tem interesse em saber mais sobre questões emocionais e doenças emocionais, tais quais a onicofagia, conheça nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online! Com a certificação obtida você pode atuar como psicanalista profissionalmente, então vale a pena conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 11 =