12 filmes sobre Amor Próprio: assista e inspire-se

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Sem ter com quem desabafar, muitas vezes recorremos ao cinema para encontrar personagens que representem a nós e nossos problemas. Através do longa, fazemos um resgate de nós mesmos, construindo uma ponte para a recuperação da autoestima. Confira uma lista com 12 filmes sobre amor próprio e decida qual assistir primeiro!

Histórias cruzadas

Carregado por um elenco feminino bastante premiado, Histórias cruzadas choca pelo tratamento humilhante que as mulheres recebem. A humilhação é de corroer a alma, visto que muitos de nós se identificam física ou socialmente com as personagens. Assim, diante disso, fica a pergunta: quem poderá lhes dar a voz?

No decorrer da trama, as personagens constroem o seu próprio caminho à liberdade e ao amor próprio. Assim sendo, a obra é um incentivo para que os oprimidos levantem as suas vozes, escolhendo um caminho que querem para si. Um simples livro de uma aspirante ao jornalismo é que abre as portas para que sejam vistas, ouvidas e valorizadas.

A escolha perfeita

Uma mistura de comédia e musical, o filme conta a história de algumas moças muito diferentes com um talento em comum: cantar. Inicialmente, há diversos atritos por conta da personalidade de cada uma, o que acaba influenciando na dinâmica do grupo. Contudo, tudo isso é vencido a fim de um propósito maior.

Cabe ressaltar a diversidade étnica e física de cada integrante. Há negras, nipônicas, obesas, magras, lésbicas… Cada uma carrega o valor de amor próprio e se aceita como é.

Menina de ouro

Continuando a lista de filmes sobre amor próprio, indicamos Menina de ouro. O filme conta a história incrível de uma garota para se tornar a melhor pugilista que ela pode ser. Infelizmente, ela enfrenta incompreensão de alguns, mas o seu sonho é maior e ela não desiste. O seu melhor projeto de vida é ela mesmo e a lutadora não desiste de se superar.

Frequentemente, o filme nos mostra o quanto devemos amar a nós mesmos. Somos aqueles que conseguem ultrapassar a barreira do medo a fim de alcançar nossos sonhos. Assim, o que fica é um incentivo para acreditar em nós mesmos, independente de tudo.

Pequena Miss Sunshine

A pequena e desajustada Olive é convidada para participar de um concurso de beleza. Sua desajustada família, que sempre está em conflito, coloca as diferenças de lado e ajudam a menina a chegar lá. Olive não se encaixa no padrão de garota popular que venceria o concurso, mas acima de qualquer um ela confia em si mesma. Assim, mesmo pequena, dá uma lição de como devemos nos amar.

Lady Bird: a hora de voar

Uma garota, assim como qualquer outro adolescente, tem o sonho de cursar a universidade longe de casa. Contudo, ela precisa enfrentar a mãe para que sua vontade prevaleça. A personalidade marcante é o que abre espaço para que ela lute por seus sonhos. Um dos melhores filmes sobre amor próprio, entregando uma rica atmosfera emocional.

Hairspray

Protagonizado por uma jovem acima do peso, o longa foge de clichês óbvios quanto a isso. A garota contraria tudo e a todos, mostrando um talento único para a música e para a dança. Embora transmita uma ambientação lúdica e divertida por ser um musical, não usa dos personagens para fazer chacotas desnecessárias. É uma ode à representatividade, e sucesso de bilheteria não só no cinema, mas também na Broadway.

Sexy por acidente

A trama mostra como Renée não aprecia a própria companhia e a própria aparência. Ao se submeter a uma aula de spinning, a mulher acaba caindo e machucando a cabeça. Entretanto, quando acorda, Renée percebe que ela está diferente, ou a sua percepção de si mesma, ao menos. Ela se vê como alguém sexy, confiante e bem decidida, elevando o amor próprio nas alturas.

Sem filtro

Pía é a caracterização perfeita de alguém que é insatisfeito com sua vida. Aos 37 anos, a mulher tem um marido que a ignora, um chefe que a maltrata e o amigo não a escuta. Ao passar por um procedimento terapêutico, ela descobre que para tratar a dor que sente precisa soltar tudo o que guarda. A partir daí, a mulher ressignificará a sua vida.

A cor púrpura

Concorrente de 11 Oscars, A cor púrpura mostra a trágica história de Celie, uma mulher tratada como escrava. Humilhada por todos que conheceu até aqui, Celie se encontra numa posição difícil. Sendo mulher negra, sem estudos e pobre, o mundo se torna o seu campo de batalha. Gradativamente, ela descobre mais sobre si e o valor que carrega.

A obra em si municia a personagem com debates que a fazem questionar sua posição no mundo, como:

Leia Também:  Fases do sexo: estímulo, desejo, excitação e orgasmo

Racismo

Mesmo após a proibição da escravatura nos EUA, Celie fica a mercê de uma única característica física em sua pele. Por ser negra, a mulher acaba sofrendo os piores tipos de abuso que se possa imaginar. A história em si não é nada agradável.

Machismo

Celie se torna refém dos homens que deveriam apoiá-la. Seu pai a violentava e o seu marido era um homem rude, machista e a tinha como empregada.

Gênero

Quando passa a descobrir mais sobre si, Celie se dá de encontro com sua bissexualidade. Nesse caminho, a personagem já está rumando à própria dignidade e orgulho.

Megarromântico

Natalie não acredita no amor, lidando com seus dilemas de forma desdenhosa. Após ser atingida e desmaiar, a garota acaba acordando em uma comédia romântica, lidando com diversos tipos de clichês. Um deles se encontra na padronização do corpo humano. Natalie se mostra bem resolvida quanto a isso, entregando segurança quando tudo se conclui.

Comer, rezar e amar

Liz acredita que possui a vida dos sonhos, mas nem tudo é o que aparenta. Confusa sobre uma mudança e abalada pelo divórcio, entra em uma jornada de autoconhecimento. É um dos filmes sobre amor próprio mais bem feitos até o momento, já que:

  • As experiências a fazem depositar amor nela mesma;
  • Ela se sente útil para doar algo de si, mesmo carregando uma dor;
  • Ela aceita viver novamente, fazendo uma entrega sincera e total.

Bem-vindo aos 40

O último longa da lista de filmes sobre amor próprio fala a respeito de transição. Para quem enfrenta crises da idade, a obra reforçará ideias sobre foco, positividade e autoestima. Dessa forma, acabamos motivados a resgatar isso.

Considerações finais sobre os filmes sobre amor próprio

Os filmes sobre amor próprio se tratam de verdadeiras lições a nós mesmos. Graças a eles, conseguimos perceber que podemos romper a casca que criamos e sair por cima. O amor próprio é uma ferramenta de construção social e é por meio dele que daremos ao mundo o nosso melhor.

Dado o número de opções, recomendo fazer uma maratona deles. Somente assim perceberá o quanto cada projeto entrega em sua visão única sobre o tema. É uma lição dada através de lágrimas, gritos e muitas risadas. Aprender a se amar vai ser divertido com a lista acima de filmes sobre amor próprio.

Outra ferramenta que agrega bastante a você é o nosso curso de Psicanálise clínica 100% online. Por meio dele, você encontra os mecanismos que precisa para estabelecer uma ordem interna. Afinal de contas, é muito importante saber por que você não está cultivando o amor próprio. Sem esse conhecimento, os filmes apenas arranham a superfície do que você é.

As aulas são dadas online, acompanhando um rico material didático e conduzidas por excelentes professores. Ao fim do curso, receberá um certificado que valida sua competência como psicanalista. Garanta a sua vaga em nosso curso de Psicanálise! Ah, não deixe o que dissemos sobre o curso te desanimar de assistir os filmes sobre amor próprio. Toda jornada de descoberta tem um começo. Quem sabe essa pequena maratona não seja o seu?

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *