Polímata: significado, definição e exemplos

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Polímata é um termo que não ouvimos falar muito, não é? Porém, se você chegou aqui, é porque quer saber mais sobre o assunto. Neste artigo, nós traremos a discrição do termo. Ademais, te informamos sobre exemplos de polímata famosos e até de brasileiros. Além disso, nós vamos trazer algumas dicas para que você desenvolver um pouco dos seus conhecimentos.

Polímata segundo o dicionário

Vamos começar definindo a palavra polímata segundo o dicionário. Ela vem do grego polumatês. Caso não saiba, -ês é um sufixo que torna uma palavra em um substantivo masculino e feminino, além de adjetivo.

Dentre sua definição vemos:

Quando é adjetivo:

Trata-se de quem conhece ou estudou muitas ciências. Além disso, seu conhecimento não está restrito a um único ambiente científico.

Quando é substantivo feminino e masculino:

Trata-se da pessoa que tem conhecimento em muitas ciências.

Dentre os sinônimos da palavra vemos: polímato e polímate.

Conceito de polímata

Um polímata é uma pessoa cujo conhecimento não está restrito a uma única área. De forma geral, um polímata pode referir-se simplesmente a alguém que detém um grande conhecimento.

Podemos considerar, de acordo com os padrões atuais, que muito cientistas antigos são polímatas. Inclusive, os termos do homem renascentista e do homo universalis estão relacionados. Eles são usados para descrever uma pessoa bem educada ou que se sobressai numa variedade de áreas. Ou seja, são o que hoje chamamos de polímata.

Essa ideia surgiu durante a renascença italiana através de Leon Battista Alberti: “um homem pode fazer todas as coisas que quiser“. Essa ideia transparecia um homem ilimitado de suas capacidades, forte e inteligente. Isso incentivou que os homens desse tempo buscassem desenvolver ainda mais suas habilidades.

Exemplo de polímatas

Agora que já vimos ao que se refere o termo polímata, vamos listar alguns polímatas famosos:

Leonardo da Vinci (1452-1519)

Da Vinci foi um homem do Renascimento italiano e que se destacou em uma vários campos de conhecimento. Ele se destacou da ciência à pintura através de suas invenções. Além disso, sua obra de arte “Mona Lisa” é indiscutivelmente a mais famosa do mundo. Além disso, seu QI foi estimado em torno de 200.

Sir Isaac Newton (1642-1726)

Newton foi um físico e matemático inglês. Ele é mais famoso por descobrir a gravidade é um dos cientistas mais influentes de todos os tempos. Seu QI é estimado em 193. Além disso, o seu livro “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural” é um dos textos fundamentais da mecânica clássica.

William Shakespeare (1564-1616)

Ele é conhecido como o maior escritos da língua inglesa. Além disso, é um dos dramaturgos mais conceituados do mundo e seu QI é aproximadamente de 210. Suas obras são consideradas cânones da literatura.

Albert Einstein (1879-1955)

Einstein foi um físico teórico alemão-judeu e provavelmente o mais famoso cientista que já viveu. Foi ele que desenvolveu a teoria geral da relatividade. Além disso, ele recebeu o Prêmio Nobel de Física em 1921. Seu QI foi estimado entre 160 e 190.

Confúcio (551-479 aC)

Confúcio foi um filósofo e professor chinês muito influente. Ele é famoso por seus aforismos até hoje. Sendo que seus ensinamentos morais e políticos tiveram um profundo impacto em toda a Ásia Oriental.

Marie Curie (1867-1934)

Ela foi uma física e química polonesa e a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel.Não se esqueça que ela o venceu duas vezes! Curie também desenvolveu a teoria da radioatividade e descobriu dois elementos: polônio e rádio. O seu QI foi estimado em 180 a 200.

Nikola Tesla (1856-1943)

Ele foi um inventor e futurista nascido na Sérvia. Ele ficou conhecido por trabalhos como a eletricidade de corrente alternada, a bobina de Tesla, e a transmissão sem fio de energia, o conhecido “raio da morte”.  Além disso, ele preveu tecnologias como smartphone, drones e outras. O QI dele é estimado em 195.

Hipátia (350/70-415)

Hipátia foi uma astrônoma, filósofa e matemática grega. Ela viveu no Egito e mais tarde no Império Romano do Oriente. Sua importância vem do fato de que ela é a primeira mulher matemática de que temos conhecimento. Seu QI é estimado entre 170 a 190. Contudo, ela foi acusada de bruxaria e brutalmente assassinada por um grupo de cristãos fanáticos.

Aryabhata (476-55)

Ele foi provavelmente o mais antigo matemático e astrônomo indiano. Arybhata é conhecido por aproximar o valor de pi e desenvolver o conhecimento e uso do zero. Não sabemos em quanto o seu QI é estimado, mas se ele aproximou o valor de pi, rovavelmente não é baixo, não é?

Leia Também:  15 indicações de filmes sobre amadurecimento

Cleópatra (68-30 aC)

Cleópatra foi o último faraó do Egito ptolemaico. Ela governou o país por quase trinta anos. Além disso, ela era fluente em cinco idiomas e tinha um QI de cerca de 180.

Judit Polgar (1976 -)

Judit Polgar é uma grande mestra de xadrez húngara. Ela é amplamente considerada a mais forte jogadora de xadrez de todos os tempos. Polgar quebrou o recorde mundial do campeão Bobby Fischer. Seu QI é registrado como 170, e de nossa lista é a única pessoa viva.

Exemplo de polímatas brasileiros

Além desse famosos polímatas estrangeiros, temos alguns polímatas brasileiros. Entre eles destacamos: José Bonifácio, Otto Maria Carpeaux, Dom Pedro II, Gilberto Freyre, Pontes Miranda, Mário de Andrade, Ruy Barbosa e Santos Dumont.

Dicas para se tornar um polímata

O polímata é uma pessoa criativa. Ele tem mais disposição de aprender coisas novas. Além disso, também é uma pessoa muito interessante. Afinal, essas pessoas tem muito conhecimento para qualquer conversa. Isso acontece porque quando estudamos assuntos diferentes, condicionamos a nossa mente a um constante aprendizado.

É importante entendermos que não nos tornamos um polímata da noite para o dia. Precisamos dar um passo de cada vez, e não focar em poucas coisas para aprender de forma simultânea. Só depois que as dominarmos, ampliaremos nossos domínios.

Vamos listas mais algumas das dicas para te ajudar a ser um polímata:

Faça uma lista de tudo o que você deseja aprender

Quando você coloca no papel o que você quer aprender, você consegue ter uma planejar melhor o que quer fazer.

Decida quais são as áreas de seu interesse

Além disso, defina muito bem quais são suas árias de interesse. Ou seja, aquilo que tem a ver com seus interesses pessoais, sua carreira, seus planos e habilidades. Considere o que você deseja aprender por hobby, profissionalmente, etc. Não exclua também o que você já conhece, mas que quer aprofundar.

Leia muito

A leitura é a melhor maneira de aprender. Para ser um polímata você deve adotar o hábito da leitura. Afinal, a leitura é a melhor fonte de conhecimento. Ademais, não restrinja sua leitura a livros, mas também artigos, jornais, revistas. Todas elas podem ajudar no seu aprendizado.

Assista a documentários

Os documentários, vídeos do YouTube, alguns canais e filmes do Netflix ensinam muito. A melhor coisa é unir essa fonte de conhecimento com outros meios, como a leitura. Busque maneiras divertidas de estudar.

Converse e interaja

Tende se cercar de pessoas que tenham interesses parecidos com os seus. Esse contato irá render troca de informações e você poderá se aprofundar no tema. Preste atenção no que as pessoas tem a dizer e compartilhe o que você tem. Afinal, as discussões são uma grande fonte de aprendizado. Todos têm algo a ensinar e a aprender.

Conclusão

Um polímata se destaca na multidão e marca seu nome na história. Não é algo fácil de se tornar, mas esperamos que nossas dicas te ajudem. Além disso, quer uma ótima dica para começar?  Faça o nosso curso de Psicanálise Clínica e incorpore os conhecimentos desenvolvidos por Freud, Jung, entre muitos outros estudiosos incríveis. Se não sabe por onde começar, essa é uma dica imperdível!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *