melhores frases de Clarice Lispector

Frases de Clarice Lispector: 30 frases realmente dela

Posted on Posted in Frases e mensagens

É comum encontrarmos na internet frases e textos atribuídos a uma pessoa importante (governante, escritor(a), filósofo(a) etc.). Contudo, nem sempre a citação ou a autoria dela está correta. Por isso, hoje vamos conferir 30 frases de Clarice Lispector, escritora que deixou seu legado.

Mas claro, serão citações que são realmente dela. Assim, além de conhecer frases incríveis dessa autora, você também poderá adicioná-las, sem medo, ao seu status.

Biografia da autora

Antes de vermos as frases, é importante falar um pouco sobre ela. Clarice Lispector nasceu em 1920, na cidade ucraniana de Tchetchelnik. Ela se mudou para o Brasil com a família, que era de origem judaica. Inicialmente, em 1922, viveram em Maceió (AL) e mais tarde foram morar em Recife (PE).

Desde cedo Clarice demonstrou interesse pela leitura e escrita. Dessa forma, em 1930 escreveu a peça teatral “Pobre Menina Rica”. Depois disso, ela se muda em 1935 com sua família para o Rio de Janeiro. Em 1939, Clarice inicia o curso de Direito pela Faculdade Nacional e, em 1940, passa a morar no bairro do Catete (RJ).

Em 1940, iniciou sua carreira de jornalista, atuando como redatora e repórter da Agência Nacional. Apesar das boas notícias, sofreu duas perdas: sua mãe faleceu em 1930, e seu pai, em 1940, mas ela continou firme.

Sua biografia não para por aí…

Em 1943, Clarice terminou o curso de Direito e se casou com Maury Gurgel Valente, publicando o primeiro e romance: “Perto do Coração Selvagem”, que foi premiado e aclamado pela crítica.

Durante muitos anos viveu na Europa acompanhando Maury, que era Cônsul. Em 1946 publicou seu segundo romance: “O Lustre”. Em seguida, ela iniciou a escrita de “A Cidade Sitiada”, que foi publicado em 1949. Já em em 1948, nasce Pedro, seu primeiro filho. Ou seja, foi um motivo de muita felicidade.

Em 1951, ela retorna ao Brasil e em1952 se muda para Washington (EUA). Nessa sentido, ela acabou recuperando as anotações que fez na Inglaterra e passa a escrever  então seu quarto romance: “A Maçã no Escuro”. Em 1953, nasce seu segundo filho.

Clarice não parou um minuto 

Durante todo esse período, Clarice escreveu contos e crônicas para jornais e revistas. Em 1952 publicou “Alguns Contos” e escrevu para para O Comício, na página “Entre mulheres”. No mesmo ano, iniciou a publicação de contos na revista Senhor e a coluna “Correio feminino – Feira de utilidades” no Correio da Manhã, sob pseudônimos.

Já na década de 60, ela publicou Laços de Família, livro de contos que obteve o Prêmio Jabuti. Em 1964 publicou “A Paixão Segundo G.H.” e, em 65, a coletânea de contos e crônicas “A Legião Estrangeira”.

No ano de 1966, incendiou, por acidente, sua casa e ficou 2 anos hospitalizada. Felizmente, sobreviveu, mas com sequelas físicas e psicológicas. No anos seguintes em 1967 e 1968 se dedicou a escrever literatura infantil e publicou “O Mistério Do Coelho Pensante” e “A Mulher Que Matou Os Peixes”.

Leia Também:  Frases de Evolução: as 15 mais memoráveis

Apesar das difuculdades, os trabalhos não pararam

Clarice continuou a colaborar com diferentes jornais e revistas, como o Jornal do Brasil e a Manchete. Entre 1969 e 1973, publicou uma aprendizagem ou o livro dos prazeres, Felicidade Clandestina, uma seleta de contos, e o romance Água Viva. Dessa forma,  também passou a traduzir variadas obras a partir de 1974.

Ainda no mesmo ano, publicou “Onde estivestes de noite”, o romance “A Via Crucis do Corpo” e o livro infantil “A Vida Íntima de Laura”. Já em 1975, lançou “Visão do Esplendor”, contendo crônicas que escreve em jornais, assim como uma seleção de entrevistas que deu à imprensa carioca, cujo nome é “De Corpo Inteiro”.

Vale lembrar que Clarice Lispector também se dedicou à pintura, produzindo um total de 18 quadros e no ano de 1976 ganhou um prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal. No ano seguinte publicou “Quase de verdade”, livro dedicado ao público infantil, além de uma coletânea de 12 lendas brasileiras chamada “Como Nasceram as Estrelas” e o romance “A Hora da Estrela”.

Por fim, em 9 de dezembro de 1977, aos 56 anos, Clarice faleceu. Nesse sentido, a escritora nos deixou um legado fundamental à literatura brasileira.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    30 frases de Clarice Lispector

    Selecionamos para vocês 30 frases de Clarice Lispector. Portanto, confira-as abaixo.

    “Continuo sempre me inaugurando, abrindo e fechando círculos de vida, jogando-os de lado, murchos, cheio de passado.” (Clarice Lispector. Perto do Coração Selvagem)

    “Não há homem ou mulher que por acaso não se tenha olhado ao espelho e se surpreendido consigo próprio. Por uma fração de segundo a gente se vê como a um objeto a ser olhado. A isto se chamaria talvez de narcisismo, mas eu chamaria de: alegria de ser.” (Clarice Lispector. A Surpresa (crônica))

    “A verdade é sempre um contato interior inexplicável.” (Clarice Lispector. A hora da estrela)

    “Quem já não se perguntou: sou um monstro ou isto é ser uma pessoa?” (Clarice Lispector. A hora da Estrela)

    “Mas que ao escrever – que o nome real seja dado às coisas. Cada coisa é uma palavra. E quando não se a tem, inventa-se-a.” (Clarice Lispector. A hora da Estrela)

    “Tenho um pouco de medo: medo ainda de me entregar pois o próximo instante é o desconhecido. O próximo instante é feito por mim? Fazemo-lo juntos com a respiração. E com uma desenvoltura de toureiro na arena.” (Clarice Lispector. Água viva)

    “Meu tema é o instante? Meu tema é a vida.” (Clarice Lispector. Água viva)

    “O grande favor do acaso: estarmos ainda vivos quando o grande mundo começou. Quanto ao que vem: precisamos fumar menos, cuidar de nós, para termos mais tempo e viver e ver um pouco mais; além de pedirmos pressa aos cientistas – pois nosso tempo pessoal urge.” (Clarice Lispector. Cosmonauta na Terra)

    “Sim. Uma mulher maravilhosa e solitária. Lutando sobretudo contra o próprio preconceito que a aconselhava a ser menos do que era, que a mandava dobrar-se.” (Clarice Lispector. Tanto esforço)

    Até aqui vimos 10. Portanto, veja o restante

    “Sim, quero a palavra última que também é tão primeira que já se confunde com a parte intangível do real.” (Clarice Lispector. Água Viva)

    “Escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida.” (Clarice Lispector. Aprendendo a viver)

    Leia Também:  Mensagem de Boa Noite: as 30 frases mais usadas

    “Mas existe um grande, o maior obstáculo para eu ir adiante: eu mesma. Tenho sido a maior dificuldade no meu caminho. É com enorme esforço que consigo me sobrepor a mim mesma.” (Clarice Lispector. Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres)

    “Mas nem sempre é necessário tornar-se forte. Temos que respeitar a nossa fraqueza. Então, são as lágrimas suaves, de uma tristeza legítima à qual temos direito.” (Clarice Lispector. Quando chorar)

    “Às vezes o ódio não é declarado, toma exatamente a forma de uma devoção e de uma humildade especiais.” (Clarice Lispector. Por trás da devoção)

    “Tudo no mundo começou com um sim. Uma molécula disse sim a outra molécula e nasceu a vida.” (Clarice Lispector. A hora da estrela)

    “É que agora sinto necessidade de palavras – e é novo para mim o que escrevo porque minha verdadeira palavra foi até agora intocada. A palavra é a minha quarta dimensão” (Clarice Lispector. Água viva)

    “O que pintei nessa tela é passível de ser fraseado em palavras? Tanto quanto possa ser implícita a palavra muda no som musical.” (Clarice Lispector. Água Viva)

    “O presente é o instante em que a roda do automóvel em alta velocidade toca minimamente no chão. E a parte da roda que ainda não tocou, tocará em um imediato que absorve o instante presente e torna-o passado.” (Clarice Lispector. Água Viva)

    Chegamos a 20. Dessa forma, continue vendo o restante das frases de Clarice Lispector

    “E tomo café com gosto, toda sozinha no mundo. Ninguém me interrompe o nada. É um nada a um tempo vazio e rico.” (Clarice Lispector. Insônia infeliz e feliz)

    “Eu imploro que você não encurte a vida. Viva. Viva. É difícil, é duro, mas viva. Eu também estou vivendo.” (Clarice Lispector. Um pedido)

    “Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença.” (Clarice Lispector. Saudade)

    “Tantos querem a projeção. Sem saber como esta limita a vida. Minha pequena projeção fere o meu pudor. Inclusive o que eu queria dizer já não posso mais. O anonimato é suave como um sonho.”(Clarice Lispector. Anonimato)

    “Escrevo agora porque estou precisando de dinheiro. Eu queria ficar calada. Há coisas que nunca escrevi, e morrerei sem tê-las escrito. Essas por dinheiro nenhum.“ (Clarice Lispector. Anonimato)

    “O personagem leitor é um personagem curioso, estranho. Ao mesmo tempo que inteiramente individual e com reações próprias, é tão terrivelmente ligado ao escritor que na verdade ele, o leitor, é o escritor.” (Clarice Lispector. Outra Carta)

    “Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada.” (Clarice Lispector. Aprendendo a viver)

    “A vastidão parecia acalmá-la, o silêncio regulava. Ela adormecia dentro de si.” (Clarice Lispector. Amor)

    “Não se preocupe em ‘entender’. Viver ultrapassa todo entendimento.” (Clarice Lispector. A paixão Segundo G.H.)

    “Só Deus perdoaria o que eu era porque só Ele sabia do que me fizera e para o quê. Eu me deixava, pois, ser matéria d’Ele. Ser matéria de Deus era a minha única bondade.” (Clarice Lispector. Outra Carta)

    “Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida. “ (Clarice Lispector. Saudade)

    Considerações finais sobre as frases de Clarice Lispector

    Esperamos que vocês tenham gostado de conhecer um pouquinho mais sobre a escritora Clarice Lispector, que nos legou uma obra variada e incrível. Nesse sentido, buscamos selecionar as melhores frases da autora para você compartilhar no seu status.

    Leia Também:  Mensagens de meus sentimentos e meus pêsames

    Por sua escrita complexa, pela densidade psicológica das personagens e por abordar temas profundos como as relações, os sentimentos e comportamentos com sofisticação e lirismo, seus livros nem sempre são simples de compreender e interpretar.

    Portanto, para te ajudar a compreender a obra, será interessante estudar ou aprofundar seus conhecimentos em Psicanálise. Caso tenha interesse em conhecer  essa área ou aprofundar seus conhecimentos nela, não deixe de conferir o Curso de Psicanálise Clínica. Ele é 100% online (EAD), tem material principal e extra incluso e, além disso, possui um excelente preço.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *