Gestaltismo

Gestaltismo: significado, conceitos e princípios

Posted on Posted in Formação em Psicanálise, Psicanálise

Você sabe o que é gestaltismo? Não? Então, você veio ao lugar certo para compreender este termo. Além disso, você entenderá como esse conceito, de certa forma, está inserido no nosso dia a dia e na psicologia. Então, para saber mais, continue lendo o nosso post.

O que é gestaltismo?

Quando vemos o nome de um conceito, já achamos que é o sobrenome da pessoa que o desenvolveu. Contudo, não é o caso da teoria da gestalt. A palavra é de origem germânica que significa “figura” ou “forma”.

O significado de gestaltismo foi ampliado para o “todo unificado”, após ser adotado pelos psicólogos. Em outras palavras, gestaltismo é a percepção da unidade de vários elementos.

O gestaltismo é um termo muito comum na psicologia, na arquitetura, na publicidade e no design gráfico. Embora as áreas psicológicas não tenham muita ligação com as demais citadas, todas elas utilizam muita a parte visual na teoria gestalt.

Saiba mais

Para a gente entender melhor sobre essa teoria, imagine que você está olhando para as nuvens. De repente, você enxerga uma que tem semelhança com um objeto ou um animal. Mas, por que isso ocorre?

Acontece que o nosso cérebro tem a tendência de enxergar o todo de um objeto (nuvem) para depois se atentar aos detalhes. Aliás, são esses pequenos que fazem a diferença para nós podermos compreender o objeto em sua totalidade.

Os gestaltistas apontam que o nosso cérebro ao ver alguma coisa não recebe uma excitação sensorial isolada. Mas, sim, muitos sinais complexos que se agrupam com as características que consideramos iguais às que vimos ao longo da nossa vida. Por fim, eles acabam se somando rapidamente em todas as partes daquele item visto no momento.

O fundador do Gestaltismo

O gestaltismo passou a fazer parte da psicologia e filosofia contemporâneas por Christian von Ehrenfels. Porém, o verdadeiro pai da teoria Gestalt é Max Wertheimer. Grandes pensadores como Immanuel Kant, Johann Wolfgang von Goethe e Ernst Mach influenciaram o gestaltismo também.

Qual o ponto de partida da teoria da gestalt?

Um dos temas centrais dessa teoria, que serve como ponto de partida, é a percepção. Esse princípio da Gestalt auxiliou na criação da ideia de que a percepção humana não é só enxergar que está ao nosso redor. Porque nós somos influenciados por uma série de expectativas e motivações. Além disso, o nosso cérebro organiza o mundo em que estamos inseridos.

Por exemplo, se antigamente íamos ao banco para resolver todas as questões bancárias, hoje podemos fazer isso na palma da nossa mão. Claro, que a tecnologia ajuda bastante neste processo, mas a nossa percepção também tem sua parcela de contribuição.

Mas como?

O fato de termos um sistema sofisticado de percepção nos ajuda a compreender o aplicativo que possui várias funções. Além disso, conseguimos abandonar a experiência “real” de ir ao banco em que há uma pessoa para nos ajudar a resolver os nossos problemas.

Isso porque o nosso cérebro organiza as informações visuais de forma única e que nos beneficia. Assim sendo, esse novo hábito é implementado na nossa vida de maneira mais rápida e sem que sintamos tanta diferença.

Leia Também:  Microexpressões: como revelam nossas emoções?

Leis da teoria Gestalt

Agora que entendemos como o gestaltismo está presente no nosso dia a dia, vamos conferir as principais leis dessa teoria.

Lei da Unidade

Essa lei afirma que a percepção de um item pode ser constituída por uma ou várias partes que constitui o todo. Sendo assim, um objeto é percebido como um elemento único.

Lei da Segregação

A lei da segregação aponta que temos uma capacidade perceptiva de evidenciar, identificar ou isolar objetos. Mesmo que eles estejam dentro de uma composição ou ainda sobrepostos. Porque há variações estéticas, como textura e cor, que nos ajudam a ver cada um desses objetos.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Um exemplo disso, são os anúncios publicitários, pois o uso de contrastes evidencia uma parte importante daquela mensagem. Além disso, é muito comum as marcas de certos produtos utilizarem essa lei para desenvolverem seus logotipos.

    Lei da unificação

    Para compreendermos essa lei, você lembra do símbolo do yin-yang? Então, ele consegue sintetizar esse conceito, pois é um exemplo clássico de unificação. A lei explica que unificação é definida pela semelhança ou equilíbrio dos estímulos de todos os elementos de um objeto ou figura.

    Com isso, a composição desse item será mais harmoniosa e coerente, como é o yin-yang.

    Lei do fechamento

    A lei do fechamento tem como princípio que o nosso cérebro tende a “fechar” a formação de imagens completas. Isso ocorre quando enxergamos apenas as formas inacabadas ou silhuetas incompletas. Ou seja, ao deixar o nosso cérebro se guiar pela continuidade de uma figura, ele já é capaz de prever toda a estrutura sozinho.

    Lei da Proximidade

    Já essa lei se refere aos elementos que são diferentes, mas estão próximos, tendem a ser percebidos juntos. Por isso, eles são interpretados como apenas uma única unidade. Além disso, essa impressão é ainda mais forte quando esses elementos são iguais.

    Lei da pregnância ou da “boa forma”

    Por fim, vamos falar de uma lei que é um princípio básico da percepção visual da teoria da Gestalt. Como já foi dito no começo do post, o gestaltismo aponta que temos a seguinte tendência:

    • primeiro vemos os elementos da composição visual geral como um todo;
    • depois nos atentamos a ver os elementos mais complexos.

    Entenda mais…

    As composições que são harmônicas e homogêneas são lidas rapidamente pelo o nosso cérebro. Por isso, tais objetos que têm essas características são classificados como contendo alta pregnância.

    Já os itens que têm baixa pregnância possuem uma organização visual confusa e complicada de forma compreensão.

    Psicólogo gestaltista

    Já que entendemos melhor o gestaltismo e as principais leis que guiam esse conceito, vamos entender a teoria gestalt na psicologia. Um exemplo dessa influência na área são os psicólogos gestaltistas. Esse tipo de profissional utiliza abordagem que foca na pessoa. Além disso, salienta a singularidade da experiência da pessoa.

    Este tipo de psicólogo ajuda o paciente a aumentar a sua conscientização pessoal, pois ele o convida a desafiar os bloqueios. Aliás, nessas sessões a pessoa aprende a reconhecer os sentimentos e confiar nas suas emoções. Com isso, o paciente começa a ganhar um novo sentido de autoconsciência.

    Saiba mais…

    Por fim, a Gestalt considera o paciente como um todo. Ou seja, todas as partes de um ser humano são importantes para compreender o seus conflitos. Além disso, a história de vida da pessoa é necessária na hora de identificar as questões que estão presentes nos dias atuais.

    Leia Também:  Recursos necessários para se tornar psicanalista

    Por isso, retomam-se as experiências vividas no passado nessas sessões com o psicólogo gestaltista. Assim, o profissional irá explorar os fatores que fizeram com que uma determinada memória aparecesse.

    Após essa exploração, o foco é compreender como essa memória é trabalhada no presente. Por fim, entender como o passado influenciou a personalidade da pessoa no presente.

    Considerações finais

    Nós esperamos que o nosso resumo de gestaltismo tenha te ajudado a compreender melhor sobre essa teoria. Mas se você quer saber mais sobre temas parecidos com este tema abordado no nosso post, temos um convite.

    Conheça o nosso curso online de Psicanálise Clínica. Além de ter ótimos professores, você terá acesso a um conteúdo riquíssimo para desenvolver seus conhecimentos. Por isso, não perca essa chance de entender várias teorias como o gestaltismo. Então, inscreva-se já e

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *