holding para Winnicott

Handling e Holding: conceito de Donald Winnicott

Posted on Posted in Conceitos e Significados, Curso de Psicanálise

A teoria handling e holding, desenvolvida pelo pediatra e psicanalista Donald Winnicott, é uma das mais importantes da psicologia infantil. Afinal, o conceito analisa a relação parental com os bebês e os seus impactos no desenvolvimento da criança.

Além de dar uma definição para essa relação física e emocional, a teoria aborda tanto fatores positivos, quanto fatores negativos. Por isso, continue a leitura e saiba mais sobre as percepções do conceito de handling e holding para Winnicott.

Donald Winnicott na psicanálise

Antes de entrar na abordagem psicanalítica, é interessante conhecer um pouco a respeito do seu precursor, Donald Woods Winnicott. O pediatra e psicanalista inglês defendia que a psique humana é construída a partir da imaginação experimentada pela própria pessoa.

Assim, são analisados diversos fatores envolvidos nas experiências vividas ao nascer e nos meses seguintes do bebê à infância. Com base nisso, estudos do pediatra indicam uma relação entre ambiente e cuidados maternos na formação da compreensão infantil.

Entre esses fatores, foram estudados desde comportamentos instintivos até ações subjetivas e emocionais. Os resultados desses estudos foram os que deram origem ao handling e holding, até hoje utilizados pela psicanálise.

Por isso, o conceito de handling e holding de Winnicott traz análises essenciais sobre subjetividade materna e manuseio corporal do bebê. A seguir vamos poder entender de uma forma mais precisa a diferença entre cada um dos termos citados.

Handling e holding na psicanálise

Embora Winnicott tenha várias pesquisas e teorias importantes, para a psicanálise, o handling e holding são os de maior destaque. Os termos são estudados de maneira complementar, porém possuem significados bem opostos.

Enquanto o handling faz referência ao toque e cuidado físico, o holding relaciona essas ações a empatia e fatores emocionais. Logo, o holding é uma espécie de link entre o físico e o emocional para o desenvolvimento psicológico.

Por esse motivo, para entender melhor o handling e holding, a seguir a gente trouxe uma explicação detalhada de cada um. Continue a leitura e confira!

Conceito de handling em Winnicott

Ao conhecer a base dos estudos do psicanalista, é possível se aprofundar com mais exatidão sobre handling em Winnicott. Para isso, a observação deve começar bem nos primeiros dias de vida do bebê.

Isso pois, no momento em que a criança nasce, existe uma total dependência materna para sua sobrevivência. A mãe é colocada como a responsável por gestar, parir e alimentar o recém-nascido. Contudo, depois do nascimento, pode haver a substituição dessa figura por uma mãe não-biológica, por exemplo ou mesmo pelo pai.

Saiba mais

Apoiado nisso, o conceito de handling explora o manuseio corporal e sua importância para o desenvolvimento da personalidade. Para elucidar, a forma como o bebê é cuidado no dia a dia contribui para a percepção de si e do seu espaço.

Ou seja, o modo como a mãe troca seu filho, como amamenta e como escolhe as melhores posições para deitá-lo. Tudo isso infere na psique da criança, ainda que sejam ações instintivas de sobrevivência e conservação da prole.

É a partir desse conceito que se atribui a primeira responsabilidade materna para a formação e desenvolvimento infantil. A maneira como a mãe, a família e os demais responsáveis pelo zelo da criança, cuidam do seu bem-estar.

O cuidado com o corpo

Para exemplificar o handling na prática, podemos levar em consideração toda a rotina diária do bebê. A mãe amamenta, coloca-o para arrotar para evitar engasgos e gases, troca as fraldas no primeiro momento para evitar assaduras, etc.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Tudo isso é feito por meio do toque, da atenção e do cuidado com o bem-estar físico da criança. Em especial porque ela não é capaz de cuidar de si e ainda não sabe o que de fato é cuidado. Assim ela se torna 100% dependente desse cuidado de outrem.

    Leia Também:  Greta Thumberg, Meio-Ambiente e a Psicanálise

    Com o seu desenvolvimento psíquico ao longo dos meses, o bebê poderá compreender essas ações de cautela e responsabilidade. E é a partir da percepção desse ambiente criado pela mãe que ele criará suas noções de cuidado, adaptação e comportamento.

    Isso significa que, os primeiros contatos e toques que demonstram o cuidado físico são os agentes que atribuem subjetividade a essas ações. E é com essa fundamentação que o conceito de handling e holding se conectam.

    Conceito de holding em Winnicott

    Como a gente mencionou no início deste texto, o conceito de holding para Winnicott está atrelado a questões físicas e emocionais. Isso pois, sentimentos como:

    • empatia;
    • afeto;
    • carinho;
    • e preocupação.

    Apesar de serem subjetivos, são demonstrados de maneira fisica.

    Essa demonstração é feita pelo cuidado com o bem-estar físico da criança. Isto é, aquelas mesmas ações compreendidas no handling. Porém, o holding se estende por muito mais tempo ao longo da infância e da vida, e em diferentes intensidades.

    A combinação desses dois fatores reflete em debates permanentes do que é o bom maternar e sua importância para a formação do indivíduo. Portanto, o handling e holding são compostos tanto pelo fator físico, quanto pelo psicológico. Além disso, ambos são cruciais para o desenvolvimento psíquico da criança.

    O fator físico

    Em aspectos físicos, o holding utiliza muito os sentidos, como tato e visão. Notar a temperatura do bebê, observar expressões de desconforto, as reações do seu corpo e os sons produzidos, por exemplo.

    Essa observação muitas vezes ocorre de forma consciente, mas em geral tende a ser um reflexo do vínculo protetor. Com a mãe ou responsável consegue notar os sinais de mal-estar ou perigo é que surge sua ação de defender a cria.

    É possível notar também que as próprias atitudes e escolhas da mãe interferem no bem-estar e segurança da criança. Isso acontece desde a gestação, no momento em que mãe para de ingerir álcool, por exemplo, até a sua alimentação durante o período de amamentação.

    O fator psicológico

    O fator psicológico é bem aquele gerador da empatia e do laço emocional. Atrelado aos aspectos físicos, a empatia e o afeto sentido pela mãe a fazem tentar afastar qualquer situação desagradável.

    Mais que isso, as decisões do responsável passam a ser tomadas ao ter a criança como prioridade. Afinal, se pequeno é afetado de maneira direta pelo responsável, seu estilo de vida se adapta conforme o instinto protetor.

    Dito isso, handling e holding são conceitos que elucidam melhor a noção de cuidado e proteção maternos e familiares. Ainda que sejam ideias complexas, elas devem fazer parte dos estudos da família sobre a criação e educação infantil.

    Considerações finais sobre Handling e Holding

    Depois da leitura deste artigo, você pode compreender com mais profundidade os conceitos de Winnicott. Para aprender mais sobre handling e holding e desenvolvimento psíquico infantil, se matricule no nosso curso Ead de psicanálise clínica.

    Com aulas 100% online para assistir de onde você quiser, após a conclusão do curso, além de certificado em psicanálise clínica, você sai pronto(a) para atender. Então, clique aqui e garanta sua vaga agora mesmo!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *