significado de hostil

Hostil: significado no dicionário e na Psicologia

Posted on Posted in Comportamento

A hostilidade pode muitas vezes ter um significado negativo, mas em outros aspectos é muito bom ser uma pessoa hostil. Todavia deve ser algo que todos os indivíduos devem prestar muita atenção.

Nesse artigo vamos te mostrar sobre uma pessoa com personalidade hostil e suas consequências, característica e muito mais.

Significado de ser hostil no dicionário e na psicologia

Primeiramente, hostil é designado ao comportamento, atitude ou ação que é adversa ou contrária a certas situações, questões ou pessoas. A palavra, como tal, é um adjetivo que vem do latim hostilis.

A hostilidade, em geral, é a forma como as pessoas expressam o medo ou a insegurança que experimentam ao se depararem com determinados temas ou situações.

Nesse sentido, a hostilidade tem muitas formas de se manifestar. Ou seja, é um tipo de comportamento que dá a impressão de que a pessoa tende a ser irritada ou agressiva.

Na psicologia

Acima de tudo, na psicologia a hostilidade pode ser expressa por meio de atitudes negativas, usadas para transmitir o aborrecimento ou mal-estar que algo causou.

Da mesma forma, hostil também pode se tornar um ambiente quando é desconfortável ou irritante para quem nele opera.

Em outras palavras, hostil pode ser um ambiente de trabalho quando o funcionário se sente insatisfeito com as condições em que se encontra, com a forma como é tratado por seus colegas ou superiores.

O ambiente hostil

Sobretudo, qualquer ambiente também pode ser hostil, como um espaço público, uma repartição pública ou uma unidade de transporte urbano, quando expõe quem nele interage a situações irritantes ou desagradáveis.

Ainda mais, locais com climas hostis estão sujeitos a situações que geram violência, agressão ou brigas.

O que significa ser hostil

A princípio, a palavra hostil é um adjetivo que serve para indicar quando uma pessoa, situação ou fenômeno é ofensivo, ou desagradável. Hostil vem de hostilidade, a atitude de responder de forma agressiva e perigosa.

O que é hostilidade? Ela pode ser exercida de maneiras diferentes e sua intensidade pode variar não apenas dependendo da pessoa, mas também da situação, das causas, dos interesses, etc.

Assim, embora a hostilidade esteja presente em muitas áreas da vida, e não apenas em seres humanos, pode ser especialmente recorrente em algumas pessoas que agem por meio do uso de violência, agressão e desprezo.

Hostilidade segundo os especialistas

Segundo afirmam os especialistas no assunto, a hostilidade é sempre uma manifestação indireta de medos e inseguranças profundos mascarados e tornados visíveis por meio de formas verbais e não verbais agressivas.

Por exemplo, em muitos casos, a hostilidade de uma pessoa para com outra pode ser gerada voluntariamente e com objetivos específicos.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    No entanto, em alguns casos, uma atitude hostil de uma parte para outra pode ser inconsciente e involuntária, algo que não pode ser dominado e que cai no âmbito da irracionalidade.

    Leia Também:  Sonhar com exorcismo: 8 explicações em Psicanálise

    O que a hostilidade mostra

    Hostilidade sempre mostra desacordo e esconder esse sentimento nem sempre é uma tarefa fácil.

    Por isso, ela sempre esteve presente com o ser humano. Em todo caso, houve momentos em que isso foi observado de forma excelente, principalmente quando se notou um movimento hostil marcante entre grupos sociais, étnicos, políticos, etc.

    A hostilidade no ambiente do indivíduo

    Acima de tudo, a hostilidade tem causas negativas tanto para quem recebe comportamentos agressivos quanto para quem os gera.

    Dessa forma, uma vez que o uso permanente da violência e da agressão geram aumento do estresse e nervosismo, mau-humor, desavenças e, por último, insatisfação permanente com o outro ou com o que nos rodeia.

    Características de Hostilidade e comportamento hostil

    A característica distintiva central do construto de hostilidade envolve as seguintes variáveis cognitivas:

    • desconfiança: pensar que os outros são prejudiciais e intencionalmente provocativos;
    • denegrir: avaliar os outros como prejudiciais, perigosos e não sociáveis;
    • cinismo: acreditar que os outros são motivados egoisticamente;
    • é uma atitude cínica em relação à natureza humana, podendo chegar a ressentimentos e violência em determinadas situações, embora a hostilidade geralmente seja expressa de forma sutil;
    • implica crenças negativas em relação a outras pessoas.

    Situações que provocam diretamente hostilidade

    • violência física;
    • percepção de atitudes de irritabilidade;
    • negativismo;
    • ressentimento ou suspeita e desconfiança em relação a nós.

    Processamento Cognitivo de Hostilidade

    Assim, o processamento cognitivo da hostilidade ocorre em situações que acontecem lentamente e nas quais há um certo grau de predição.

    Todavia, quanto ao enfrentamento, entende-se que o ato causal é intencional pela outra pessoa, portanto, a pessoa valoriza que as consequências podem ser controladas.

    Ou seja, é valorizado que você tenha uma certa capacidade de lidar com o evento e de se adaptar à situação.

    Variáveis do processamento de estímulos que geram uma atitude hostil

    • estabilidade e nível de autoestima;
    • defensividade;
    • papel masculino;
    • normas sociais;
    • existem diferenças de gênero na hostilidade: os homens são mais hostis do que as mulheres;
    • o potencial de hostilidade aumenta com a idade;
    • a violência derivada de um ambiente de abuso e comportamentos que a incitam, gera cognições hostis, que em alguns casos conduzem a comportamentos anti-sociais e criminosos.

    Funções de hostilidade

    • inibir os comportamentos indesejáveis de outras pessoas;
    • evitar situações de confronto;
    • pode atuar como motivador para comportamentos agressivos e vingativos: pode gerar um impulso para fazer algo que elimine ou prejudique o agente que causou a sensação desagradável;
    • ativação em hostilidade;
    • efeitos subjetivos da hostilidade;
    • sensação de raiva, sentimentos de raiva, ruminações;
    • lidando com a hostilidade;
    • o coping visa inibir comportamentos indesejáveis de outras pessoas e até mesmo evitar situações de confronto;
    • a agressão é um aspecto do componente comportamental da hostilidade, a agressão verbal e outras formas de comportamento oposto são sutilmente expressas e não violam as normas sociais.

    Consequências da hostilidade

    De acordo com os estudos, é um fator de risco para doenças cardiovasculares e, mais especificamente, doença coronariana. Na hostilidade, as evidências atuais mostram dois aspectos de sua relação com a doença cardíaca coronária:

    • hostilidade com raiva são componentes do padrão de comportamento do Tipo A, um padrão  relacionado a distúrbios coronários;
    • a raiva, com uma alta reatividade cardiovascular ao longo da vida de uma pessoa, apresenta uma força adicional na relação causal da doença coronariana.

    Padrão de comportamento

    Padrão de comportamento Tipo A:

    • é um complexo de ação-emoção particular, que pode ser observado em algumas pessoas engajadas em uma luta relativamente crônica para alcançar uma série de coisas, geralmente ilimitadas de seu ambiente;
    • muitos estudos confirmam o padrão de comportamento do tipo A como fator de risco para doenças coronárias.
    Leia Também:  Ideologia de gênero: o que é, será que existe?

    Yuen e Kuiper sobre ser hostil

    Yuen e Kuiper concluem que a hostilidade, a raiva e a agressão são os componentes cognitivos, afetivos e comportamentais do padrão de comportamento do tipo A, sendo a hostilidade o mais patogênico.

    Socialmente, uma atitude hostil pode gerar um ambiente com pouco apoio social, uma vez que pessoas hostis geram rejeição em relação a elas.

    O comportamento desagradável de outros em relação a essas pessoas servem para reforçar as crenças, atitudes e expectativas dos hostis. Por outro lado, outras vezes são os próprios sujeitos hostis que evitam o contato social.

    Hostilidade gera ausência de comportamentos saudáveis (cuidados pessoais, cuidados físicos):

    • uma das consequências diretas é a hiperresponsividade cardiovascular;
    • a reatividade psicofisiológica influencia o início, a aceleração ou o agravamento do processo aterosclerótico, que está por trás da doença coronariana;
    • em relação à reatividade neuroendócrina, são produzidos níveis mais elevados de adrenalina, noradrenalina, cortisol, colesterol e lipoproteínas de baixa densidade.

    Considerações finais

    Em suma, a hostilidade nos defende do abuso e da ameaça que outras pessoas podem nos fazer, tanto física quanto psicologicamente.

    Gostou desse artigo que fizemos especialmente para você sobre ser hostil. Convidamos você a se inscrever em nosso curso online sobre Psicanálise clínica, com diversos conteúdos extras, aprimore seu conhecimento.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    quatro × cinco =