Leis da Gestalt

Leis da Gestalt: 8 leis da psicologia da forma

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Em linhas gerais, o termo Gestalt está associado à percepção humana e visa à compreensão do todo a fim de perceber as partes. Tendo isso em vista, estudiosos inspirados por Christian von Ehrenfels elaboraram uma estrutura organizacional para revelar a percepção humana sobre como a realidade nos é mostrada. A partir disso, iniciamos a nossa abordagem sobre as oito leis da Gestalt

Princípio 1: Lei da Pregnância

A pregnância, ou lei da forma, é a primeira das leis da Gestalt e indica a simplicidade em uma construção. Não se refere apenas à simplicidade, mas também ao seu equilíbrio e regularidade estrutural. Resumidamente, trata-se do modo como recebemos um objeto de forma agradável e que permita uma identificação e conforto.

Segundo a lei da pregnância, a forma vista precisa apresentar harmonia em seu conjunto. Sendo unificada e clara o bastante, ajuda a reduzir qualquer complicação visual em sua construção. Nisso, a sua aplicação consiste de:

Organização

De acordo com a pregnância, deve haver organização nos meios estruturais. Isso vai permitir uma compreensão mais fácil e rápida de qualquer tipo de leitura e interpretação.

Mapeamento comportamental

A Gestalt ajuda a mostrar os comportamentos automáticos que a mente produz. Isso é necessário para que sejam moldados e usados na composição de formas mais simples de entendimento.

Lei da unidade

Nas leis da Gestalt, a unidade representa o principal caminho para interpretarmos a forma. A unidade designa a estrutura que é possível de ser lida e interpretada como apenas uma só, sendo dominante quanto imagem e informação. Além disso, que fica separado do ambiente que o cerca, ainda que seja constituído de diversas outras partes.

Se ajuda a fixar, pense em uma partida de futebol acontecendo no presente momento. A bola do jogo representa uma unidade distinta e única. Desse modo, ela acaba se encerrando em si própria e se separando de outros elementos pertencentes à partida, como o campo, jogadores e torcida.

Contudo, a mesma possui hexágonos que foram colocados ali para compor a sua estrutura. Cada um pode ser entendido como uma unidade, um pedaço à parte quando nos aproximamos desse objeto. Contudo, de longe, enxergamos apenas uma bola branca sem definição e com simplicidade.

Lei da unificação

Dentre as leis da Gestalt , a unificação indica a capacidade de identificarmos unidades pertencentes a um mesmo grupo. Por meio dela, aprendemos a conectar diferentes elementos, mas que possuem estrutura semelhante que os invoquem a um mesmo meio. Assim, podemos verificar unidades compostas e complexas de vários elementos.

Voltando ao exemplo da partida de futebol, pense agora nos jogadores do mesmo time. Você é capaz de saber a qual time eles pertencem por causa dos elementos visuais em seus uniformes que são padronizados. Esse elemento das cores, por exemplo, indica que todos os membros da equipe guardam uma familiaridade entre si e trabalham juntos.

Assim, se fossem colocados um time de futebol e basquete no mesmo lugar, entenderíamos a natureza de cada um. Não apenas pela cor do uniforme agora, mas também pelo estilo de esporte que estão praticando. E além disso, há que se considerar também os efeito e requisitos necessários de cada um, como porte físico, altura e estilo de uniforme.

Lei da semelhança

O princípio da semelhança é uma das leis da Gestalt mais fáceis de serem reconhecidas. Como deve imaginar, um fator em específico para ajudar na unificação de peças e elementos é a semelhança. O ser humano, bem como outros animais, agrupa visualmente informações dentro de um ambiente para interpretá-lo.

Leia Também:  O que é Mitomania? Conceito e características

Assim, características muito próximas creditam objetos e serem como pertencentes a um mesmo grupo. Mesmo que uma criança não compreenda o que são gatos, ela vai entender que há semelhanças entre eles. Isso vai ajudá-la a perceber que os bichanos fazem parte de uma mesma família ou grupo. Aqui não falamos apenas de características físicas, mas comportamentais também. Todas ajudam na construção da semelhança.

Lei da proximidade

A lei da proximidade indica a interpretação de elementos próximos como que derivados de um mesmo grupo. Com isso, passam a ser vistos como elementos unitários ou mesmo elementos específicos pertencentes a uma unidade. Por exemplo, pense em diversos carros dentro de um estacionamento numa concessionária.

No trabalho das leis da Gestalt, a proximidade é que começa o trabalho de ligamento. Se a mesma for unida com a lei da semelhança, a interpretação visual fica ainda mais forte. Consequentemente, compreender a forma se torna mais acessível, confortável e rápido, o que é vital em algumas situações.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Lei da continuidade

A lei da continuidade designa nosso apreço por formas sem qualquer tipo de interrupção na sua composição. Isso permite uma maior fluidez interpretativa, já que nossa mente poderá prever situações envolvendo esse elemento. Ademais, também é utilizada para:

Gerar confiança

O formato mais fluido dos objetos acaba por gerar confiança por serem mais facilmente interpretados. A estrutura torna mais acessível compreender o que pode acontecer e como trabalhar qualquer situação envolvida nisso. Por exemplo, pense numa bola e em como ela pode rolar de forma linear e sem qualquer intervenção brusca.

Conforto

Formatos com irregularidades ou rompimentos tendem a causar incômodo em quem os vê. Com as leis da Gestalt, refinamos a nossa percepção para trabalhar esses pontos adequadamente. A título de exemplo, pense em formatos quadrados que possuem rompimentos e ângulos pontudos que são vistos com mais severidade e risco.

Lei do fechamento

Em decorrência do relacionamento das leis da Gestalt proximidade e semelhança, o fechamento pode ser aplicado. Interpretamos visualmente e de forma natural a recorrência de unidades, já que isso vai facilitar a compreensão de uma forma. Nisso, procuraremos um fechamento visual para alcançarmos imagens vazadas ou abertas, dependendo da situação.

No momento em que encontramos uma imagem que carrega continuidade mais fluida, fazemos mais facilmente o fechamento de imagem vazada. Isso vai dar a ela um significado mais acessível. É por conta disso que a relação entre semelhança e proximidade ajuda a realizar esse fechamento visual.

Lei da segregação

Encerrando as leis da Gestalt, a segregação é outro fator na interpretação de uma imagem. Este fator designa a capacidade de fazer a separação de unidades dentro de uma mesma imagem. O número de segregações possíveis depende diretamente da complexidade e tempo para observar o que vemos.

Mais uma vez voltando ao exemplo da partida, conseguimos separar os elementos que a compõem. Segregamos a bola por sua forma, os jogadores pelos uniformes e movimentação, a torcida por seu posicionamento e constituição, entre muitas outras coisas. Não o bastante, cada um desses elementos ainda pode ser segregados em outras unidades.

Considerações finais sobre leis da Gestalt

As leis da Gestalt surgem para que possamos compreender melhor a realidade à nossa volta. Graças a ela, a informação pode ser melhor processada, permitindo respostas adequadas a ela. Não apenas isso, mas também o gerenciamento mais rápido de impressões e percepções.

Leia Também:  Sonhar com roupa suja: o que quer dizer?

Para quem trabalha com o público e precisa gerenciar suas atividades, é um recurso bastante valioso. Isso pode significar o sucesso de muitas abordagens e propagação de negócios e parcerias.

Caso queira aperfeiçoar sua abordagem com os demais, se inscreva em nosso curso de Psicanálise Clínica 100% online. As aulas te ajudam a refinar suas qualidades pessoais e fazer aprender os elementos necessários ao desenvolvimento humano. Junto com as leis da Gestalt, o curso te ajudará a alcançar o seu potencial pleno à vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 16 =