Melatonina: o que é, para que serve?

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Nós temos muitos hormônios que regulam nosso organismo. De vez em quando, alguns hormônios se tornam mais conhecidos, enquanto outros nós nunca nem ouviremos falar. Contudo, mesmo que não os conheçamos, não significa que eles não sejam importantes. Hoje nós falaremos de um dos hormônios que regulam nosso ciclo circadiano, isto é, a melatonina.

Abordaremos aqui o que é esse hormônio, para que ele serve e, além disso, discutiremos formas de suplementação e contraindicações. Por fim, traremos para você resultados de alguns estudos sobre a melatonina.

O que é melatonina

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente pelo nosso organismo. Sua principal função é a regularização do ciclo circadiano, ou seja, o nosso ciclo biológico. A partir disso, esse hormônio faz com que esse ciclo funcione normalmente. Além disso, a melatonina promove o bom funcionamento do organismo e atua como antioxidante.

A produção deste hormônio ocorre na glândula pineal. Esta produção só é ativada quando não há estímulos luminosos, ou seja, a produção de melatonina só ocorre à noite. Consequentemente, a produção nos induz ao sono. Por esse motivo, na hora de dormir, é importante evitar a luminosidade, estímulos sonoros ou aromáticos. Eles podem acelerar o metabolismo e diminuir a produção de melatonina.

Outro benefício envolvido na produção deste hormônio é a diminuição do envelhecimento. Geralmente, a produção de melatonina diminui à medida em que nós envelhecemos. Assim sendo, os distúrbios de sono são mais frequentes em adultos ou idosos.

Isso posto, ressaltamos ainda que a melatonina ajuda a tratar insônia, menopausa, enxaqueca e até fibromialgia. Há estudos que indicam ainda uma ajuda em casos de câncer de mama e de próstata, Alzheimer e isquemia, por exemplo. Falaremos disso mais para frente.

Além da produção natural do organismo, a melatonina hoje é comercializada industrialmente. Por essa razão, o hormônio pode ser comprado em farmácias por um preço de cerca de 50 reais, dependendo da concentração.

Suplementação de melatonina

Como dissemos, a melatonina está relacionada ao ciclo do sono. Por esse motivo, essa substância é indicada para quem tem dificuldade de começar a dormir ou de manter o sono.

Listamos abaixo as pessoas que a suplementação é indicada:

  • Idosos, que costumam ter uma produção mais baixa naturalmente;
  • Pessoas que trabalham em turnos noturnos e precisam dormir durante o dia;
  • Vespertinos, ou seja, pessoas que só conseguem dormir e acordar mais tarde;
  • Viajantes que precisam se recuperar do jet lag ou querem prevenir esse problema com os fusos horários;
  • Pessoas com alguns graus de cegueira, que devido à má percepção de luminosidade têm dificuldades em produzir o hormônio.

Vale dizer que o hormônio não funciona com todos os tipos de insônia. Isso porque a sua eficiência só é comprovada na indução inicial do sono.

Como tomar melatonina

Antes de se fazer qualquer tratamento deve-se ir ao médico. Com o caso do referido hormônio não é diferente. Nesse caso, o médico pode recomendar a ingestão de 1mg a 5 mg de melatonina 1 hora antes de dormir. Seu uso durante o dia normalmente não é recomendado, pois pode desregular o ciclo circadiano. O uso inadequado pode fazer que a pessoa sinta muito sono durante o dia e pouco durante a noite.

Precisamos falar que, mesmo sendo um hormônio natural, o uso do suplemento pode causar alguns efeitos colaterais. Falaremos disso mais adiante no texto.

Além do suplemente, uma alternativa para aumentar a melatonina no organismo é consumir alimentos que contribuem para a sua produção. Dentre esses alimentos podemos destacar: arroz integral, banana, nozes, laranja e espinafre.

Leia Também:  Recordar, Repetir e Elaborar para Freud

Contraindicações

Não há riscos graves no consumo de melatonina, a menos que você tenha alergia a algum composto da cápsula ou alergia à própria substância. Fora esse contexto, a substância é segura.

Porém, todo excesso é prejudicial. Dessa forma, o consumo excessivo do hormônio em questão pode trazer problemas. Contudo, se consumido até 10 mg ao dia não há complicações.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Nesse contexto, entre os efeitos colaterais já observados estão dor de cabeça e alteração na produção de alguns hormônios. Um exemplo desses hormônios é a prolactina. Além disso, alguns pacientes relatam uma maior produção de sonhos quando consomem a melatonina. Já as crianças podem ter um aumento nos pesadelos durante a noite.

Além disso, o suplemento de melatonina é contraindicado para pessoas com histórico de angina e infarto.

Estudos sobre os benefícios da melatonina

Além de seus benefícios para o sono, muitos pesquisadores tem analisado outros usos da melatonina na saúde. Trouxemos aqui algumas das linhas de pesquisa que estão sendo abordadas atualmente.

Tratamento da enxaqueca

Estudos recentes mostram os usos da melatonina no tratamento de alguns tipos específicos de enxaqueca. Ela tem sido estudada para os casos em que os pacientes não respondem aos tratamentos comuns. Contudo, ainda não se sabe qual efeito ela pode ter nesses casos e nem foi estabelecido um protocolo para seu uso ainda.

Melhora na resposta à quimioterapia

Há estudos que indicam que o hormônio em questão pode ajudar a aumentar a efetividade dos tratamentos para câncer usando quimioterapia. No entanto, vale ressaltar que esses testes foram feitos em camundongos. Em humanos os estudos ainda estão sendo desenvolvidos, porém ainda não se sabe se esse hormônio atuará da mesma maneira.

Tratamento da síndrome dos ovários policísticos

O hormônio em questão influencia na ação diversos hormônios do corpo, como já dissemos. Alguns, inclusive, estão relacionados à síndrome dos ovários policísticos, como a insulina e o estradiol.

Consequentemente, essa ligação pode trazer benefícios para o tratamento. É nesse sentido que as pesquisas atuais estão sendo encaminhadas. Porém, elas estão mais focadas, por enquanto, em entender como a melatonina pode impactar nesses hormônios. Após eles entenderem isso, eles analisarão a maneira mais adequada de usar o hormônio nesses casos.

Ou seja, a pesquisa ainda está em andamento e não há nada realmente concluído.

Amenizar cólicas em bebês

Dentro os estudos ainda em andamentos, vemos alguns indicando que a serotonina e a melatonina são importantes para o bom funcionamento do intestino. A serotonina trabalha causando uma contração nas paredes dos nossos intestinos, enquanto a melatonina vem para ajudar no relaxamento do órgão.

A partir disso, como os bebês têm uma glândula pineal imatura que ainda não produz melatonina. Visando isso, especialistas estudam se a suplementação com uma gota de melatonina ajudaria nesses casos. Porém, ainda não há conclusões e muito menos protocolos de tratamento de cólicas desta forma.

Comentários finais sobre a melatonina

A melatonina é um hormônio que interfere em nossas vidas diretamente. Afinal, a insônia interfere em muitas áreas de nossas vidas. Nesse contexto, é interessante ver que, ao envelhecermos, esse hormônio tão importante diminui. Por motivos como esse, é preciso procurar a opinião médica para fazermos a suplementação de maneira correta ao longo do tempo.

Leia Também:  15 pensamentos budistas que mudarão sua vida

Se você tem interesse em entender como hormônios tais quais a melatonina podem afetar a nossa vida e mente, conheça nosso curso de psicanálise clínica online. Nele nós abrangemos vários temas que são essenciais para uma formação de qualidade. Ele é 100% online, o que torna uma formação alternativa algo muito mais acessível para você. Conheça a estrutura do curso e não perca a oportunidade de tornar-se psicanalista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − treze =