namoro psicanálise

Namoro: 12 lições da psicanálise

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Chega um momento em que só amor e paixão não sustentam um namoro. Quando um casal busca um futuro, é preciso uma verdadeira parceria entre eles para que o relacionamento possa fluir sem desgastes.

Nesse contexto, o namoro precisa, ao mesmo tempo, de entrega e de individualidade. É preciso também que os dois trabalhem para evoluir como pessoa, para que então possam evoluir juntos.

Se você está num relacionamento, ama demais seu par e quer continuar com ele, coloque em prática algumas lições para manter o relacionamento saudável. Assim, confira abaixo algumas com que você pode começar!

Livre-se de inseguranças

A dois, a insegurança é mais fácil de combater do que parece: diálogo. Se seu par te respeita e quer seu melhor, ele irá sim te ajudar a superar esse problema. Essa insegurança pode ser tanto no relacionamento quanto em algum aspecto de sua vida que está refletindo na qualidade do namoro. Uma área acaba sempre afetando a outra. Assim,  dialogar é um caminho muito importante para essa superação.

Geralmente, a maior insegurança de um namoro é o ciúmes. Porém, como toda e qualquer insegurança, ela tem uma raiz que você deve descobrir e resinificar para superar. A carência também é bastante comum, quando a pessoa tem tanta necessidade de atenção do outro que acaba desrespeitando a individualidade e prejudicando o namoro.

Nada do que uma boa conversa com dose de autoconhecimento possa resolver, especialmente com ajuda de um psicanalista.

Pratique autoconhecimento

Se você reage mal a críticas que poderiam até ser construtivas, algo pode ter acontecido na sua história que fez você se sentir assim, como por exemplo ter pais muito críticos na infância. Além disso, se você tem necessidade de atenção, pode estar inconscientemente tentando compensar alguma falta que teve na vida. Assim sendo, o medo de ser abandonado pode ser reflexo de algum trauma relacionado a perda abrupta ou mesmo de abandono.

As nossas características, sejam elas pontos fortes ou fracos, têm um motivo. São as nossas fraquezas que muitas vezes podem prejudicar o namoro, portanto é importante entender cada uma delas e trabalhar para melhorá-las.

Seja gentil

Gentileza é algo que devemos ter com todos, especialmente com a pessoa que queremos compartilhar a vida. Assim, pense nas palavras que irá dizer quando manifestar uma opinião. Ademais, seja grato e educado.

Nesse contexto, observe também o seu jeito de falar. No dia-a-dia, podemos nos sentir confortáveis demais para nos expressar com o parceiro(a) sem pensar nos sentimentos dele(a), mas isso pode ser muito prejudicial a longo prazo. Expresse com palavras que você se importa com a outra pessoa, com os sentimentos dela e com o relacionamento.

Esteja presente

Seja na doença ou na saúde, na alegria ou na tristeza. Sim, casamento é isso e o namoro, para dar certo, tem que ser assim também. Estar presente não significa viver para o outro, mas sim estar disponível para apoiar, comemorar ou conversar.

Durante conversas ou momento a dois, sempre foque no momento presente. Isso porque outro percebe quando você está distraído e preocupado demais. Assim sendo, sua atitude pode soar como desinteresse. Contudo, caso você não consiga deixar de estar com a cabeça em outro lugar, converse.

Ademais, a presença física também é importante. Sempre reservem um momento da semana para se verem, especialmente se a vida for corrida.

Nunca esqueçam de trocar carinho

Sabe aquele hormônio da felicidade, a oxitocina? Ele é considerado o hormônio da paixão e do amor, liberado pelo nosso corpo nos momentos em que estamos com a pessoa amada trocando carinhos, toques, elogios, abraços e, principalmente, durante as relações sexuais. Nesse contexto, a contínua produção de oxitocina é um fator importante para que casais continuem juntos!

Preste atenção nos tópicos de suas conversas

Vocês ficam muito tempo reclamando da família ou do trabalho um para outro, levando o estresse de fora para dentro do relacionamento? Cuidado com essa atitude! Aos poucos, assuntos importantes para o casal vão ficando de lado e, assim, dando lugar para sentimentos negativos.

Conversem sobre filmes, bichinhos fofinhos, e sobre seus filhos (se tiverem). Entendam a importância de separar os momentos de conversar sobre assuntos leves e o de compartilhar problemas externos um com o outro.

Contato físico

Se toquem! E não somente nos momentos mais íntimos, mas no dia-a-dia. Deem as mãos, sentem juntinhos… Nesse contexto, prezem por todo tipo de contato físico que possam fazer. É a partir do toque que a paixão começa e se mantém.

Leia Também:  Desenvolvimento Humano: Conceito na Psicanálise

Respeite a individualidade

Cada pessoa é única, assim como cada casal. Assim, é dever dos dois estabelecer limites e cumpri-los. Muitas vezes, se uma das pessoas tem problemas não resolvidos, como o ciúmes, esses limites podem ser estressantes para o namoro. Dessa forma fica reforçada mais uma vez a necessidade de trabalhar inseguranças com a psicanálise.

Conversem um com o outro e definam esses limites. Um vai ter acesso ao celular do outro? A casa do outro? Ao guarda-roupa do outro? São diversas perguntas que somente um casal pode definir.



Lembre-se: em um namoro há duas partes, não somente uma. É extremamente importante que os dois mantenham sua individualidade, dentro dos limites estabelecidos, para que juntos possam caminhar em sintonia.

Brigas acontecem, lide com elas

Muitas pessoas tendem a fugir de conflitos. No caso de um namoro, em que os dois ainda não compartilham uma casa, fugir de um conflito fica ainda mais fácil. Nesse contexto, é importante ter maturidade ao lidar com desentendimentos.

Quando uma briga acontece, é porque algo considerado errado por uma das partes aconteceu. Seja por causa do ponto fraco de alguém ou pelo desrespeito aos limites. Contudo, se for algo que dá para resolver para que o namoro continue, o ideal é resolver logo. Quando uma situação se torna recorrente, fica mais difícil ainda se livrar dela.

Incentive o outro

Seja para começar a estudar uma nova profissão, mudar de trabalho ou lutar por uma promoção dentro da empresa, incentive seu (sua) namorado(a) a crescer.

Isso parece um pouco óbvio. No entanto, sem perceber podemos conter o crescimento do outro por medo de mudanças ou inseguranças que temos dentro da gente. Seu par quer um novo projeto? Incentive. Faça parte disso!

Fale sobre sexo

É incrível como em pleno século 21 ainda existe tanta falta de comunicação sobre sexo entre o casal. Troquem informação, falem sobre seus gostos, desejos, explorem um ao outro.

Agora a dica é especialmente para as mulheres: também sinta prazer. Muitas mulheres têm dificuldade em apreciar o momento a dois por estarem muito preocupadas em agradar ao homem. Contudo, esquecem que sexo é uma troca íntima, que precisa também de diálogo para acontecer.

Seu namoro vai bem?

Depois dessas lições, pense e analise quais os pontos de melhoria do seu namoro. Se vocês querem um dia se casar, é melhor começar desde cedo a trabalhar nos problemas, antes que virem um grande ciclo de preocupações.

Se estiver complicado, também tenha consciência de que não vale a pena insistir em algo que não pode ser consertado. Converse sempre com seu psicanalista, em caso de desgastes no relacionamento!

Por fim, caso queira entender mais sobre como a psicanálise pode ajudar a entender inseguranças e outros problemas que surgem no namoro, confira nosso curso EAD! Nele, você será capacitado a trabalhar com outras pessoas e também poderá aproveitar seus conhecimentos em sua própria vida. Confira!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + oito =