Namoro abusivo: conceito e libertação

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Namoro abusivo é um tema que cada vez mais vem sendo procurado nas buscas da internet. Ficamos feliz com o interesse em maneiras de dar fim a essa experiência traumática. Saiba que os relacionamentos abusivos muitas vezes foi considerado um tabu ou significado de vergonha, de modo que o combate e a conscientização eram tarefas mais difíceis.

Trazer o assunto para discussão é importante para que a saibamos identificar e combater esses casos.

No entanto, você já sabe o que é namoro abusivo e como se libertar dele, caso esteja em um? Neste artigo, vamos conversar um pouco sobre isso e tentar entender um pouco sobre conceitos que englobam o tema. Esperamos que este artigo possa te ajudar a se ajudar. Caso não seja você a vítima do relacionamento, mas alguém de fora, esperamos ajudar você a oferecer ajuda.

Conceito de namoro

Para podermos começar a entender o tema, achamos importante entender o que significa namoro.

Origem

Namoro é um substantivo masculino que vem do verbo “enamorar”, que por sua vez tem origem termo espanhol estar en amor. Trata-se de um tipo de relacionamento em que pessoas que se gostam se unem para trocar experiências, intimidades e carinhos. Assim, é uma relação afetiva que que não tem vinculo legal, como um casamento. É algo social apenas, mas que só funciona com comprometimento.

Significado social

Geralmente, o namoro é o primeiro compromisso social antes do noivado e casamento. Podemos dizer que é o momento de conhecimento das pessoas antes de algo mais sério. Tal fato é muito importante, pois é através do namoro que as pessoas aprendem a conviver como casal. Dessa forma, aprendem a compartilhar suas vidas, suas alegrias, vitórias, tristezas.

Já vê-se aí o problema de se submeter ou submeter alguém a experiências abusivas, não é?

É através desse relacionamento que você conhece melhor a pessoas de quem gosta e amadurece para uma relação que exige mais responsabilidade. Antigamente, namoro significava cortejar a pessoas desejada. Esse cortejar não era estar em um relacionamento, era mais no sentido de flertar mesmo.

Limites

Sobre as relações sexuais dentro dos namoros, é uma intimidade que pode existir ou não. Nos namoros cristãos, por exemplo, a relação sexual antes do casamento é proibida. Contudo, para outros grupos sociais, a relação é uma opção do casal na maioria das vezes.

A seriedade do relacionamento também depende do casal. Há casais que estão juntos apenas para não estarem sozinhos e tem gente que namora para casar. Além disso, há namoros a distância, que exigem mais comprometimento ainda das pessoas envolvidas.

Encontro e decisão de estar junto

A maneira como as pessoas vem se encontrando também mudou com o tempo. Antigamente, muitos casais começavam a se relacionar depois de encontros propostos pelas famílias. Hoje, a tecnologia permite que pessoas se conheçam por aplicativos. Além disso, em geral não há mais a obrigação de estar com alguém por ordem dos pais, por exemplo.

No entanto, como veremos mais abaixo, muitas pessoas têm recuperado essa noção de que é possível obrigar alguém a permanecer em uma relacionamento infeliz. É aí que está o tema do artigo de hoje: o relacionamento abusivo.

Conceito de abuso

Acabamos de conversar sobre o conceito de namoro, e agora precisamos falar sobre abuso. Abuso vem do termo latino abūsus. Ele indica um comportamento inadequado, excessivo e que vai contra aos costumes.

Quando falamos de relacionamentos humanos, abuso é qualquer ação que promova desnível de poder. Esse desnível, por sua vez, pode ser material, de crença, de valores, ou até intelectual. Assim sendo, provoca a ideia de que no relacionamento um tem poder sobre o outro, diminuindo-o a um objeto. É preciso dizer que esse poder gera intimidação que tem fontes reais ou não.

Pensando em uma relação profissional, o abuso de autoridade acontece quando um superior se excede com relação ao seu subordinado. Já o abuso de confiança é caracterizado por uma infidelidade. Nesse caso, a pessoa que foi traída deu crédito à pessoa que a traiu, seja por carinho, falta de experiência, ou inocência. Dessa forma, o abusador traiu esses sentimentos que foram depositados nele.

Nesse caso, traição não é só sair com uma pessoa estando com outra. Pode ser apenas o ato de contar um segredo, dizer que ia fazer uma coisa e fazer outra, por exemplo.

Já o abuso sexual é um delito que consiste num atentado contra a liberdade sexual de uma pessoa. Aqui, a pessoa abusada não dá o seu consentimento para a prática, porém o abusador não respeita isso.

Leia Também:  Especial Dia das Mães: Importância da mãe na Psicanálise

Veremos que essas práticas abusivas podem todas estar associadas ao namoro abusivo. Nele, é possível ter abuso sexual, abuso de confiança, e abuso de poder também.

O que é o namoro abusivo

Conceito

Agora precisamos falar do namoro abusivo abusivo em si. Ele ocorre quando uma das pessoas do relacionamento assume uma posição de superioridade sobre o outro. Essa pessoa desejará sempre se satisfazer, ser a prioridade da relação, a única a ser ouvida. Disso resultará um anulamento da outra pessoa, pois ela nunca terá suas vontades atendidas e estará sempre em segundo plano.



Quando você abriu esse artigo, pode ter pensado que o namoro abusivo se trata sempre de agressão física. Porém, não é assim. Nem sempre a violência toma essa forma. Há muitos casos que a violência é psicológica, financeira e/ou sexual, como já dissemos.

A vítima

No começo, a manifestação dessas violências podem ser sutis, para só depois irem ficando mais explícitas e fortes. Contudo, justamente por serem inicialmente sutis, são difíceis de serem percebidas. Dessa forma, a vítima pode achar com o tempo que ser tratada de maneira abusiva é normal. Geralmente, a vítima se sente dependente do outro, pois essa pessoa controla a vítima e a manipula.

Dentro do namoro abusivo, a vítima é submissa, ameaçada, inferiorizada, controlada, isolada, e não consegue dizer não para o abusador. Além disso, há, normalmente, uma dependência financeira na relação.

É possível até ver em um namoro abusivo casos de infidelidade por parte do abusador. No geral a vítima ou não sabe da infidelidade ou é manipulada de modo achar que merece ser traída. Você consegue enxergar a gravidade do estado em que a vítima se encontra? É um quadro de horrores, que para ela só traz malefícios.

Características

Há certas situações que caracterizam um namoro abusivo. Vamos listar três delas aqui:

As promessas

Aqui podemos lembrar daquelas situações dramáticas em que abusador pede desculpas por um erro cometido. Além disso, promete mudar, mas só depois de o erro ser descoberto. Ele sempre prometerá um futuro maravilhoso.

As punições

O abusador pode privar o outro de relações sexuais, afeto ou fazer jogos silenciosos para punir o outro. Essa punição ocorre quando a vítima se recusa a fazer algo que o abusador queria, ou que não foi feito do seu jeito.

Os ciúmes

O abusador demonstra ciúmes em relação a família, amigos e colegas de trabalho de sua vítima. Geralmente, busca isolar o outros de todos os grupos e acusa-o de sempre estar o traindo ou querendo o trair. Assim sendo, sempre justifica esse tipo de ação tratando o outro de forma acusadora.

É importante entender que a forma como uma pessoa se comporta num relacionamento reflete como ela se percebe.

As pessoas em um namoro abusivo aprendem a ver os abusos como se fossem algo normal em um relacionamento. Tal percepção pode ser resultado de um contexto familiar em que presenciou relacionamentos desse tipo. Dessa forma, a pessoa pode ter crescido relacionando o amor a dor.

Além disso, como dissemos, os abusos podem ter se intensificado de modo gradual, o que por si só já é uma estratégia de manipulação. A pessoa passa a acreditar que não é digna de amor e respeito. Não exige nada do parceiro por se sentir inferior demais. Assim, tem medo de contrariar o abusador porque não quer ser rejeitada.

Contudo,independentemente do que leve a vitima a internalizar isso como normal, o processo inverso é possível. Porém, é algo que deve ser desejado pela vítima. É um processo lento, mas é preciso. No próximo tópico vamos falar mais sobre isso.

Como sair de um namoro abusivo

Nesse tópico, tentamos dar sugestões para que a pessoa que se vê em um namoro abusivo pode fazer para ser livre disso. Se você conhece alguém nessa situação, converse com ela sobre isso e dê essas dicas também:

Procurar ajuda

Não se deve ter vergonha de estar nessa situação. Se você sente que de alguma forma é abusada ou violentada,saiba que você não precisa viver assim. As pessoas não te jugarão, ao contrário, elas sabem que você está dando passos para ser melhor.

Converse com pessoas de sua confiança, desabafe com seus pais, amigos, ou com alguém que te inspira. Além disso, a melhor coisa a se fazer por você é procurar ajuda profissional. Um psicanalista ou psicólogo está pronto para te atender e te ajudar a entender e se livrar dessa situação. Você também pode ligar para o Centro de Valorização da Vida no número 141. Lá há pessoas que podem te oferecer suporte emocional.

Leia Também:  A Arte da Guerra de Sun Tzu: 5 lições da Psicanálise

Se perceba

Essa dica pode soar abstrata, mas em um namoro abusivo a pessoa se anula e passa a olhar só para o outro.

Quando fazemos o processo de nos perceber, voltamos a nos reconhecer como pessoa. Só assim passamos a lembrar do que gostamos, das pessoas que amamos e das nossas qualidades. É nesse momento que devemos voltar a fazer as coisas que gostamos e nos priorizar.

Olhar para as situações de forma crítica

Como dissemos, a vítima de um namoro abusivo começa a naturalizar comportamentos. Por isso, é importante olhar para o namoro de forma crítica. É necessário descontruir a ideia de que uma pessoa pode ser superior a outra em um relacionamento. Ou que está tudo bem em ser submisso ao outro e que ciúme excessivo é bom.

Se amar

Essa dica está entrelaçada ao “se perceba”, mas é importante explorar isso mais. Quando se está em um namoro abusivo, a pessoa acredita ser indigna de amor, ou ser merecedora de migalhas.

É comum nesses casos a pessoa achar que ela não conseguirá mais amor que aquilo. Isso é reflexo da falta de amor próprio, pois a pessoa acredita que é ninguém. Quando a gente faz o caminho contrário e passa a se amar, a gente não aceita menos que amor. Por isso, é importante olhar para a gente mesmo com carinho, admiração e paciência. A gente é digno de amor sim.

Conclusão

Falar de namoro abusivo é necessário e se você está nessa situação, acredite quando dizemos que você não merece isso. Busque ajuda e denuncie o abusador. Além disso, caso queira tratar do assunto a partir da Psicanálise, confira o nosso curso de Psicanálise Clínica online!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − dez =