trauma, o que é trauma, origens do trauma, quais tratamentos?

Trauma na psicanálise: o que é e como funciona?

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Quando a pessoa tem um trauma psicológico, vive em constante estado de alerta, sempre atento a possíveis situações de perigo. Isso mesmo sem existir uma justificativa plausível.

Ele pode se apresentar de diversas formas, então não há como prever totalmente como traumas irão ser refletidos ao longo da vida de uma pessoa afetada.

Muitas vezes, o indivíduo pode nem saber que certos comportamentos que possui derivam de um trauma que começou há muitos anos atrás.

Uma pessoa que vive um assalto, por exemplo, pode passar a ter tanto medo de sair de casa. Assim, simplesmente deixa de fazer tarefas importantes, como ir ao mercado, fazer esportes, ou até mesmo trabalhar.

Uma criança violentada na infância, por outro lado, pode se tornar insegura ou agressiva.

Até mesmo coisas simples, como o medo de algum inseto pode ser consequência de um trauma. Você pode ter simplesmente sido mordido por algum quando criança e o episódio te marcou.

São tantas as formas que traumas podem ocorrer na nossa vida! Assim, não fazemos ideia de quanto a nossa vida pode ser afetada.

Você tem ou acredita que possa ter um trauma na sua vida? Acompanhe o artigo para saber mais sobre o tema!

O que desencadeia um trauma psicológico

Os sinais podem ser confusos e não ter relação clara com um fato ocorrido no passado. Também podem surgir anos depois, sem motivo aparente. Nesse contexto, o indivíduo não consegue perceber as causas sem ajuda de um psicanalista.

Você já viveu alguma situação de perigo, na qual você sentiu muito medo? Seu coração disparou e seu corpo foi tomado por uma sensação terrível que você não quer vivenciar novamente?

Quando seu corpo entende que há uma situação de perigo, sobe a adrenalina.

Trata-se de um instinto de sobrevivência que temos. O hormônio da adrenalina toma conta e nos tornamos hiper vigilantes. Assim, ficamos mais resistentes a dor e começamos a ter respostas ao perigo que não teríamos caso estivéssemos sem adrenalina.

O corpo e a mente começam a trabalhar em conjunto e com muita rapidez para buscar uma solução e sair daquela situação de perigo. Entramos num estado de alerta constante para qualquer possível ameaça.

Depois de um tempo, esse estado vigilante vai passando quando vemos que a situação de perigo passou ou que não existia.

No entanto, o problema acontece quando o individuo continua alerta mesmo depois de passado o momento. Ou então, anos depois, quando apresenta gatilhos que levam a estados de alerta sem motivo aparente.

Como saber se tenho um trauma?

Não há uma resposta exata para essa pergunta. O seu trauma pode ter começado na infância e você sequer lembra disso.

No entanto, existem alguns sinais que você pode perceber e ficar atento. São exemplos: sentir dores e formigamentos no corpo sem razão justificável, acessos de raiva, descontroles emocionais, e medo de desempenhar tarefas cotidianas.

Esses aspectos variam de indivíduo para indivíduo, por isso é sempre importante se conhecer.

Podemos notar alguns sinais na maioria das pessoas traumatizadas, como:

Agressividade:

A sua infância pode ter sido conturbada, com violência doméstica seja contra você ou contra alguém que ama. Esses casos de violência já podem não ser lembrados com frequência. No entanto, estão registrados na memória.

Até mesmo brigas entre irmãos que poderiam até serem consideradas “normais” podem desencadear um trauma na vida adulta. Desse modo, fazem com que a pessoa tenha momentos de agressividade sem causa aparente. Além disso, não conseguem se controlar em confusões de trânsito, por exemplo.

Qualquer situação que ative seu estado de hipervigilância fará com que a pessoa se torne agressiva.

Insegurança e dúvidas sobre si mesmo:

O trauma pode ocorrer de uma forma muito subjetiva.

Por exemplo, mães e pais que não acreditam que seus filhos são capazes de realizar algo ou executar certas tarefas podem formar nele uma imagem equivocada de si mesmo. Assim, a criança cresce insegura. Tem medo de arriscar ou sair de sua zona de conforto.

Familiares muito críticos podem até achar que estão ajudando a criança, mas não estão fazendo nada além de sugerir que são incapazes. Isso se refletirá na vida adulta de inúmeras formas.

Medo de se expressar:

Seja para uma plateia, na reunião de trabalho ou com pessoas próximas, uma pessoa traumatizada tem medo de se expressar. Isso acontece porque ela teme o julgamento e a reação dos demais. Geralmente, sofrem por antecipação pensando nas reações negativas que sua fala pode desencadear.

Leia Também:  Manipulação: 7 lições da Psicanálise

Essa pessoa provavelmente já passou por uma situação em que a reação do receptor não foi a esperada. Assim, o ocorrido acabou tendo um impacto negativo na sua vida.

Traumas na infância

A infância é uma época muito sensível de nossas vidas, simplesmente porque ainda estamos aprendendo tudo sobre o mundo. Qualquer informação nova que chega, é um aprendizado que vai entrando para nosso repertório e nosso entendimento do que é a vida.

Por isso, situações traumáticas que acontecem na infância, insistem em durar a vida inteira. Isso porque foi assim que aprendemos a reagir naquela situação anos atrás. Está impresso em nossa memória e é difícil mudar.

Infelizmente, ainda é muito comum ouvir relatos de crianças violentadas. Em muitos locais é proibido que pais batam ou machuquem seus filhos para educá-los. Essa proibição não é por acaso.

Além de não funcionar de fato, estará criando um adulto com respostas agressivas para situações simples. Ademais, a criança pode se tornar um adulto inseguro, que vive com medo de errar. Nesse contexto, a falta de ousadia pode lesar o seu filho com relação a oportunidades de emprego.

Traumas de infância não tratados podem fazer com que, até mesmo décadas depois, o adulto desenvolva doenças séries como transtornos de ansiedade, síndrome do pânico, depressão e outros transtornos emocionais.

Às vezes, ele passa por essa situação e não faz ideia de que a sua infância tem forte relação com o momento atual.

Buscando tratamento para traumas

Podemos até lidar sozinhos com certos problemas. Contudo, quando eles começam a afetar nossa vida a ponto de não nos deixar seguir em frente, já está na hora de buscar ajuda de um psicanalista.

Hoje em dia, fala-se muito em trazer significados novos para coisas da sua vida com o objetivo de ser feliz.

Se você não está bem com a sua casa, seja por não te agradar esteticamente ou não ter o tamanho ideal, é preciso trazer um novo significado para ela. Isso para você viver feliz enquanto não pode sair de lá.

Então, comece a pensar na sua casa como proteção para começar. Sempre agradeça por ter um lugar para dormir e pela segurança e conforto que ela te dá.

Com os traumas, o psicanalista irá fazer algo similar: te ajudar a ressignificar eventos do passado para que você conviva com eles com mais tranquilidade.

Aquele ser inocente que sofreu não existe mais. O adulto cresce, vive coisas novas, adquire novas experiências e conhecimentos.

É muito difícil desapegar do passado, mas o psicanalista tem capacidade de te ajudar a descobrir novos caminhos para sua vida. Assim, você pode desprender a sua energia para coisas positivas na sua vida. Isso em vez de reviver os traumas que te abalaram tanto.

Conclusão

Agora que você já sabe como identificar pessoas que têm trauma, comente se você já teve alguma experiência traumática. Conseguiu vencer? De que maneira a psicanálise te ajudou a lidar com esse problema?

Caso queira saber mais informações sobre como a Psicanálise pode auxiliar no tratamento de traumas, confira nosso curso! Você aproveitará muito o conteúdo e poderá auxiliar muitas pessoas dentro de sua esfera de influência!

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *