pistantrofobia

O que é pistantrofobia? Significado em Psicologia

Posted on Posted in Fobias, Psicanálise

A confiança é um objeto bastante delicado dentro dos relacionamentos, de maneira que seja difícil e até impossível de restaurá-la se quebrada. Em alguns casos, isso gera uma fobia tão grande que acaba por prejudicar o desenvolvimento de novas relações. Entenda o que é pistantrofobia, como te afeta e o que fazer para contorná-la.

O que é pistantrofobia?

A pistantrofobia designa quadros de fobia intensos e interligados ao ato de confiar nas pessoas novamente. Graças a um trauma do passado, desenvolve-se um medo irracional de reviver uma situação acaba colocando o indivíduo em posição armada e danosa à confiança.

Esse tipo de reação se torna mais comum em términos de relacionamentos ou de uma união que tenha sido bastante relevante. Independente de ser uma relação familiar, amorosa ou fraternal, se o término não é elaborado adequadamente, pode gerar um trauma profundo. E se não há acompanhamento mental, a situação somente piora.

Cabe ressaltar que, assim como qualquer outra fobia existente, o medo possui mecanismos irracionais. Nisso, diversos sintomas físicos podem ser desencadeados diante do estímulo do medo primário. Aqui, claro, nasce o medo de se envolver com uma pessoa e confiar nela novamente.

A abertura do abismo

A confiança dentro do relacionamento é um objeto precioso para as pessoas, só que ainda mais para algumas. Está levantada uma barreira de certa vulnerabilidade, já que se espera que o parceiro haja conforme o esperado. No momento em que a confiança é quebrada, a saúde mental dessa pessoa se dissolve e a torna em pistantrofóbica.

A pistantrofobia pode gerar prejuízos gravíssimos ao indivíduo e impedir que tenha uma vida mais sadia que antes. A  título de exemplo, a doença pode levá-lo ao isolamento social, onde uma única pessoa tornou todas as outras em criminosos sem culpa. Embora muitos não gostem, o convívio social com semelhantes colaboram com a nossa saúde.

Ao fim, ele limita a sua própria vida e reduz drasticamente a qualidade dela em seu caminho. Obviamente, retomar a vida afetiva se torna um desafio pesado demais.

Sintomas

Como dito linhas acima, diante do estímulo, o indivíduo demonstra sintomas de sua condição. Apenas a ideia de confiar no outro novamente impacta profundamente em sua psique e colabora a geração de novos traumas. Entre eles:

Estresse

O estresse passa a fazer parte de sua rotina sempre que o medo de sua vida é colocado em jogo. Isso acaba por torná-la uma pessoa pouca sadia, sempre tensa e com os nervos à flor da pele. Ademais, isso impacta diretamente em qualquer relacionamento que tenha, seja apenas superficialmente ou mesmo de trabalho.

Tensões físicas

Consequente ao estresse, tensões físicas podem surgir pelo corpo e comprometer a sua saúde. Especialmente:

  • dores musculares,
  • cansaço físico,
  • e até a taquicardia em casos mais graves.

Gradualmente, esse indivíduo desenvolve doenças ocasionadas por seu estado mental e emocional, o afastando mais ainda do convívio social.

Fugas

Em qualquer tentativa de aproximação mais profunda o pistantrofóbico vai fugir imediatamente. O mesmo não sente a devida segurança para retomar qualquer contato mais pessoal e emotivo. Por causa disso que sempre evitará se encontrar e se expor dessa forma.

Indícios da pistantrofobia

Os efeitos da pistantrofobia são mais comumente direcionados aos casais por conta da relação que cultivam. Em muitos casos, dada à intensificação dos sintomas, muitas pessoas só conseguem manter relações superficiais. Alguns dos sinais envolvendo a ausência de confiança são:

Leia Também:  Que matérias estudar para ser Psicanalista?

Medo de relações mais profundas

Caso se quer imagine neste caminho, um pavor vai tomar conta dessa pessoa. Tudo acontece porque existe um medo incontrolável de ser traído novamente. Não apenas isso, mas que também ele está sendo usado ou que o parceiro tenha algum interesse obscuro na relação.

Evita situações sociais

Qualquer situação que implique em contato social é imediatamente desviada da sua agenda. Isso porque há um medo de receber críticas ou rechaçamento social. Por causa disso que se comporta como se andasse dentro de um escudo protetor.

Pouco empenho em procurar ou manter relações

A não ser que a pessoa tenha uma sintonia perfeita com ela, qualquer pessoa fora disso é evitada ao máximo. Nisso, não se aprofunda em tentativas de se relacionar ou cria qualquer esforço para manter esse contato. Em sua mente, isso significa que não pode correr riscos emocionais.

Em caso de incêndio, aceite

Diante da pistantrofobia, uma das primeiras ações a serem tomadas é aceitar a realidade em que se vive. Relacionamentos são moldados por altos e baixos e saber seguir em frente neles é a chave para viver bem. Apesar dos sentimentos ruins, não há muito a se fazer além de seguir em frente e tentar se recuperar.

Ademais, admitir a parte ruim que viveu em sua vida não significa que deva concordar com ela. Trata-se apenas de reconhecer que não está bem e que se mostra inconformado com o momento. Entenda a nova realidade e trabalhe sabiamente as consequências ruins e boas que o momento trouxe até você.

Antes de tudo, a culpa não é sua

Um ponto bastante comum em algumas pessoas que tiveram a confiança quebrada é a culpa. Isso porque muitas se sentem mal por serem da forma que são, puxando para si a responsabilidade da situação. Contudo, saiba que você não tem qualquer coisa a ver com o caráter do outro e isso pertence unicamente a ele.

Queremos deixar isso bem claro porque esse tipo de reação prejudica também quem não tem ligação com a história. Generalizar a situação pode impedir que você tenha a chance de construir algo verdadeiro com outra pessoa. Ademais, ninguém, muito menos você, tem culpa na postura de um único indivíduo.

A pistantrofobia te leva em uma rota de colisão consigo e sua capacidade de viver adequadamente. De forma pessoal, recomendamos que procure ajuda especializada para colaborar nesse retorno. Acredite, há pessoas lá fora que torcem por você, mas isso vai depender de como você quer levar sua vida agora.

O tratamento do problema

Assim como em qualquer outra fobia, a pistantrofobia precisa de um acompanhamento psicológico urgentemente. Dessa forma o indivíduo vai elaborar toda a situação envolvendo o trauma vivido anteriormente. Nesse caminho, pode restaurar o seu poder de confiar e criar requisitos básicos que o protejam de problemas quanto a isso.

É preciso que esteja livre de qualquer amarra para que tenha uma qualidade de vida mais sadia e proveitosa. O relacionamento com outras pessoas pode ser algo seguro e tranquilo se assim você quiser e se permitir.

Em alguns casos, a suplementação com remédios pode ser necessária. A fobia, independente da origem, sempre causa ansiedade na pessoa e compromete suas funções emocionais e mentais. Assim, a avaliação psiquiátrica pode ser fundamental para administrar adequadamente a medicação necessária.

Leia Também:  Luto na perda de ente querido: visão psicanalítica

Considerações finais sobre pistantrofobia

A pistantrofobia expõe o medo gigantesco da confiança depositada em outra pessoa pensando na possível traição desta. Graças à ação infeliz de um único indivíduo, todos os outros acabam figurando no salão da ameaça a integridade emocional da vítima. Embora justificável, isso não significa que deva parar sua vida aí.

Compreender a si mesmo possibilita encaixar adequadamente as peças que precisa para conduzir seus relacionamentos. De forma simples, você entenderá suas responsabilidades e que o outro possui as dele, fazendo da individualidade espaço para aprender. Se não fizeram bom uso da confiança, certo, mas evite se prender à situação e deixar sua vida de lado.

Para compreender mais sobre si mesmo, se inscreva em nosso curso de Psicanálise 100% online. As aulas te encaminham a rumo ao autoconhecimento e trazem consciência do seu potencial em qualquer relação. Ainda que não dê certo, a pistantrofobia não será mais um monstro em sua vida se você abraçar seguramente a Psicanálise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 7 =