terapia breve em psicanálise

O que é Psicanálise Breve: resumo, prós e contras

Posted on Posted in Teoria Psicanalítica

O termo psicanálise breve inclui uma ampla gama de técnicas terapêuticas e perspectivas teóricas. Tudo isso vem dos primeiros trabalhos de Sigmund Freud (1856-1939) e de seus colegas.

Por mais de um século, seus princípios psicanalíticos foram uma grande influência no tratamento de problemas mentais e comportamentais. Dessa forma, leia o nosso post para saber mais sobre a psicoterapia breve. Com ele você saberá a origem desse termo, a evolução e as técnicas de tratamento. Confira!

Psicoterapia breve

O interesse pela psicoterapia dinâmica breve floresceu nos últimos anos. As psicoterapias psicodinâmicas tem o objetivo de mudar o comportamento.

Na história, a “psicoterapia breve” e a de longo prazo foram usadas como sinônimos de psicoterapia “de apoio”. No entanto, breve e longo é sobre apenas a duração e não sobre a técnica.

Sendo assim, os limites de tempo da psicoterapia dinâmica breve dão a ela um caráter único. Além disso, a distingue da de longa duração e da psicanálise. Por causa de seus objetivos limitados, o profissional dessa área deve confrontar sua ambição. Bem como qualquer ideal exagerado de estrutura e função de personalidade.

Evolução

Evoluindo da psicanálise em meados do século XX, a psicoterapia breve baseia-se em um princípio, assim como outros tratamentos. Esse princípio é de que significados e experiências passadas desempenham um papel importante no comportamento e na doença.

A psicanálise, hoje em dia, é um procedimento demorado que precisa de vários anos para ser concluído. Porém, a literatura psicanalítica primitiva, incluindo os primeiros casos de Freud, tem histórias de análises curtas bem-sucedidas.

Nos primeiros 30 anos de psicanálise, era incomum que os tratamentos durassem além de 1 ano. Ferenczi foi o primeiro analista a defender o encurtamento da psicanálise. Para ele,  a terapia ativa é mais diretiva e focada. Por outro lado, Rank foi o primeiro a dar um limite de tempo para o tratamento. Portanto, Ferenczi e Rank articularam as vantagens desse tratamento.

Saiba mais

Após a Segunda Guerra Mundial, o interesse por essa área resultou em uma maior demanda por psicoterapia. Além disso, o aumento da pressão para desenvolver tratamentos mais breves ajudou nesse processo. Em meados da década de 1940, Alexander e French defendiam o encurtamento do tratamento. O que diminui, assim, a frequência das sessões para minimizar a regressão.

Desse modo, eles propuseram focar o tratamento no presente e não no passado. Usando conflitos históricos para informar o terapeuta em fornecer a melhor experiência emocional corretiva para a pessoa.

No entanto, vários fatores ajudaram a estimular esforços para encontrar formas mais breves de psicoterapia nos Estados Unidos. Como, por exemplo, a demanda de tratamento de saúde mental e o valor alto para esses cuidados.

Técnicas

A avaliação é muito importante nesse tipo de tratamento, devido à necessidade de uma avaliação rápida e precisa. Em contraste com os tratamentos de longo prazo, a psicoterapia breve não oferece o luxo de tempo para corrigir erros.

Embora, às vezes pensemos que a psicoterapia começa assim que o médico vê a pessoa, trata-se de uma hipérbole. E usa para sublinhar a importância dos elementos interpessoais e transferenciais no encontro inicial com a pessoa. Dessa forma, é muito importante, nesse tipo de tratamento, saber distinguir as entrevistas diagnósticas do tratamento em andamento.

Por isso, as intervenções e procedimentos técnicos feitos durante a fase de avaliação são diferentes dos aspectos dessa psicoterapia. Em geral, pode ter de uma a cinco sessões.

Leia Também:  Neurose e Psicose: Conceito e Diferenças

Tratamento

Como em todos os tratamentos médicos, a psicoterapia breve é para as pessoa e não para as doenças. A capacidade de participar de um breve processo desse tratamento precisa que a pessoa seja capaz de acessar sua vida de fantasia de uma maneira ativa.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Ou seja, com uma mente psicológica, a pessoa deve ser capaz de se levantar e deixar esse processo para trás no fim de uma sessão. E, além disso, que a pessoa não se perca em fantasias ou medos.

    Negociação

    A negociação com a pessoa é uma parte importante para se chegar a uma decisão desse tratamento Pois, a pessoa deve sentir-se parte do tratamento. E não só isso, mas ela deve estar muito comprometida com o processo para ter efeitos positivos.

    No início desse tratamento, é importante estabelecer um limite de tempo para que não tenha abandono no meio das sessões. Em especial, nessa forma de tratamento, em que a pessoa se preocupa com a dependência. O que pode torná-la uma “viciada” no terapeuta.

    Está gostando do nosso post? Então, comente abaixo o que você está achando. E continue lendo para saber mais.

    Medicação

    A medicação usa-se em conjunto com a psicoterapia breve que ajuda na recuperação dos sintomas. O terapeuta deve saber o significado da medicação e seu papel na visão que a pessoa tem de si mesma. Além disso, das forças e vulnerabilidades interpessoais.

    Porém, às vezes, nesse tipo de tratamento também pode servir como alternativa aos remédios para sintomas menos graves ou quando a medicação não é indicada. A medicação pode começar durante essa psicoterapia. E continuar depois que o tratamento terminar e a pessoa seguir as reuniões com menos frequência.

    Portanto, esta sequência tem muitas vantagens, tendo a resolução de fatores de estresse, por exemplo. E não só isso, mas encorajar a adesão à medicação e acompanhamento médico contínuo após a terapia.

    Pontos críticos

    Um dos pontos críticos da psicoterapia breve é quando o tratamento dura mais do que indicado. Nesses pontos, o terapeuta nota uma indefinição crescente dos objetivos do tratamento. Além da diminuição da atividade do terapeuta e o surgimento da transferência como o elemento central. Desse modo, essas variáveis indicam o potencial da psicoterapia durar mais.

    A quarta à sexta hora da terapia semanal de 12 sessões costuma ser um ponto em que uma regressão pode aparecer de forma repentina. Dessa forma, a pessoa, neste momento, está testando os limites do tratamento. Portanto, a ação do terapeuta é necessária para que esse tratamento continue breve.

    Por fim, gostou do nosso post sobre esse assunto tão vasto? Então, temos um convite para você, continue lendo para saber mais.

    Considerações finais

    De modo geral, a terapia breve tem o objetivo de acelerar o processo de mudança E não só isso, mas de ampliar o envolvimento da pessoa e promover sessões desse tratamento que sejam mais focadas.

    Por fim, tenha mais conhecimentos sobre psicanálise breve sabendo sobre o nosso curso de psicanálise clínica. Com ele, você se tornará um profissional preparado para entrar nesse mercado de trabalho, sem sair de casa. Além disso, o curso é 100% online e você terá ótimos professores para te ajudar. Então, não perca tempo! Inscreva-se já e comece ainda hoje mesmo.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *