teoria psicanalítica

Psicanalítica: conceito, teoria e terapia

Posted on Posted in Conceitos e Significados, Filosofia e Psicanálise, Formação em Psicanálise, Profissões e Psicanálise

A terapia psicanalítica se caracteriza, entre outras coisas, por se adaptar às circunstâncias sem seguir uma lógica muito rígida.

Isso porque, na visão teórica a partir da qual se inicia a psicanálise, cada paciente vive uma forma única de desconforto a partir de suas experiências passadas e que fazem parte de sua identidade como pessoa.

No entanto, é possível resumir o que é processo terapêutico observando as principais fases da terapia psicanalítica a partir das obras de Sigmund Freud e seus seguidores.

Definição

A teoria psicanalítica de Sigmund Freud nos diz que a personalidade humana é o resultado de três estruturas diferentes, mas fundamentais: o id, o ego e o superego.

Essa teoria se concentra nos níveis de consciência combinados com nossas experiências na primeira infância que, juntos, podem formar a base de certos transtornos mentais. Muitos psicoterapeutas modernos não usam mais esse método centenário pois juntos eles têm muitas falhas.

O que é teoria psicanalítica?

A teoria psicanalítica de Freud explica a personalidade humana como uma série de estágios que se formam por meio de conflitos internos. Portanto, é uma teoria muito difícil de provar ou negar.

Freud criou uma teoria de que os conflitos sem consciência ocorrem entre os componentes da mente humana, como já falamos: o id, o ego e o superego. Nossos níveis de consciência – em suas palavras, consciência, pré-consciência e inconsciência – também interferem nesses três componentes.

Desse modo, como a maior parte da pesquisa de Freud foi no campo da histeria, bem como no que agora chamamos de estresse pós-traumático, essa teoria não se aplica a todos da mesma maneira.

Saiba mais

Como teoria, a psicanálise tem um lugar na psicoterapia atual, mas agora é vista apenas como verdades parciais. Freud viu como os transtornos emocionais podem causar sintomas físicos e, dessa forma, viu também que falar sobre as pistas psicológicas para esses sintomas muitas vezes ajudam a reduzir eles.

Níveis de Consciência

Os estágios e componentes dessa teoria também dependem de quão conscientes ou cientes estamos em um determinado momento. Assim, Freud dividiu a percepção humana nos princípios do pensamento: consciente, inconsciente e pré-consciente.

O pensamento consciente é o que você pensa ao ler este artigo. Você está ciente do que está lendo, entende as palavras; o tópico da teoria psicanalítica está na vanguarda de sua mente.

Ao mesmo tempo, você pode ouvir música ou ouvir alguém falando ao telefone na sala ao lado. Ao ler este artigo, você também pode estar planejando o que vai fazer para o jantar. Portanto, seja na frente ou no fundo de sua mente, todos esses são exemplos de pensamentos conscientes.

ID

Como falamos, de acordo com Freud, nossas mentes são o resultado de três componentes centrais chamados id, ego e superego. Tudo isso faz com que a gente se comporte de maneira semelhante e como pessoas.

O id é o mais básico desses componentes e descreve as respostas do instinto. Ou seja, cada parte da personalidade no nascimento é composta do id.

Dessa forma, este é o impulso que mantém a espécie humana viva e responde as nossas necessidades. Portanto, ID é a força motriz de nossa personalidade. Sem ele, não iríamos sobreviver.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Ego

    À medida que a gente envelhece, aprendemos mais sobre o mundo ao nosso redor. Enquanto um bebê grita até ser alimentado, uma criança pode aprender que essa necessidade vai ser atendida quando for lavada e vestida, por exemplo.

    Leia Também:  Terapia psicanalítica: como funciona?

    O ego opera de acordo com o princípio de realidade e ocorre por meio de compromisso. A linha entre id e ego está borrada, desse modo, este último tem a capacidade de regular o primeiro.

    Superego

    O superego da teoria psicanalítica de Freud está no centro da consciência. Essa consciência é o resultado do comportamento aprendido que evolui por meio da influência das pessoas ao nosso redor.

    Alguém que foi educado para acreditar que roubar é errado não vai roubar, mesmo que tenha a certeza de que ninguém vai se machucar. Ou seja, todos os sistemas de crenças e culturas humanas dependem da capacidade do superego humano, desde a lei religiosa até as escolhas pessoais.

    Portanto, para a maioria de nós, os pais são a fonte inicial para desenvolver o superego. À medida que sua influência diminui, a responsabilidade é passada para professores, colegas e amigos. O superego de uma criança é quase sempre igual ao de seus pais.

    O iceberg da teoria psicanalítica

    Sigmund Freud comparou sua teoria psicanalítica a um iceberg, onde a maioria de nossos pensamentos está oculta. Desse modo, a ponta do iceberg representa o pensamento consciente.

    Logo abaixo da linha d’água, o pré-consciente é visível. Em um nível mais profundo, escondido da vista, está a mente inconsciente.

    O id é parte disso e poucas vezes temos consciência do efeito que esses pensamentos têm em nosso comportamento. O ego se estende entre a ponta do iceberg e logo abaixo de sua superfície. Desse modo, o superego abrange todo o iceberg e é composto pelos três tipos de consciência.

    Estágios da teoria psicanalítica

    De acordo com Freud, os estágios da teoria psicanalítica sexual são formados ao longo da infância e na idade adulta jovem. Ele chamou isso de estágios psicossexuais de desenvolvimento, sendo eles:

    • Oral; nascimento até um ano; a libido está centrada na boca; leva a chupar o dedo, fumar, roer as unhas e outros comportamentos orais quando estressado; período de id.
    • Anal; um a três anos; a libido está centrada no ânus (defecação); métodos de adestramento podem causar arrumação obsessiva, teimosia, palavrões e atitude da pessoa para com a autoridade; período do ego.
    • Fálico; três a seis anos; a libido está centrada nos genitais; leva à atração erótica, ciúme, medo da rejeição; Período do complexo de Édipo.
    • Latência; seis anos até a puberdade; o período dormente leva à canalização da energia sexual para estudos, amigos e passatempos; período do ego e do superego.
    • Genital; puberdade para adulto; a libido está centrada no prazer sexual compartilhado e não no egoísmo (estágio fálico); encontrar o parceiro certo ou perversões sexuais; período do superego.

    Considerações finais

    A psicoterapia psicanalítica é uma forma de terapia baseada nos princípios e na teoria da psicanálise. Como tratamento, ela se esforça para iluminar os conflitos e crenças inconscientes que contribuem para o sofrimento emocional e impasses na vida.

    Desse modo, a psicoterapia psicanalítica contribui para uma autocompreensão e percepção das dificuldades que enfrentamos.

    Os psicoterapeutas psicanalíticos podem ser úteis para pessoas que desejam se conhecer melhor ou esperam ter mais sucesso em áreas de suas vidas, como: amor, trabalho, relacionamentos ou paternidade. Por isso, venha fazer parte do nosso curso online de psicanálise clínica e se beneficie.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *