psicobióticos

Psicobióticos: o que são, seus tipos e indicações

Posted on Posted in Uncategorized

Você já ouviu falar sobre a ligação entre nosso cérebro e o intestino? Ela é muito importante para ser ignorada e o conceito de psicobióticos ajudará você a entender uma extensão dessa conexão. Confira!

Para começo de conversa, o que é psicobiótico?

Para explicar o que são os psicobióticos, é importante explorar um pouco mais o que ficou conhecido como o “eixo cérebro-intestino”. 

Não precisamos ser muito técnicos. Você já deve ter reparado que, ao passar por fortes emoções, sente alguns sintomas que afetam a região do seu ventre.

Algumas pessoas, quando ficam muito ansiosas, podem sentir fisgadas na região abdominal. Ademais, outras, quando estressadas demais, sentem vontade de ir ao banheiro ou um forte embrulho no estômago.

A via de mão dupla entre cérebro e intestino

Nesse contexto, o que fica evidente é que há uma relação entre a maneira como processamos emoções e informações que se manifesta no intestino.

Além disso, há que se considerar a expressiva quantidade de micro-organismos que habitam o intestino dos seres humanos. Esse conjunto de seres, a que chamamos a que chamamos de microbiota intestinal, é um dos responsáveis pelo bom funcionamento do intestino. 

Mais que isso, esses micro-organismos são capazes de afetar a nossa pele e nossas emoções.

Portanto, o que observamos de fato é uma via de mão dupla entre o cérebro e o intestino pelo menos no que diz respeito às emoções. Assim sendo, aqui é que o conceito de psicobióticos se insere! 

Definição de psicobióticos

Considerando o fato de que certos micro-organismos afetam positivamente o sistema nervoso central, contribuindo com o alívio de sintomas de estresse, ansiedade e depressão, psiquiatras podem receitar suplementos ricos em bactérias.

A ideia parece contraintuitiva considerando que muitas bactérias fazem mal para a saúde dos seres humanos. No entanto, aqui vale lembrar que o nosso intestino já é um ecossistema que conta com várias delas que são importantes. 

Assim sendo, tenha em mente que os suplementos que um psiquiatra receitará contarão com bactérias que farão bem para o seu corpo e suas emoções.

Quais são os tipos de psicobióticos mais relevantes?

Falando em psicobióticos comumente receitados a fim de controlar sintomas de ansiedade, estresse e depressão, listamos alguns abaixo junto com seus principais benefícios:

  • Lactobacillus acidophilus para normalizar a flora intestinal,
  • Lactobacillus plantarum para  manter a saúde do intestino,
  • Bifidobacterium bifidum para o equilíbrio da flora intestinal,
  • Lactobacillus reuteri para o combate de infecções,
  • Lactobacillus paracasei para fortalecimento de imunidade, 
  • Bifidobacterium longum para o melhor funcionamento do sistema digestivo,
  • Lactobacillus helveticus para o controle da pressão arterial,
  • Lactobacillus rhamnosus para a resistência à acidez estomacal.

Vale lembrar que falamos apenas dos principais benefícios de cada um dos psicobióticos acima. Contudo, eles atuam de várias maneiras no corpo.

Onde encontro psicobióticos?

Levando em consideração o que você leu até aqui, é possível que você já esteja com vontade de encontrar psicobióticos para cuidar de alguns sintomas indesejáveis.

Não é difícil. Você poderá comprá-los tanto em farmácias quanto em lojas que vendem itens do cotidiano presencialmente e online. No entanto, será que você vai saber escolher um produto que fará bem para seu intestino, cérebro e emoções?

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Lembre-se que a recomendação do tratamento com esse tipo de medicação quem faz é o psiquiatra. Assim sendo, continue a leitura para saber o porquê.

    A diferença entre o tratamento caseiro e com prescrição médica

    O tratamento caseiro se dá na ausência de um conhecimento preciso do que o seu corpo precisa. 

    Como dissemos mais acima, existe uma grande variedade de psicobióticos para diferentes propósitos. A escolha de qual deles fará parte da sua suplementação, portanto, não é trivial.

    Leia Também:  O que é Psicoterapia Psicanalítica

    Assim sendo, não subestime o papel de um profissional da saúde na prescrição. Antes de receitar o tratamento, o psiquiatra pedirá exames e analisará as condições do seu cérebro e do seu corpo.  

    Dessa forma, só então, ele verificará se essa é a melhor solução para sintomas que afetem o seu bem-estar.  

    5 dicas para quem deseja começar a usar psicobióticos:

    Pensando que muitos leitores provavelmente desejarão realizar a suplementação com psicobióticos, preparamos uma lista com 5 orientações precisas para que você o faça com segurança!

    1 – Não comece a usá-los por conta própria

    Já comentamos isso mais acima, mas não custa nada reforçar: o tratamento com psicobióticos será efetivo e benéfico para o seu corpo se um médico fizer essa prescrição. 

    2 – Encontre um profissional nutricionista de sua confiança

    Além de verificar a necessidade de realizar esse tipo de suplementação, não deixe de checar outras necessidades que o seu corpo pode apresentar. Assim, além de se consultar com um psiquiatra ou um endocrinologista, também faça visitas regulares ao nutricionista.

    3 – Preze por uma alimentação balanceada e nutritiva

    Quando você consultar um nutricionista pela primeira vez, você receberá em breve a orientação de realizar alguns exames que indicarão de que seu corpo precisa em termos de nutrientes.

    Ademais, você receberá sugestões de planos alimentares para seguir. Caso exista a necessidade de melhorar a flora intestinal, regulando o ecossistema da região, seu nutricionista também pode indicar uma suplementação com psicobióticos.

    Porém, não adianta tentar burlar a consulta com o psiquiatra indo ao nutricionista. Os propósitos das prescrições destes profissionais são distintos. 

    Enquanto um avaliará a necessidade de incluir psicobióticos na alimentação para combater estressores, o outro o fará com o objetivo de trazer equilíbrio para o seu corpo.

    4 – Se dedique à atividade física

    Uma outra recomendação simples é a de movimentar seu corpo com regularidade em atividades físicas. De modo geral, o exercício físico afeta positivamente o corpo, o que também inclui a microbiota intestinal. 

    Para isso, não é necessário virar um corredor olímpico de um dia para o outro. Que tal começar a se movimentar fazendo caminhadas breves no seu bairro? Comprar uma esteira ou uma bicicleta ergométrica para se exercitar em casa também é uma saída interessante.

    Ademais, há modalidades de treino de força e ioga que dá para fazer sem equipamentos e em casa. Assim, não é necessário se preocupar com o custo de materiais para se exercitar.

    5 – Tenha paciência para aguardar os resultados que espera 

    Por fim, caso esteja interessado mesmo em tratar problemas emocionais com psicobióticos, tenha paciência. Os resultados não aparecerão logo depois de você ingerir o primeiro comprimido. 

    Na verdade, esse tipo de tratamento demora um pouco mais para que as pessoas sintam mudanças expressivas de humor. Portanto, uma vez que tenha recebido o aval para começar, mantenha a disciplina na suplementação e aguarde.

    Considerações finais sobre o uso de psicobióticos

    No artigo de hoje, você leu a respeito de como funcionam os psicobióticos no corpo humano.

    Quando o uso vem acompanhado de recomendação médica, ocorre um monitoramento e há paciência, o equilíbrio da flora intestinal traz benefícios para o campo emocional.

    Caso tenha gostado dessa leitura sobre psicobióticos, saiba que no blog temos outros textos sobre tratamentos alternativos para doenças como estresse e ansiedade. Ademais, estamos com vagas abertas para o nosso curso de psicanálise 100% online. Confira!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *