O que é psicologia reversa?

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Nem sempre uma pessoa pode obter o que quer e isso pode ser culpa da abordagem que esta utiliza. É preciso trabalhar a inteligência e construir caminhos por meio de uma situação aparentemente ruim e chegar num resultado positivo. Assim sendo, descubra o que é Psicologia reversa e como aplicá-la em sua vida.

O que é Psicologia reversa?

Psicologia reversa é um técnica utilizada para se conseguir algo por meio de uma sugestão dúbia. Basicamente, você constrói uma situação de paradoxo a fim de obter um resultado ao qual almeja. Em geral, para se obter um resultado positivo, é feito uma sugestão negativa sobre o assunto. O mesmo ocorre quando o contrário é almejado, se valendo de uma sugestão positiva para conseguir resultado negativo.

Essa estratégia acaba movendo uma pessoa numa direção contrária à qual ela pretendia inicialmente. A ideia aqui é efetuar o comando inverso para influenciar na decisão final de alguém e obter um benefício pessoal. É mais comum o seu uso na publicidade, já que é necessário vender algo aos compradores. Com a estratégia correta, o resultado positivo é garantido.

Cabe ressaltar que cada indivíduo é único e carrega uma forma pessoal de ceder e dizer “sim”. Dessa forma, algumas se adaptarão melhor a pedidos diretos para fazer algo. Contudo, nem todos reagem dessa forma, se mostrando mais autoritários e resistentes. Assim, a Psicologia reversa pode intervir positivamente nesse grupo.

Técnicas

Como dito acima, cada indivíduo é único e responde de determinada forma a um estímulo. Com isso, é preciso se atentar aos caminhos pelos quais a Psicologia reversa percorrerá. Abaixo está uma lista com técnicas para convencer alguém a executar uma ação:

Apelar à identidade

Esse recurso é utilizado quando você conhece um pouco da pessoa que tenta persuadir. Com isso, você se valerá de um padrão oposto ao dela. Isso fará com que execute um pedido sem que você use uma ordem diretamente. As palavras “Eu aposto que você…” conduzem perfeitamente essa ação.

Autonomia

Aqui, você reforça que a decisão deve partir unicamente da pessoa, porém contrapor com os benefícios do que você quer. Por exemplo, “Não posso fazer a compra de nosso curso de Psicanálise por você, embora ele seja bastante eficaz e acessível”.

Comando negativo

Essa técnica se vale da palavra “Não” para conseguir o efeito desejado. O “não” funciona como elemento suavizador, mas que força o cérebro a fazer uma representação do pedido feito. Por exemplo, “Não pense na cor azul”. Certamente, você deve ter imaginado ela.

Autoridade externa

A ideia aqui é induzir alguém a algo com base numa opinião de uma autoridade, fazendo com que esse efetue o contrário. Por exemplo, você chegar a um grupo de jovens, se dizendo especialista, e afirmando que eles não podem empreender. Ao ouvir isso, certamente eles farão o contrário e se darão bem sendo empreendedores.

Debates e caminhos

Estudiosos defendem que a Psicologia reversa é uma ferramenta difícil de ser trabalhada com exatidão no ambiente físico e experimental. Isso porque não dá para montar um padrão específico de como e quando ela funciona ou não. Ainda assim, eles indicam que alguns fatores influenciam diretamente nos resultados, como:

Objeto o mais atraente possível

Há uma garantia maior de sucesso na persuasão quando o objeto em questão for muito atraente. Com isso, quanto mais chamativo for um objeto, mais chances a pessoa tem de acatar o pedido. A ideia é supervalorizar o objeto restringido a fim de se obter um maior efeito psicológico em quem se direciona.

As ameaças

Ameaças ou eventos contrários que se conectem a algum tipo de decisão acabam retardando ações. Ainda que não faça sentido, isso acaba por deixar as pessoas mais rebeldes às suas sugestões.

Falta de liberdade

É comprovado que a privação da liberdade funciona como um forte retardante psicológico. Com isso, quando se priva alguém de escolhas, o mesmo demora mais para reagir da forma que se espera. Quando se pensa em se obter algo, é preciso abrir um leque, ainda que direcione a determinado ponto.

Por exemplo, se disser a uma criança que não pode brincar, ela fará o contrário. A mesma concluirá que teve sua liberdade negada e brincará apenas por desafio aos pais.

Exemplos

Para entender melhor como funciona a Psicologia reversa, observe os exemplos abaixo. Ainda que a mensagem seja clara para uma direção, conseguimos conduzir um indivíduo a uma rota contrária. Com isso, fica mais fácil executar nossa atividades e escolhas. Observe:

Leia Também:  Autoaceitação: 7 passos para você se aceitar

Vendas

A propaganda necessita de ações específicas para se chegar até o cliente e efetuar a venda. Por exemplo, “não entre aqui e descubra nosso segredo” costuma atiçar alguém a algo. Note que a frase instiga a curiosidade das pessoas, já que se perguntarão o que tem ali de especial. Naturalmente, muitas delas chegarão até a loja para descobrir o segredo.

Trabalho

Seja na escola ou no ambiente laboral, é possível mudar a conduta de alguém de acordo com a nossa necessidade. Por exemplo, o faça acreditar que duvidam do potencial dele ali dentro. Por exemplo, “Aposto que não consegue fazer isso” costuma ser um bom começo. Para provar o seu valor e capacidade, o mesmo tomará medidas e mostrará o contrário.

Quando usá-la a seu favor

A Psicologia reversa tem seu uso mais indicado a quem tem reatância psicológica exacerbada. Em suma, são aquelas pessoas que não aceitam fazer o que pedem, o famoso “do contra“. Elas acreditam que a sua liberdade está em jogo quando recebem uma ordem. Com isso, se valer da Psicologia reversa costuma trazer bons resultados aqui.

À medida em que essa reatância se torna extrema, percebemos isso em atos ilícitos que a pessoa comete. No fundo, ela quer apenas proteger e afirmar a sua liberdade de direito. Sabendo disso, agir de forma que esta não se sinta ameaçada costuma dar certo.

Considerações finais: Psicologia reversa

A Psicologia reversa costuma ser uma ferramenta eficaz para se vender qualquer ideia. O intuito aqui é fazer o indivíduo caminhar numa direção sem que este perceba e faça isso voluntariamente. Com isso, conseguimos aquilo o que queremos, sem causar desconforto ou prejuízo a qualquer um.

Caso a sua rotina se encaixe e necessite disso, é uma boa ideia implementar algumas técnicas em suas interações. Estude as pessoas, sua natureza e o ambiente ao qual estão acostumadas a interagir. A partir disso, pode montar um plano de ação eficaz e persuasivo.

E para avaliar melhor o comportamento desse grupo, faça o nosso curso 100% EAD de Psicanálise. Com a intervenção dele em sua vida, você cria condições únicas para estudar o comportamento alheio com mais profundidade. Dessa forma, tem mais entendimento das motivações e direcionamentos dessas pessoas.

O curso é totalmente online, possibilitando o acesso de qualquer pessoa em qualquer região. Contanto que tenha um computador acessível à internet, pode estudar quando e onde achar mais conveniente. Independente da hora, nossos professores te ajudarão a explorar o rico material das apostilas. O acompanhamento deles garantirá que alcance o seu potencial pleno ao aprendizado.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


Encontre a chave de mudança em sua vida. Descubra nosso curso de Psicanálise e aprenda vários conteúdos com aplicação direta na esfera pessoal e profissional, assim como a Psicologia reversa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =