Relacionamento abusivo: conceito e o que fazer?

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

O tema relacionamento abusivo vem a cada dia tomando mais força. Seja em posts na internet, seja em conversas formais e informais.

Não é raro sermos bombardeados por notícias assoladoras sobre mulheres que foram assassinadas por parceiros ou ex-parceiros, por exemplo. Assim, mesmo nos casos em que não há morte, o relacionamento pode deixar marcas profundas em suas vítimas.

No entanto, somos levados a pensar que um relacionamento abusivo se dá apenas em namoros ou casamentos. Provavelmente você já pensou assim, não é? Contudo, o relacionamento abusivo ocorre em ambientes de trabalho, ambientes familiares e amizades também.

O conceito de relacionamento abusivo

O conceito mais aceito para definir relacionamento abusivo é aquele em que duas pessoas se relacionam, mas há excesso de poder. Dessa forma, uma subjuga a outra. 

Nesses relacionamentos há um registro de frequente violência. No entanto, essa violência não é apenas física, mas também moral, psicológica, sexual e patrimonial. Mais abaixo comentaremos cada um desses tipos de violência.

Por hora, é preciso salientar que em um relacionamento abusivo todas as violências são possíveis, ainda que nem sempre ocorram. Assim, em alguns casos há ocorrência de apenas uma violência, em outros mais de uma, em outros se observa tudo.

No entanto, cabe dizer que para um relacionamento ser caracterizado como abusivo, os comportamentos violentos devem ser recorrentes. Além disso, eles vão aumentando de intensidade.

O relacionamento abusivo também é comumente chamado de relacionamento tóxico. Esse termo tem força, pois a vítima, ou seja, quem sofre com o relacionamento, se torna doente. Assim, a pessoa não acredita mais em si mesma e não consegue viver sem o outro. Ademais, não enxerga, muitas vezes, que este relacionamento a fere.

Relacionamento abusivo para além do namoro e do casamento

Como dissemos, o relacionamento abusivo pode ocorrer em outros relacionamentos. Mesmo que hoje o que mais está em pauta seja o relacionamento abusivo entre casais, há mais que isso para discutir. Dentre os ambientes onde isso pode acontecer, podemos destacar o ambiente de trabalho, familiar e amizades.

Ambiente de trabalho:

Nesse caso, o relacionamento abusivo acontece, geralmente, em relações de hierarquia. Isso quer dizer que os comportamentos ocorrem entre superiores e seus supervisionados. Assim, ocorre sempre que o superior busca humilhar, diminuir e contrariar o subordinado.

Dessa forma, diz que este não é capaz, ou coloca defeito em tudo que faz. Há exigências maiores e inalcançáveis constantemente postas sobre esse, e que não são colocadas sobre os outros. Parece uma tentativa contínua de fazer o outro errar.

Ambiente Familiar:

São situações como as em que os pais fazem o filho se sentir menor ou menos amado até cumprir exigências pontuais deles. Por exemplo, quando os pais dizem que o filho será menos amado ou respeitado por não seguir uma determinada profissão, estão cometendo um abuso. É o que também se observa quando o filho é rejeitado por não continuar com os negócios da família.

Assim, nem todo pai abusador é aquele que abusa sexualmente.

Nas amizades:

Dentro das relações de amizade, o relacionamento abusivo pode ser visto quando um amigo passa a ignorar o outro. Por outro lado, ocorre quando um tenta sempre inferiorizar o outro. Nessa relação, há sempre a necessidade do outro se mostrar melhor, de modo a fazer com que a vítima só seja feliz se o tiver ao lado.

Dessa forma, fica evidente que o conceito é aplicável em toda relação em que uma pessoa busca exercer poder excessivo sob a outra. Há uma busca pela inferiorização e dominância, deixando o outro à mercê da sua existência.

Como reconhecer um relacionamento em que há abuso

Como dissemos antes, há vários tipos de violência. É preciso entender como elas são definidas para que a pessoa consiga enxergar se está sofrendo com isso. A seguir temos uma breve definição delas:

Violência Física:

É o uso intencional de força física para ferir o outro. Pode causar hematomas, quebra de ossos, perfurações e causa dor. Pode ser causada pelas mãos ou com instrumentos, como faça, pedaço de madeira, etc.

Violência Moral:

A violência moral ocorre quando uma pessoa produz calúnia, injuria e difamação sobre a outra. Sempre há a intenção de diminuir e provocar rejeição social da pessoa por um grupo.

Violência Psicológica:

São agressões emocionais. Trata-se do momento em que uma pessoa ameaça, rejeita, descrimina, humilha, faz piadas com a intenção de ferir o outro.



Violência Sexual:

É quando, através de coerção, investidas, ameaças, comentários se tenta obter sexo indesejado com alguém. Todas as vezes em que uma pessoa é obrigada, independente da forma, a fazer sexo mesmo não querendo configura-se um caso de violência sexual. Essa violência se dá, também, quando uma pessoa em estado de vulnerabilidade é abusada.

Leia Também:  Curso de Psicanálise: 5 melhores no Brasil e mundo

Violência Patrimonial:

Se considera violência patrimonial a retenção de qualquer documento, bens, dinheiro, pertences, direitos e recursos econômicos por uma das partes. Ou seja, quando uma das pessoas detém o que é do outro para o manter prisioneiro do relacionamento.

A partir disso, listamos alguns sinais que caracterizam um relacionamento abusivo.

Monitoramento constantes:

A pessoa não pode fazer nada sem antes comunicar ao outro. Redes sociais sempre vigiadas. Ciúme exagerado e cobranças intensas.

Superioridade de um dos parceiros:

Um sempre tenta humilhar, diminuir, inferiorizar o companheiro. Assim, há uma necessidade de dizer que o outro não é ninguém sem ele, de modo que nunca encontrará alguém melhor. Muitas vezes faz o outro se sentir como uma pessoa louca e que começa a duvidar dela mesma.

Egoísmo:

Nessa situação, a pessoa faz o outro acreditar que só ela importa. Assim, apenas os sentimentos dela devem ser considerados e só ela possui problemas reais. Além disso, só os desejos dela devem se realizar, com isso, você precisa mudar seus hábitos e se regular ao outro. Dessa firma, fica claro que vida dele importa . Assim, é você que precisa se encaixar.

Traições:

Neste caso, observam-se traições frequentes, além da tentativa frequente de justificar os próprios atos.

Uso da pena para continuar:

Aqui há a promoção de compaixão para manter o relacionamento. Ou seja, sempre a pessoa apresenta algo que faz o outro tratá-la como uma coitada e continuar com ela. Ademais, essa pena pode ser provocada por o outro usar drogas, sofrer de problemas psicológicos, diferenças sociais.

A pessoa sempre usa dessa vulnerabilidade para justificar seu comportamento, que muitas vezes é violento. Além disso, quer manter o indivíduo em questão por perto.

Como agir diante de um parceiro abusivo

Você pode estar sofrendo um relacionamento abusivo, ou conhecer alguém nessa situação. Em todos os casos é importante pedir ajuda e oferecer ajuda. Nesse contexto, a Psicanálise auxilia tanto a vítima quando os agressores, no sentido de que busca-se compreender a razão do comportamento. Caso se interesse pelo assunto, confira nosso curso de Psicanálise Clínica online. Ele pode ajudar a entender muito mais sobre o ser humano!

O que temos claro é que o agressor busca atacar o emocional da vítima para deixá-la em baixo do seu poder.Assim sendo, é importante que ao se identificar um relacionamento abusivo a vítima busque fortalecer seu emocional. Esse fortalecimento pode ser com a ajuda de profissionais, amigos e, até, sozinho.

No entanto, a pessoa precisa buscar aumentar sua autoestima, seu valor pessoal. A partir do momento em que acreditar em si, verá que não precisa se submeter a um relacionamento que a faz se sentir menor.

Só com o reconhecimento de si novamente como pessoa capaz, inteligente e amada, a pessoa pode dar um basta neste tipo de relacionamento.

É um processo. É importante, quando se está na posição de amigo, ouvir, ajudar, instruir, mostrar compaixão e incentivar a pessoa no processo.

Ninguém está sozinho

É importante salientar que não se deve julgar o outro e a si mesmo. Quando a pessoa sofre violência dentro de um relacionamento abusivo ela nunca é a culpada, mas a vítima. E nunca é fácil sair dessa situação. Mas a pessoa não está sozinha. Hoje existem redes de apoio as vítimas na internet e ambientes físicos. A grupos de apoio psicológicos para as vítimas.

Caso você se encontra nessa situação, denuncie, busque ajuda naqueles que são seus amigos, que te querem bem. Você não está sozinho, mesmo que a vida pareça solitária.

Ademais, lembre-se: um relacionamento abusivo não é só entre casais, ou casais do mesmo sexo. Se você se sente ferido de alguma forma, que você deixou de ser você mesmo, fique alerta. Você é importante e vai ficar tudo bem.

Foi útil para você? Curta, Comente e Compartilhe!

One thought on “Relacionamento abusivo: conceito e o que fazer?

  1. Vejo nos atendimentos, tantas pessoas vivenciando um relacionamento abusivo, infelizmente .
    E às suas consequências são os traumas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 18 =