resumo-de-psicanalise

Resumo sobre a Psicanálise: saiba tudo!

Posted on Posted in Psicanálise, Teoria Psicanalítica

Você conhece tudo sobre a teoria psicanalítica? Sabe quem a fundou e quais seus preceitos? Não? Este artigo veio para introduzi-lo ao tema, que é tão importante para nós, curiosos sobre a mente humana. Então, nesse artigo, faremos um resumo sobre a psicanálise. O objetivo é que este arquivo sirva como uma verdadeira introdução à psicanálise, a fim de se entender o que é esta ciência ou área de conhecimento.

Em linhas gerais: ela pode ser definida como um método terapêutico criado por Sigmund Freud (1856-1939). Freud foi um médico neurologista, e seu primeiro artigo foi publicado em 1894. Assim, intitulado “As psiconeuroses de defesa”, Freud usou, já neste artigo, termos como análise, análise psíquica, análise psicológica e análise hipnótica.

Quem foi Freud?

Sigmund Freud foi um médico neurologista que, com o passar dos anos e de suas pesquisas, se interessou por algumas áreas da (in)consciência humana, que até então não teriam sido estudadas a fundo. Ele começou seu trabalho utilizando a hipnose, e se aperfeiçoou até chegar à técnica da associação livre. Freud também é conhecido por muitas de suas teorias, como a do complexo de Édipo e a repressão psicológica.

Um Resumo sobre a Psicanálise é um Resumo da teoria de Freud

Seguindo nosso resumo sobre a psicanálise, o método psicanalítico foi uma terapia criada e, primeiramente, empregada em casos de neurose e de psicose. Ademais, Freud também usou seu método para tratar a histeria e, consequentemente, outras doenças psíquicas. Atualmente, a psicanálise é usada para tratar diversas doenças de ordem psíquica. Assim, sendo considerada uma ciência fora da psicologia.

Com relação à sua metodologia, esse método pode ser entendido como embasado na interpretação dos conteúdos inconscientes de palavras, ações e produções imaginárias do paciente. Essa interpretação é realizada pelo psicanalista ou analista, baseando-se nas associações livres e no que se denomina de transferência.

Para se entender melhor, deve-se considerar que Freud dividiu a mente humana em três partes: consciência, pré-consciência e inconsciência. A psicanálise usa, basicamente, o inconsciente, e busca interpretá-lo para tratar das doenças psíquicas. Em um resumo sobre a psicanálise e sobre como ela é compreendida, vemos que ela pode ser dividida em três níveis.

Resumo: os níveis da psicanálise

Para se compreender melhor a psicanálise, deve-se entender que ela se divide em três níveis. Os dois primeiros níveis são parte do método psicanalítico e o terceiro nível é o conjunto de suas teorias.

O primeiro nível é baseado num método de investigação. Método que consiste em evidenciar o significado inconsciente das palavras, das ações e das produções imaginárias do paciente. Essas produções imaginárias podem ser entendidas como os sonhos, as fantasias e os delírios da pessoa. Este método interpretativo baseia-se nas associações livres do paciente, as quais garantem que essa interpretação possa ser validada.

Esse nível é a base do método psicanalítico.

O segundo nível é tipificado por meio do primeiro nível. É um método que se baseia na investigação realizada com o paciente e no que foi especificado por essa investigação. Trata-se de uma interpretação controlada da resistência, da transferência e do desejo.

É a esse nível que está diretamente ligado o tratamento psicanalítico. Ou à denominada análise do paciente, processo pelo qual se busca tratar suas doenças psíquicas.

O terceiro nível é um conjunto de teorias psicanalíticas e psicopatológicas. Por ele, são sistematizados os dados introduzidos pelo método psicanalítico. Freud, para chegar nessa metodologia, abandonou o uso da catarse por meio da hipnose e da sugestão.

Então, Freud passou a fazer uma análise psíquica de seus pacientes buscando ouvi-los, deixando-os falar livremente. E assim, usou um novo termo, do qual se originou o termo psicanálise.

De acordo com a história, esse termo foi primeiramente usado em um artigo sobre etiologia. Freud usou o termo “psycho-analyse”, em francês, idioma no qual foi publicado o artigo. E assim foi dando origem a essa nova ciência. 

O método psicanalítico

Ao compreender a psicanálise como uma área da ciência à parte da psicologia, vê-se que o modelo psicanalítico e o emprego desse termo podem ter mais de um significado. Isto é, pode ser tanto o método terapêutico usado para tratar doenças psíquicas, quanto o procedimento de investigação em que esse método se baseia.

Ademais, ela pode ser entendida como o acúmulo sistemático de conhecimentos sobre a mente humana.

O método psicanalítico é um procedimento para a investigação dos processos mentais. Essa investigação busca pensamentos, sentimentos, emoções, fantasias e sonhos por meio da análise do indivíduo. Esses processos mentais eram, praticamente, inacessíveis de outras formas antes do surgimento da psicanálise e do método psicanalítico.

Leia Também:  Casa de Três Andares: Uma analogia sobre a dinâmica da existência humana

Esse método se baseia na investigação da pessoa, buscando entender o que existe em seu inconsciente. Assim, identificando seus traumas, emoções, recalques, sentimentos, etc. Dessa forma, pode-se usar essa terapia para se tratar neuroses, histeria, psicoses e também doenças ou problemas psíquicos. O método de investigação busca evidenciar o significado inconsciente das palavras, atos e produções imaginárias.

Ao analisarmos a psicanálise e sua repercussão na época em que foi criada, vemos que ela causou muita polêmica. Ela também acabou criando muitas divergências entre os próprios seguidores de Freud, isto é, entre os primeiros psicanalistas. A psicanálise, assim, acabou se dividindo em várias doutrinas diferentes.

Resumo sobre a psicanálise: as diferentes doutrinas psicanalíticas

Freud, assim como os seus seguidores ou primeiros psicanalistas, auxiliou a divulgar a psicanálise para todo o mundo. Entretanto, apesar de, hoje, muitos dos conceitos e teorias da psicanálise fazerem parte de nosso dia a dia, eles levaram muitos anos para serem reconhecidos pela sociedade.

Os primeiros psicanalistas tiveram um grande empenho em divulgar os seus estudos e pesquisas, inclusive entre os médicos da época. Além disso, eles passaram por muitas dificuldades para que a psicanálise fosse considerada como um campo de estudo e acadêmico das ciências humanas.

Segundo a história da psicanálise, houve divergência, inclusive, entre os próprios psicanalistas. Por isso, o surgimento da psicanálise está relacionado a divergências ocorridas entre os primeiros membros do movimento psicanalítico. Entretanto, as causas das divergências na psicanálise tiveram diversas origens, e não apenas de questões surgidas das diferentes opiniões dos primeiros psicanalistas.

Psicanalistas como Melanie Klein, Lacan e a própria filha de Freud, Anna Freud, desenvolveram seus próprios métodos ou doutrinas psicanalistas. De modo geral, entretanto, a psicanálise auxiliou e auxilia a compreender a mente e o comportamento humano.


NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ




Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.


A obra de Freud nos auxiliou a compreender mais sobre o papel do indivíduo na civilização. Assim como de seus seguidores, de seus sucessores e das diferentes doutrinas psicanalistas que hoje existem.

Um chamado ao aprofundamento

Você gostou do conteúdo? Deixe abaixo seu comentário, seu complemento ou algum pedido sobre algum tema de seu interesse! Nós adoramos ler suas contribuições para o pensamento sobre a psicanálise! Quer aprofundar seus conhecimentos sobre essa técnica terapêutica? Então não perca tempo e se inscreva agora no nosso Curso de Formação em Psicanálise Clínica. Com ele, você estará apto a clinicar e a expandir seu autoconhecimento, além de se aprofundar em temáticas teóricas e práticas deste riquíssimo campo do saber.

 

 

 

 

 

One thought on “Resumo sobre a Psicanálise: saiba tudo!

  1. Muito bom! Tenho muito interesse nessa área de conhecimento. É a minha segunda área de mais interesse, a primeira é a filosofia e entendo que a psicanálise como uma consequência da mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + nove =