saudade

O que é saudade para a Psicanálise?

Posted on Posted in Comportamento, Psicanálise

Desde pequenos, somos imbuídos com a semente de carga emocional e isso se desenvolve enquanto crescemos. Devido às nossas experiências, em determinado ponto sentiremos saudade, um sentimento associado com a falta de algo. Veja como ele é visto pela psicanálise e as camadas que o envolvem, tornando-o um objeto de estudo mais complexo.

Conceito de saudade

Saudade é quando sentimos falta de alguém, algum objeto ou uma situação distante que não pode ser alcançada no momento. Seja associada à distância ou ao acabamento dela, temos este sentimento quando queremos reavê-los. Por trás dessa falta, comumente se misturam sensações de alegria, tristeza ou perda pelo ente desejado.

Estudiosos afirmam que a palavra deriva dos termos latinos “solitatis, solitas”, que serviriam para designar a solidão dos portugueses ao chegarem no Brasil. Longe de casa e do que lhe era familiar, os visitantes sentiam a falta do lar e costumes e ansiavam o retorno.

O vocabulário português é bem específico ao se tratar de sensações abstratas, algo que dificilmente vemos em outros idiomas. Saudade pode ser traduzida conforme a necessidade da cultura local, mas não apresenta significado tão completo quanto no nosso idioma. Embora todos os povos a sintam, é considerada a sétima palavra mais difícil de se traduzir.

Do que sentimos saudade?

Em nossas experiências, tentamos focar no que é positivo à nossa saúde por nos fazer bem. Guardamos com carinho lembranças de momentos que foram importantes em nossas vidas e que temos o desejo de resgatar de algum modo, independente do alcance da situação. Podemos sentir falta de:

Pessoas

Nossas relações tem um forte peso no nosso comportamento. Ao cultivarmos com carinho o afeto com outras pessoas, criamos momentos e sensações únicas com as mesmas. Quando esse elo é rompido, seja por distância ou até mesmo pela morte, queremos resgatá-lo para revivermos esses momentos de ternura e alegria.

Amores

Sempre encontraremos alguém que sente falta de um amor antigo. Embora separados, a saudade é motivada pelo elo construído de maneira muito íntima e singular. É algo além da amizade, visto que tudo era absolutamente compartilhado.

Lugares

Além das pessoas, também mantemos relações de afeto com os lugares em que vivemos. Isso se dá pela sensação de conforto e segurança interno, já que reconhecíamos ele como lar. Seja uma casa, um lugar para as férias ou até mesmo o trabalho, essa zona de segurança sempre é um lugar que visitamos constantemente em nossa memória.

Música

Incrivelmente, a música tem a capacidade de guardar momentos em seus ínfimos minutos. Isso porque se faz trilha de momentos agradáveis que desejamos retomar. Contudo, não só pelo momento, mas também pelo prazer de ouvir algo que gostamos é suficiente para sentirmos saudade.

Comida

Assim como a música, nosso paladar também é capaz de gravar registros através da comida. Situações felizes, por vezes, são permeadas por encontros e uma boa refeição. Somos capazes de sentir falta de comer algo para revivermos todas as sensações agradáveis que nos trazem nostalgia.

O mais curioso é que cada alimento carrega uma história diferente. Desse modo, carregamos sensações distintas ao prová-los novamente. Podemos sentir alegria, tristeza ou até um misto de ambos.

Consequências da saudade

Como qualquer outra sensação, a saudade pode ser algo benéfico ou não, dependendo do nível. O apego excessivo ao passado pode gerar marcas em nossa vida e se não for cuidado, pode ter consequências graves. Veja alguns dos transtornos mais comuns causados pelo apego à saudade:

Angústia

Pelo fato de buscar constantemente as coisas que lhe causavam bem-estar, o indivíduo facilmente entra em estado de angústia. Isso se deve ao fato da busca incessante causar desconforto devido à dificuldade em reviver tal experiência. A distância entre ele e o que busca o deixa em estado de “afogamento sentimental”.

Tristeza

Frequentemente compara as experiências que tem hoje com as que viveu anteriormente. Desse modo, pesando prós e contras, a melancolia toma parte em sua vida e passa a enxergar sua vida de maneira mais acinzentada. Esse pessimismo pode abrir caminho à depressão.

Leia Também:  O poder da mente: o funcionamento do pensamento

Solidão

A fixação excessiva ao passado pode provocar solidão e isolamento. As novas experiências não suprem o vazio deixado pelas antigas, pois o indivíduo compara constantemente uma à outra. Além disso, um sentimento de inadequação ao momento pode surgir e isso o leva facilmente a se sentir solitário.

Insônia

É comum reviver nossas lembranças em momentos de calmaria. Contudo, isso pode nos causar insônia se feito em excesso. Reviver constantemente um mesmo fato ou época pode interferir na qualidade do nosso sono.

Apatia

A infelicidade ocasionada pela saudade pode nos causar apatia. Teremos dificuldades em enxergar algum valor nas relações com outras pessoas e até na alimentação. Facilmente desenvolvemos perda de apetite por sentir excessivamente saudade de algo.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Vícios

    Devido a incapacidade de lidar com o presente focando apenas no passado, algumas pessoas desenvolvem comportamentos aditivos. Isso porque as drogas lícitas e ilícitas provocam uma breve fuga do sentimento de falta e se torna uma constante na vida do indivíduo.

    Álcool, cigarro ou drogas mais pesadas são a chave para amenizar o sofrimento que alguém possa ter. Devo ressaltar que, sendo usadas como rota de fuga, o abuso delas podem acabar por levar uma pessoa à ruína. Ademais, tais comportamentos tendem a serem viciantes.

    Em animais

    A saudade não é algo exclusivo do ser humano. Esse comportamento é identificado em animais há bastante tempo. Embora tenham uma estrutura social diferente da nossa, eles também demonstram que sentem faltam de algo.

    Cachorros, por exemplo. Esses adoráveis companheiros desenvolvem um vínculo muito forte com os donos. As interações entre eles são intensas para o pet, que facilmente sente a necessidade de mantê-los por perto.

    Um exemplo é o de uma jovem militar que passou seis meses longe de casa. Comunicando-se por telefone e videoconferências pela internet, a mesma matinha contato com o seu poodle de estimação. Ao retornar para casa, a felicidade do animal ao encontrá-la foi tamanha que o mesmo desmaiou por alguns segundos.

    Como lidar com a saudade

    A saudade preserva um registro do passado, mas isso pode ser prejudicial se feito em excesso. Aceitar a nova realidade e se integrar nela é um dos caminhos que você precisa trabalhar. Não é preciso esquecer totalmente o antigo, mas deve-se adicionar novas experiências para renovar nosso ciclo positivo de emoções.

    Interações com o antigo e o novo, atividades, inclusão… Isso ameniza a falta sentida e nos motiva a prezar pelo lado bom da mesma.

    Considerações finais sobre sentir saudade

    A saudade se manifesta diante do nostálgico, nos levando a um passado onde nos sentimos encaixados. Contudo, pode nos causar problemas se ficamos atrelados frequentemente a ela. Ainda assim, benéfica, nos lembra que devemos valorizar as experiências que temos na vida e guardá-las de forma carinhosa.

    Temos aqui um recurso importante da memória. Sem ele, não somos capazes de sentir a falta de alguém, aproveitar de algo que já conhecemos ou sentir luto por uma pessoa. O sentimento em questão é capaz de preencher um pouco o vazio da ausência.

    E você, do que sente falta? Conta para gente o que te provoca saudade e como você faz para diminuí-la. Seja um encontro, viagem ou até mesmo um abraço, esse sentimento é capaz de resgatar um registro do ontem e construir uma ponte ao amanhã. Caso queira estudar o tema mais a fundo, matricule-se em nosso curso 100% online de Psicanálise Clínica. É a oportunidade de conseguir uma qualificação extra de qualidade por um preço em conta!

    3 thoughts on “O que é saudade para a Psicanálise?

    1. Boa Noite
      Acho os conteúdos apresentados pela EAD completos e de grande importâmcia p o conhecimento Psicanalítico

    2. algumas épocas da minha vida foram marcantes, e hoje em dia eu vivo 70% no passado, é como vai e vem do mar. em alguns momentos nos tempos de escola, em outro nas lembranças da adolescência com minha vó, mas dificilmente estou pensando no futuro, parece que tudo hoje perdeu a graça, que tudo se perdeu no tempo.
      muitas vezes fico surpreso que o resultado do meu esforço em estar no passado, me faz lembrar de objetos, situações ou até mesmo fisionomia, sons, vozes e detalhes de coisas que aconteceram há 15 anos atrás como se tivessem acontecido na semana passada, no fundo eu sei que isso não é bom, mas é como atravessar um portal no tempo… e ali passo minutos horas, lembrando e remasterizando cada detalhe, fazendo um esforço sobre-humano pra não deixar o passado no passado… As vezes me traz alegria lembrar, uma sensação de que eu consegui, que estou de novo ali, e principalmente ouvindo músicas específicas, musicas que marcaram ou pertenceram a aquele momento, mas na maioria das vezes termina em lagrimas, tristeza que logo passa, e depois me causa uma sensação de alívio de superação, de aceitação, mas essa sensação e temporário, em alguns dias o convite pra voltar ao passado vem numa musica, ou aleatoriamente. Não me considero uma pessoa depressiva, nem me isolo, ou tampouco que desisti do presente. mas de uma coisa tenho certeza, eu vivo imerso no passado tendo apenas um vislumbre do presente e do futuro e as vezes isso me preocupa.

    3. Estou passando por um ” afogamento sentimental ” e enquanto passo por isso procuro compreender essa sensação , que causa desconforto , vazio … sinto como se estivesse sobrecarregada da vida , me sinto pesada , procurando compreender essa dor que ao mesmo tempo é uma carência, como definir a saudade? Esse sentimento que transborda dentro de mim pela ausência da pessoa amada… Esperança que o tempo passe e leve logo esse sentimento

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.