Sigmund Freud e Karl Marx

Sigmund Freud e Karl Marx: qual relação?

Posted on Posted in Psicanálise, Psicanálise e Cultura

Sigmund Freud e Karl Marx possuem ligações quanto ao trabalho teórico na mente e comportamento humano. Com isso, acabamos caminhando melhor rumo ao entendimento da complexidade humana. Vamos entender melhor a relação entre eles e como isso diz respeito ao momento de inseguranças e incertezas da nossa época.

O ser humano e a sociedade

É preciso um certo tempo para que se consiga entender a relação completa entre Sigmund Freud e Karl Marx. Os dois possuíam linhas de trabalho que, aparentemente, eram bem distintas, ainda que afetassem a compreensão geral sobre a vida. Contudo, ambos falaram ao seu modo sobre o ser humano e a sociedade.

Freud construía e expandia os seus pensamentos a respeito da natureza oculta do ser humano. Basicamente, estabeleceu uma abordagem que visava explicar a real natureza de nossas ações e pensamentos. Sem contar como isso afetava os outros e o ambiente ao qual estamos inseridos.

Por outro lado, Marx construiu em parceria com Engels uma das linhas de pensamento mais famosas da humanidade. O Marxismo traz reflexões a respeito da sociedade, política e economia e de como isso afeta a população geral. Discute-se como alguns indivíduos mais favorecidos se sustentam sobre classes menores e como isso era conflitos.

A verdade do inconsciente

Sigmund Freud e Karl Marx trabalhavam de forma convergente quando se tratavam da questão do inconsciente. Tanto que até o filósofo Paul Ricoeur os nomeou como “mestres da suspeita”, já que ambos desconfiavam das ilusões da consciência. Isso fica evidente em duas passagens, sendo elas:

A aparência não é tudo

Karl Marx afirmava que se essência e aparência coincidissem, a própria ciência não teria utilidade. Ele deixa claro que não devemos nos levar pela aparência, de modo a sermos mais aprofundados na investigação. Nisso, Freud caminhava na mesma direção com seu método psicanalítico, buscando o interior do indivíduo para buscar a sua verdade.

Construção sobre as ilusões

O teórico Friedich Engels, co-fundador do Marxismo, afirma que os homens não trabalham de forma plenamente consciente, se valendo de ilusões. Engels mostra perfeitamente que, por causa disso, as ações deles resultam em coisas diferentes do que aquilo que os mesmos desejam.

Assim, afirma que as causas reais dessas ações serão explicadas em “um outro lugar” que não a consciência.

Nomeação ao existente

Sigmund Freud e Karl Marx são reconhecidos até hoje pelo formato único da construção de suas ideias. Em suas respectivas áreas, os dois se destacam pela elaboração rica de suas propostas com base no conhecimento e momento em que viviam. Mas ao invés de inventores, podemos creditá-los como observadores pioneiros do que já existia.

Isso porque os efeitos do inconsciente e da luta de classes já foram sentidos muito antes do estudo deles. Basicamente, a proposta de cada um ajudou a localizar as reações humanas perante tais perspectivas na história da sociedade.

Embora não sejam “inventores”, formularam seus pensamentos ao definir um objeto, seus limites e suas extensões. Além disso, categorizaram formas de existência, bem como efeitos e suas exigências. Ademais, esclareceram os aspectos inerentes às suas teorias e aquilo que é preciso para atuar sobre elas.

Estruturação argumentativa

Outro ponto de que Sigmund Freud e Karl Marx partilhavam era o pensamento materialista e dialético. Ainda que isso aproximasse os dois, Freud ainda conseguia ir além. As figuras dialéticas utilizadas e abordadas por ele eram mais completas e ricas que as usada por Marx, mesmo parecidas.

Leia Também:  Relações entre Freud e Einstein

Althusser, filósofo marxista, caracterizou cada um com o fenômeno do “caráter conflituoso” em ambas teorias. Segundo ele, o fenômeno nunca deixou de acontecer, dando em si mesmo uma resistência por meio de críticas e ataques. Sem contar as revisões e anexações, sendo vistas pelo filósofo como tentativas sem conteúdo de contorno.

Já Gérard Pommier defendia que não havia qualquer articulação entre marxismo e freudismo. De acordo com ele, era apenas uma relação em que o fracasso imperava entre o indivíduo e o social. Nisso, se o gozo fracassava, o grupo era recuperado, havendo separação do sujeito com suas identificações imaginárias.

O vazio existencial da humanidade

Continuando os argumentos de Pommier sobre Sigmund Freud e Karl Marx, ele afirmava que ambos concordavam na falta de essência do homem. No materialismo histórico, essa essência era reduzida ao conjunto de seus relacionamentos sociais. Por sua vez, o freudismo apontava para a história familiar, a linguagem e a estrutura simbólica.

NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

Nisso, o primeiro caso de materialismo histórico produz um recuo da questão essencial em fatos. Contudo, isso acabaria por gerar dependência com a relação entre semelhantes. O materialismo daria resposta à consciência pelo ser e não o contrário e isso exige uma explicação da consciência social pelo ser social.

O segundo, isso não ocorreria se a posição do sujeito ficasse dependente do sistema simbólico. Isso acontece porque esse é incompleto e não teria como definir o ser. Consequentemente, isso acaba rebaixando em alguns aspectos das deduções de Freud em relação a Marx.

Características de visão

A formação e emissão intelectual e social de Sigmund Freud e Karl Marx se alinhavam, ainda que fossem diferentes. Não é uma competição de quem se saiu melhor ao longo da vida, já que suas ideologias serviram de estudo a necessidades diferentes. Com isso, conseguimos notar caraterísticas únicas em cada estudioso, começando por:

Freud

Abordagem

Os argumentos de Freud eram construídos de maneira bastante crítica e numa perspectiva macroscópica. Com isso, o psicanalista elaborava abordagens de forma ampla e, às vezes, generalizada.

Valor social

Freud sempre deixou claro suas ideias a respeito do valores pertencentes à era Vitoriana. Nesse caminho, se desagradava com a sinceridade fingida sobre a moral pertencente a esse tempo.

Concepção do sexo

O sexo para Freud era objeto real de investigação científica. Além disso, também questionava sobre a inocência infantil, já que esta teria formações intelectuais geradas a partir das experiências sexuais no desenvolvimento.

Marx

Curioso

Karl Marx era conhecido por sua dúvida constante e o seu caráter de observação natos. Isso se aplicava a qualquer ideia ou ideologia que chegava em seu caminho.

Libertário

O trabalho de Marx mostra sua dedicação em tornar o cidadão comum independente das amarras sociais. Não apenas da dependência, mas também da subordinação econômica, escravidão e alienação em qualquer forma.

Antecipador

Marx evidencia um sistema repetitivo que configura a composição da estrutura humana em variadas épocas. Por exemplo, o capitalismo, mesmo sendo abordado há tantas décadas, continua tão presente e vital em nosso modo de vida.

Imunidade ao tempo

Os pensamentos de Sigmund Freud e Karl Marx permanecem tão vitais quanto na época em que foram criados. Dentre eles, se destaca a vivência permanente de ilusões sobre a pobreza da realidade. Em suma, de acordo com eles, o ser humano é o rosto da humanidade, de modo que que nada inerente a ele pode ser estranho ou diferente.

Leia Também:  Não leve por trás: 7 dicas para não ser enganado

Isso levanta questionamentos profundos a respeito da desconstrução da hegemonia cultural que precifica a vida e a morte. Assim, temos uma blindagem contra a ideia de gerência ao consumismo e status quo. Estudando a proposta deles, fica claro que aos interessados isso é única forma para a fragmentação social.

Considerações finais sobre Sigmund Freud e Karl Marx

Ao seu modo, Sigmund Freud e Karl Marx destrinchavam pilares importantes a respeito da alienação e condução humana. Graças aos dois, temos uma visão mais clara de como as sociedades e seus indivíduos são constituídos interna e externamente. Tudo parte de um princípio em comum, de modo que as origens contém muitas respostas.

Isso requer também um olhar mais sensível sobre o indivíduo e a própria vida. Nota-se que, em ambas perspectivas, há um abuso da da existência humana vindo da ignorância ou mercantilismo. O trabalho de ambos serve para questionar a índole humana, nosso comportamento e o futuro que podemos abraçar.

Para compreender melhor o movimento social e a sua própria participação nisso, se inscreva em nosso curso de Psicanálise 100% online. É um caminho sadio para se desenvolver mental e comportamentalmente, compreendendo suas próprias capacidades e potencialidades. Perceberá que as obras de Sigmund Freud e Karl Marx terão um novo valor e aplicações interessantes para sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 7 =