suicida

Suicida: significado, hábitos e como identificar

Posted on Posted in Comportamento, Conceitos e Significados, Psicanálise, Transtornos e Doenças

O conhecimento popular supõe uma série de comportamentos para uma pessoa suicida. Diz-se que essas pessoas vivem tristes, que são caladas e que elas não têm relacionamentos bons, por exemplo. Contudo, é necessário ficar atento a outros detalhes, pois eles podem revelar muito mais sobre o que se passa no interior de alguém. Por isso, leia o nosso post para entender mais sobre esse assunto tão delicado.

Significado de suicida

Para entender sobre o assunto, é importante, antes de mais nada, compreender o que é “suicida”, ou seja, qual o significado desse termo. Segundo o dicionário online Dicio, a palavra serve para designar instrumentos ou contextos em que há um grande risco de morte.

Contudo, o termo é mais usado para referir uma pessoa que tem pensamentos em tirar a própria vida. Ou ainda, ele denota aqueles indivíduos que já tentaram se matar ou que já se mataram.

Como identificar uma pessoa suicida?

As pessoas acreditam que devem se preocupar apenas se uma pessoa estiver comentando com os amigos e familiares que deseja se machucar ou tirar a própria vida. Assim, essa comunicação clara seria o único sinal a que prestar atenção.

Contudo, não é bem assim. Há outros sintomas, mais sutis, a que é necessário ficar atento. Então, veja abaixo quais são indícios que ajudam a identificar uma pessoa suicida.

Não há interesse pelo próprio bem-estar

A pessoa que apresenta um comportamento suicida, de modo geral, não tem muito autocuidado. Isso ocorre porque a pessoa perde, de forma gradual, o vínculo consigo mesma.

Para o indivíduo suicida, a sua própria vida já não é tão importante e as atividades do cotidiano não têm mais sentido.

Os exemplos desse comportamento são:

  • perda de vaidade;
  • redução de hábitos de higiene pessoal;
  • indiferença com relação a como se portar diante de situações como um contexto de frio ou de dor.

Alterações nos padrões alimentares e de sono

Quando a pessoa fica muito tempo com insônia ou começa a dormir demais, esse também pode ser um sinal que antecede uma tentativa de suicídio. Ademais, a perda de apetite ou o hábito de comer de forma compulsiva pode sugerir um risco de suicídio.

Queda da produtividade no trabalho e nos estudos

Não ter cuidado consigo mesmo, não se alimentar e dormir direito acabam prejudicando as tarefas do dia a dia. A falta de atenção e não ter nenhuma motivação para desenvolver as suas atividades cotidianas podem ser preocupantes. Além disso, é possível perceber as dificuldades de concentração, desatenção e limitação para terminar os compromissos.

Procura intensa por sexo

Um outro sinal de uma pessoa suicida é mais complicado de associar com o suicídio. Trata-se da procura por sexo de maneira intensa. A súbita procura por relações sexuais desprotegidas e por diferentes parceiros podem indicar, em alguns casos, um comportamento destrutivo.

Por isso, é importante ficar atento a este indício, pois pode estar relacionado a uma tentativa por suicídio.

Automutilação

A automutilação pode ocorrer como uma tendência suicida ou sem que a pessoa tenha a intenção de cometer um suicídio. Ela é definida por pequenas lesões que a própria faz contra si mesmo na pele de forma proposital.

Quando há intenção de cometer um suicídio, essas lesões são mais destrutivas e têm potencial de causar a morte. Então, quando esse tipo de ato ocorre, ele é sim um sinal de alerta. Além disso, quando a automutilação se torna um hábito, é necessário levar a pessoa que está se machucando a um especialista.

Procura em fazer as pazes com todas as pessoas

Embora esse não seja um sinal que de fato irá dizer se a pessoa é suicida ou não, afinal os sintomas dependem do contexto, a busca por uma reconciliação pode revelar uma intenção de suicídio.

Por exemplo, quando alguém busca todos os amigos e familiares enviando mensagens pedindo perdão ou declarando seu amor, é bom desconfiar de que algo não está bem.

Leia Também:  Livro "Como fazer amigos e influenciar pessoas": resumo

Contudo, vale ressaltar que, antes mesmo de buscar a reconciliação, é comum que a pessoa peça ajuda sutilmente a amigos e familiares.

    NÓS RETORNAMOS PARA VOCÊ



    Quero informações para me inscrever na Formação EAD em Psicanálise.

    Procure um especialista

    É muito importante destacar que, por mais que esses sinais que citamos possam ajudar na identificação de uma pessoa suicida, é importante procurar um especialista. Apenas um profissional especializado no assunto, como um psicólogo ou psiquiatra, pode de fato diagnosticar e orientar para um tratamento adequado.

    Além disso, o psicólogo irá analisar todas as questões que envolvem o indivíduo e desenvolverá a autoestima do paciente. Dessa forma, poderá ajudar na solução dos seus conflitos.

    O olhar da psicanálise sobre uma pessoa suicida

    Segundo dados divulgados pela Agência Câmara de Notícias, ocorre uma morte por suicídio a cada 45 minutos no Brasil. Então, esse é um tema que está em pauta em muitas áreas e, de modo especial, na psicanálise.

    Esses danos autoinfligidos são consequência de um compromisso entre os impulsos que atuam na pessoa com esse comportamento suicida. Aliás, esses impulsos ficam inconscientes, sendo reprimidos, por isso, eles operam de forma paralela com a pulsão de vida de morte.

    Por mais que os contextos atuais contribuem pela tentativa de suicídio, há várias doenças psíquicas, desde o passado, como a depressão, que são as principais causa do suicídio.

    Suicídio e melancolia para Freud

    Para o pai da psicanálise, Sigmund Freud, a melancolia tem como principais características, pelo ponto de vista psíquico:

    • abatimento doloroso;
    • perda da capacidade de amar;
    • cessação do interesse pelo mundo de fora.

    Mias palavras do pai da psicanálise em algumas de suas obras

    Em 1909, segundo uma publicação da época, Freud apresenta uma análise de um caso de neurose obsessiva. Ele observa que há um impulso para o suicídio e isso é tão frequente que sua exposição é similar à análise do sujeito. A principal preocupação do indivíduo em questão era o medo de perder as pessoas que amava e, por isso, ele tinha impulsos de autodestruição, cortando o pescoço com uma lâmina de barbear.

    Na obra “Além do Princípio de Prazer”, o pai da psicanálise apresenta um caso de perda de desamor mortal. Uma jovem tem tendências suicidas desde a doença de seu pai e, segundo o relato, ela caíra enferma de grave histeria enquanto achava que estava cuidando da figura paterna. De modo geral, ela tinha paralisias motoras e distúrbios de consciência.

    Por fim, em uma outra análise de Freud, ele apresenta um caso de histeria. A tendência de suicídio do sujeito se manifestava como depressão, desânimo e fadiga constantes. Esse sinais foram intensificados quando ele escreveu aos pais uma carta de despedida, ameaçando suicidar-se. Como motivo dessa ação, alegava não suportar a vida por mais tempo.

    Considerações finais: suicida

    Esperamos que você tenha compreendido melhor as tendências suicidas. Aliás, desejamos que com o nosso post, tenha despertado em você o interesse de poder aprofunda o seu interesse na psique humana. Por isso, temos um convite para você! Conheça o nosso Curso online de Psicanálise Clínica.

    Com as nossas aulas você poderá saber mais sobre essa área tão rica do saber humano. Além disso, o nosso curso te prepara para atuar no mercado de trabalho como psicanalista ou agregar conhecimentos adquiridos para a sua ocupação atual.

    Então, inscreva-se já no nosso curso online de Psicanálise Clínica venha entender melhor sobre os hábitos de uma pessoa suicida, entre outros comportamentos problemáticos que podem reduzir a qualidade de vida de um ser humano! Aliás, não deixe de começar ainda hoje uma nova mudança na sua vida, aprofundando também o seu autoconhecimento.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.